Stranger Things 4: primeiras impressões, muito mistério e terror



O Teoria Cultural conferiu os sete primeiros episódios da quarta temporada de Stranger Things, confira abaixo nossas primeiras impressões dessa primeira parte, sem SPOILERS, é claro.


Definitivamente essa é a temporada mais madura de Stranger Things, e era de se esperar uma atmosfera mais adulta, com temáticas mais pesadas, afinal de contas Eleven e seus amigos não são mais aquelas crianças da primeira temporada, eles cresceram e com isso surgiu a necessidade dá série também ganhar um pouco mais de peso. E nisso os irmãos Duffer, deram um tiro certeiro.


A primeira parte chega com uma ambientação mais sombria e perturbadora. Um novo inimigo, perverso, maligno e brutal assola a cidade de Hawkins, e com isso o terror ganha maiores proporções, não faltam vítimas, sangue e trevas nesses primeiros capítulos. Fora isso, a nostalgia bate de maneira contagiante, as referências aos anos 80, a trilha sonora incrível, indo de Kiss, The Cramps, Talking Heads e outros. Toda essa atmosfera lembra muito os antigos clássicos da cultura pop como Carrie: A Estranha de 1976, A Hora do Espanto de 1985, A Hora do Pesadelo de 1984, são algumas das referências que compõem essa quarta temporada.



Uma baita homenagem ao melhor dos anos 80, e um deleite para a cultura nerd. Muita coisa mudou desde a batalha de Starcout. Mike e sua turma agora estão no ensino médio, cresceram e precisam lidar com problemas e desafios da escola e encarar os traumas do passado e as perdas que o grupo sofreu.


Os irmãos Duffer se abasteceram de várias fontes do terror para gerar e criar um conceito próprio. É possível sentir uma certa familiaridade com Amityville, ao narrar a história de Victor Creel.


Os novos personagens acrescentam novas nuances para narrativa, Robert Englund, traz sua bagagem como Freddy Krueger, mesmo que ligeiramente nesses primeiros episódios. Mason Dye apesar de interpretar um babaca nesta temporada, seu personagem é fundamental para contextualizar temas tão recorrentes em nossa atualidade como as fake news. Eduardo Franco como Argyle é a parte cômica desta temporada, e ele se sai muito bem aqui.


Aos meus olhos Stranger Things volta com uma temporada poderosa, madura e com uma atmosfera mais voltada para o terror físico e psicológico. Uma temporada ousada e afiada. Os dois últimos capítulos prometem ser os mais tensos e frenéticos. Perguntas serão respondidas, mas novas surgirão.

 

O primeiro volume da 4ª temporada já está disponível na Netflix, entretanto, a parte dois vai estrear em 1º de julho. Segundo os irmãos Duffer, a série vai ser concluída na quinta temporada.

A Netflix também divulgou a sinopse oficial da quarta temporada: “Já se passaram seis meses desde a Batalha de Starcourt, que trouxe terror e destruição para Hawkins. Lutando com as consequências, nosso grupo de amigos está separado pela primeira vez – e navegar pelas complexidades do ensino médio não tornou as coisas mais fáceis. Neste momento mais vulnerável, uma nova e horrível ameaça sobrenatural surge, apresentando um mistério horrível que, se resolvido, pode finalmente acabar com os horrores do Mundo Invertido.”


Entre os novos atores da série, Amybeth McNulty, a Anne de Anne With an E, engloba o elenco nesta 4ª temporada.

 


54 visualizações0 comentário