Dicas: Um livro e dois filmes para entender os horrores do nazismo e da Segunda Guerra Mundial.

Atualizado: 8 de abr.



A Segunda Guerra Mundial foi um conflito militar global que durou de 1939 até 1945, que envolveu a maioria das nações, incluindo todas as grandes potências mundiais. O planeta então ficou durante esse tempo dividido em Aliados (liderados pelos Estados Unidos e União Soviética) e Eixo (liderada pela Alemanha que vivia uma terrível ditadura nazista comandada por Adolph Hitler).


Durante o período de 1933 até 1945 que foi o tempo que durou o nazismo e o fascismo na Alemanha muitos judeus, homossexuais, negros, deficientes e até mesmo mulheres e crianças morreram nas mãos de nazistas em campos de concentração como o Auschwitz, por exemplo. Isso aconteceu porque esses opressores acreditavam na ideia de Terceiro Reich onde queriam propagar o fascismo, extermínio de minorias, política na base do totalitarismo e ignorância com as diferenças. E graças às pessoas que sobreviveram a essa fase difícil e também arte, pois através dela conseguimos ver e compreender o quanto aquele período foi cruel, brutal e sanguinário para a história da humanidade. O nazismo e fascismo são ideias totalmente inaceitáveis.


Sendo pela arte e da necessidade de colocar em evidência os horrores do nazismo e da Segunda Guerra Mundial, venho trazer através do meu gosto pessoal destacar um livro e dois filmes que retratam esse período com total maestria, destacando o discurso de ódio contra o mundo e a humanidade. Deixo aqui também uma menção honrosa a um curta- metragem estadunidense de 14 minutos, 'Perdoai-nos As Nossas Ofensas', parece muito pouco, mas é totalmente impactante, triste e revoltante. O curta estreou recentemente na Netflix e merece também um olhar atento, sensível e reflexivo.


1- O livro "Diário de Anne Frank"

Escrito em formato de diário entre 12 de junho de 1942 e 1.º de agosto de 1944 durante a Segunda Guerra Mundial, uma garota alemã chamada Anne Frank retrata e narra de forma impactante, emocionante e chocante momentos vivenciados pelo grupo de judeus confinados em um esconderijo durante a ocupação nazista na Holanda. Entre esses judeus, está a família de Anne Frank.


A garota fez de tudo para registrar no papel, os horrores do nazismo e da Segunda Guerra Mundial com uma escrita impactante, comovente e esplendorosa por retratar esse período difícil com maestria e mostrar os horrores do nazismo, do fascismo e da Segunda Guerra Mundial.


O livro foi publicado postumamente em 1947 por seu pai Otto Frank, pois a menina havia falecido em 1945 aos 15 anos. E desde sua publicação, a obra foi bastante traduzida, lido e divulgado pelo mundo. O que fez o escrito estar na 19ª posição da lista Os 100 livros do século segundo o renomado jornal francês “Le Monde”, ser homenageada em produções como "Anne Frank, Minha Melhor Amiga". A jovem escritora foi contemplada como uma das pessoas mais importantes do século XX em uma lista organizada pela revista estadunidense “Time”, por isso, ele faz parte dessa lista especial.

 

2- O filme italiano "A Vida É Bela"


Entre os anos 1920 e 1940 a Itália vivia um regime autoritário e que também se tornou fascista após a amizade do líder italiano Benito Mussolini com o Adolph Hitler. O país passou a perseguir negros, judeus, deficientes, opositores e até mesmo crianças e mulheres. Para denunciar esse cenário triste da Itália e seu povo, o esplêndido artista italiano Roberto Benigni lançou em 1997 um comovente e bonito filme de comédia dramática que teve o astro italiano como diretor e como Guido, um dos personagens principais do filme. Guido é um ítalo-judeu que foi mandando para um campo de concentração com sua esposa Dora e com seu filho Giosué.


O personagem de Roberto Benigni mostra e convence o filho que eles estão diante de um jogo onde os presos marcam pontos para conseguir um tanque de guerra e sua liberdade.


Roberto Benigni fez desse um registro forte sobre os horrores do nazismo, fascismo e Segunda Guerra Mundial de uma forma irreverente, emocionante e convincente, um filme que conquistou o público e a crítica com sua tocante história a ponto de a obra ganhar o Oscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro em 1999. Por isso, o filme faz parte dessa lista especial.


 
3- O filme estadunidense "A Lista de Schindler".


Oskar Schindler(1908- 1974) foi um empresário alemão que ao lado de sua esposa Emilie Schindler(1907- 2001) salvaram mais de mil refugiados judeus do Holocausto, considerado um herói por fazer um ato histórico de muita coragem, bravura e sensibilidade a ponto de empregar os refugiados em suas fábricas durante a Segunda Guerra Mundial. Esse ato foi registrado no livro “Schindler's Ark” do escritor australiano Thomas Keneally em 1982 que foi utilizado como inspiração para Steven Spielberg lançar em 1993 o belíssimo filme estadunidense “A Lista de Schindler” que teve Liam Neeson interpretado muito bem o gestor alemão.


Ele é um filme que como mostra uma comovente história real através de um filme forte que nos faz refletir sobre poder da empatia e da solidariedade para mostrar o quanto que é necessário o respeito pela História e mostrar também gentileza onde Oskar Schindler fez um ato heroico enfrentando o nazismo com bravura e audácia e com sentimento de generosidade ao povo judeu. Por isso, o filme faz parte dessa lista especial.


Essa foi a lista especial para mostrar através da arte os horrores do nazismo e o período difícil da Segunda Guerra Mundial para que ambos não se repitam na história da humanidade.

 

Sobre Alexandre Tiago

Um rapaz latino-americano que é um sonhador, que ama futebol, apaixonado pela arte, formado em Direito, é um defensor da democracia e coleciona desde CDs e livros, até as memórias que a vida oferece." Alexandre escreve sobre arte e cultura na sua página do Instagram.

@cultivandoasartes


 

20 visualizações0 comentário