top of page

Sundered é uma aventura num território misterioso cheio de inimigos mortais e cenários labirínticos

Um jogo com sistema de combate simples, embora eficiente

Foto: Divulgação

Sundered é mais um jogo que pega carona no estilo Metroidvania e que foi desenvolvido e publicado pelo estúdio canadense Thunder Lotus Games (responsável por jogos aclamados como Jotun e Spiritfarer). O jogo traz em si uma estética bonita relembrando desenhos feitos a mão e com muita presença de elementos típicos de uma obra lovecraftiana. Para quem está habituado ao gênero, espere encontrar muitas salas dentro de um mapa labiríntico, hordas de inimigos e muitas idas e vindas pelos cenários.

 


 

A história nos coloca no papel de Eshe que, após vagar através de um deserto, é puxada para dentro de uma misteriosa ruína por uma força misteriosa. Com um breve e descomplicado tutorial, sem muita enrolação, estamos logo desbravando os corredores e salas do mundo subterrâneo composto por 3 áreas enormes.

Para essa aventura, temos como guia apenas uma voz poderosa que nos entrega algumas pistas e que, inclusive, fala da importância dos shards no jogo. Muitas revelações dependem do jogador que, de forma não linear, pode explorar os cenários na ordem que preferir, apesar de que vários acessos apenas serão concedidos após Eshe adquirir determinadas habilidades.


Padronizado para ser um jogo que faz o jogador melhorar a cada morte ocorrida, Sundered possibilita uma árvore de habilidades que concede efeitos e upgrades para o avanço na jogatina. A morte é uma constante no jogo, mas não perdemos nada do que coletamos, dessa forma nossas idas e vindas não são tão frustrantes.

Entretanto, algumas salas guardam hordas inesgotáveis de inimigos. E isso pode ser irritante para o jogador, pois nestes trechos até acessar o mapa é algo difícil porque os inimigos não param de chegar.


Ainda em relação ao mapa, o jogo tem um diferencial. Muitas das salas são fixas, não mudam. Outras são formadas aleatoriamente. Então, a cada morte e um novo acesso, tais salas sempre podem trazer surpresas como tesouros preciosos e novos caminhos para se chegar ao objetivo. Ainda existem os poderosos ‘perks’ que, caso sejam encontrados, podem ser usados com diversas funções passivas e ativas, embora a maioria apresente suas vantagens e desvantagens (como um que lhe garante mais escudo, porém menos armadura).

 


 

Para acrescentar mais desafios, plantas espinhosas e a própria arquitetura muitas vezes embaralhada do ambiente podem complicar a vida do jogador. Lembrando que o jogo em si não apresenta seus objetivos claros e que precisam ser cumpridos numa ordem determinada. A questão aqui é passar pelos chefes e subchefes das 3 áreas (e eles não são poucos) e coletar os shards que eles deixam, além de outros presentes.

Citando as batalhas contra os chefes, elas ganham um contorno épico. São grandiosas na tela do jogo. Entretanto, o personagem muitas vezes fica distante demais, a visão muda de tamanho e, dessa forma, parece complicar alguns movimentos. Deve desagradar alguns jogadores até porque muitas vezes a luta exigirá pulos em plataformas. Mas nada que o erro e tentativa ajude na façanha.


Após coletar 7 shards, o jogo nos coloca diante do chefe final. Mas é importante ressaltar que, dependendo das escolhas de cada jogador, o jogo reserva alguns chefes adicionais e 3 finais diferentes. Essas escolhas variam de acordo com a decisão tomada. Destruir os shards? Mantê-los? Ou gastá-los em habilidades mais aprimoradas?

Citando as habilidades, são elas que garantem acessos para outras áreas mais difíceis de acessar. Contudo, essas habilidades só serão adquiridos depois da exploração minuciosa do jogador pois ficam em salas estratégicas.


O sistema de combate também é simples, embora eficiente. Temos golpes de espada, escudos que se recarregam frequentemente, frascos de sangue para repor o HP perdido e não falta o sistema de esquivas (tipo rolamento). Mas muitas ações são limitadas por uma barra de energia, sendo assim, o jogador não pode usufruir delas de forma impensada. Mecânicas que ganhamos posteriormente como, por exemplo, se agarrar em ganchos pelos cenários, fornecem uma maior dinâmica de evasão e estratégia inclusive contra os chefes.

 


 

Sundered apresenta alguns pontos negativos que podem ser melhorados ou inovados numa sequência, ou mesmo num outro jogo semelhante da produtora. Todavia, esses pontos não comprometem a jogatina e a vontade de fazer os finais, de enfrentar cada chefe que surge imponente na tela (sobretudo se você é um fã desse gênero de jogo). Nada será fácil, a morte é só o começo, entretanto a recompensa de avançar cada sala e cada área é gratificante na soma final.

 

Sundered


Lançamento: 28 de julho de 2017

Modo: Jogo eletrônico para um jogador

Desenvolvedor: Thunder Lotus Games

Plataformas: PS4, Microsoft Windows

Gênero: Metroidvania, Roguelike


 

NOTA DO JOGADOR: 7,0

 

Trailer do jogo:


 

17 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page