top of page

Com 'Jardineiros' Planet Hemp prova que após 22 anos seu Rap Rock ainda é ótimo e relevante

Atualizado: 24 de dez. de 2022

'Jardineiros' foi lançado em 21 de outubro de 2022

Imagem Reprodução

 


 

Planet Hemp, pode ser considerado ao lado de bandas como Skank, Pato Fu, Raimundos, Nação Zumbi, O Rappa e Charlie Brown Jr. uma das maiores e melhores bandas que surgiram no Brasil na década de 1990, com um som que os integrantes definiram simplesmente como uma junção de: “Raprockrollpsicodeliahardcoreragga”. Uma ambientação que mescla um Rap Rock com elementos do Hardcore, Funk, Psicodélico e Ragga com críticas acentuadas sobre os mais diversos temas sociais.


A música do Planet Hemp soa reflexiva, provocativa e repleta de percepções entre o mundo e o ouvinte. O mundo não é perfeito e a rapaziada do Hemp sabe muito bem disso, como também sabem que é possível lutar contra tudo que nos é empurrado pelo sistema através da arte, da cultura e da música.


Após 22 longos anos do lançamento do bom 'A Invasão do Sagaz Homem Fumaça' e 21 anos do 'MTV Ao Vivo', a banda composta atualmente por Marcelo D2, BNegão, Nobru, Pedrinho e Formigão, está de volta na praça com 'Jardineiros' seu novo álbum de estúdio, prova a relevância e a importância do grupo brasileiro para o atual cenário socioeconômico do país. Cabe menções aqui a emblemática reunião promovida por eles no VMB de 2010, e o potente show realizado no Circo Voador em 2012, só deixou o grupo ainda mais unido e forte nos seus propósitos musicais.

 


 

O álbum possui 15 faixas impactantes, marcadas pelo lirismo focado em temas sociais com uma sonoridade eclética que destaca muito bem a essência, pureza e o poder cultural do Planet Hemp que sempre vem embasado em diversas referências.

O trabalho inicia com uma frase de 9 segundos dita pelo saudoso Marcelo Yuka: "Quando o instrumento do medo não funciona, a gente adquire um poder inimaginável”. Para logo em seguida trazer uma maravilhosa faixa chamada “Distopia” que conta com uma participação especial do esplêndido músico Criolo (que nesse ano lançou o espetacular disco "Sobre Viver"), que prolonga a excelente parceria musical dele com Marcelo D2 que se iniciou no disco solo do rapper carioca 'Assim Tocam Os Meus Tambores' em 2020.


A música retrata temas como desigualdade social, violência e infração das leis, elencando o quanto é perigoso viver no Brasil dos dias atuais, entretanto, carrega nuances de esperanças na luta do bem contra o mal, sendo possível vencer a escuridão da violência com a clareza das ideias em um som nervoso com guitarras distorcidas e um refrão marcante.


“O Ritmo e a Raiva” é uma ótima canção que conta com a participação especial de Black Alien que foi integrante do conjunto por anos. A faixa tem o cuidado de destacar o elo de amizade e gratidão através de uma letra muito legal que, na verdade, se torna uma bonita homenagem aos integrantes que já passaram pela banda sem deixar nenhuma mágoa. “Taca Fogo”, um punk trap com elementos de Samba Rock que se inicia com a frase “Está no ar a Rádio Libertadora” para logo em seguida criticar o atual cenário político com suas mentiras e hipocrisias.

 


 


“Veias Abertas” cujo nome demonstra ser uma referência clara ao ótimo livro 'As Veias Abertas da América Latina' do escritor uruguaio Eduardo Galeano (que também escreveu a excelente obra literária "O Livro dos Abraços") no intuito de mostrar e escancarar a violência do Brasil e da América Latina, onde ela assusta, mas que é preciso dizer um basta para exaltar a democracia e que se deve odiar o autoritarismo, principalmente, por ele ser contra a população, a ponto deixá-la pobre e sem voz. A canção conta com a pontual participação de Tantão e os Fita.


“Meu Barrio”, que conta com a ótima participação especial do rapper argentino Trueno, “Ainda”, que tem o feat de Tropkillaz e “Onda Forte”, que conta com o sample de MC Carol de Niterói, mostram expansões sonoras bem legais do som da banda de uma forma bem visceral e avassaladora, mostrando que os integrantes do conjunto carioca são abertos para músicos novos. “Jardineiro” possui um cancioneiro que faz o fã se lembrar dos repertórios dos primeiros discos da banda, o 'Usuário' e 'Os Cães Ladram Mas a Caravana Não Pára' com resquícios de nostalgia, atualizada e primorosa.


'Jardineiros' é um disco que tem tudo para ser considerado um verdadeiro clássico do Rock brasileiro no futuro. Por trazer músicas muito boas, letras com aspectos atemporais sobre diversos temas e uma sonoridade explosiva. O Planet Hemp é composto por músicos que não se calam diante da opressão, injustiça e medo, uma banda admirada por sua coragem filosófica de mostrar suas ideologias onde é possível lutar por um mundo melhor e, com a arte, essa luta é possível.


 

Jardineiros

Planet Hemp


Gênero: Rap Rock, Hardcore

Lançamento: 21 de outubro de 2022

Ouça: Distopia, Taca Fogo, O Ritmo e a Raiva


 

NOTA DO CRÍTICO: 9,0

 

404 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page