Retorne aos tempos dos fliperamas em grande estilo no jogo brasileiro Space Force Elite 2 in 1.

Atualizado: 24 de jun.

Aquela ambientação com cara de indie e gráficos retrô

Foto: Qubyte Interactive

Uma das coisas mais gratificantes para qualquer jogador é encontrar algum jogo inesperado que acabe lhe gratificando do início ao fim. Sobretudo quando ele está diante de uma promoção na Steam ou PSN Store com mais de 1000 jogos a seu dispor.


Muitas vezes a escolha pode ser uma loteria e, mesmo depois de tanto vasculhar, o jogo não corresponde aos seus anseios. Para muitos jogadores não basta apenas ver alguma gameplay no Youtube. O que é visto ali talvez não lhe agrade durante a sua experiência com o jogo em si. Sabe aquela história de que fazer revela muito mais que ver?



Eis que de repente, você nota um jogo. Space Elite Force 2 In 1. Aquela carinha de indie, de gráficos retrô, não tão comentado pela internet e que talvez não gere tanta confiança. Porém, o preço da promoção é mais do que convidativo: 12 reais (42,90 fora da promoção). E dois jogos no pacote? Além disso, a nostalgia bate forte. O jogo foi feito pela Moraes Game Studio e publicado pela Qubyte Interactive, ambas empresas brasileiras e que vem revelando jogos bons na atualidade.


O clássico e viciante jogo de ‘navinha’, de uma maneira mais técnica dizendo, o tradicional Side-Shooting. Pronto. Você já tem um jogo cativante para seu final de semana, inclusive se você fez parte da velha escolha dos jogadores que habitaram os fliperamas durante a adolescência. O jogo de fácil instalação, a jogabilidade é descomplicada e nos minutos iniciais a diversão começa.

As duas versões do jogo não mudam tanto entre si. Digamos que Space Force Elite 2 tem um aspecto mais moderno e jovial, com um visual mais apurado, traz outros níveis e recebe o notório e empolgante modo Boss Rush (enfrente apenas os chefes com apenas 1 vida). No mais, ambos apresentam modo campanha em variadas dificuldades, da fácil (com continues) até a difícil com apenas 1 vida e com menos HP (se perder a nave, recomeça tudo do zero).


Os comandos são simples, praticamente três botões são usados. Tiro principal, tiro secundário e desaceleração. Claro que o jogador começa de forma simples, com armamento básico. Ao longo dos níveis precisa coletar moedas para aprimorar a nave (escudo e HP), suas armas e outros recursos como deixar os tiros inimigos menos rápidos. O bom é que durante a jogatina, dá para recolher, aleatoriamente, bônus pelos níveis como dobrar o número de moedas coletas ou mesmo garantir um escudo extra.


No final de cada nível, o jogador precisa escolher qual melhoria comprar, tudo vai depender do gosto dele e de como ele se adapta a cada mudança. A variedade de melhorias enche os olhos. Minas, lasers, metralhadoras, bombas, campos de força, tiros de plasma, até abelhas-robô podem te ajudar. Mas tudo precisa ser analisado até porque no final da campanha o jogador não consegue tudo. E, dependendo da arma, por exemplo, você não terá tantas dificuldades em passar por aquele chefe gigante.



O problema é que jogadores hardcores acostumados a esse gênero podem considerar o jogo até fácil, mesmo na dificuldade mais alta. Há quem tenha feito tudo em menos de 2 horas. É de se entender que o jogo foi criado para satisfazer os nostálgicos bem como os iniciantes nesse gênero (geralmente os mais novos).


Assumindo uma visão horizontal, o jogo se comporta bem para a nova geração de consoles. O toque retrô é bonito e nos faz lembrar de grandes nomes como R-Type e G-Darius, apesar do aspecto simplista da concepção final. Com uma jogabilidade fluida, não foram observadas quedas de frame, o que, neste gênero de jogo, ajuda bastante.

No final das duas campanhas podemos considerar o jogo equilibrado e mesmo as exigências para os troféus (no caso do PS4, versão testada) não são onerosas. Nada é estressante, mas também nada será fácil caso o jogador não tenha a capacidade de estudar as melhorias e decorar a procedência de cada inimigo.


O jogo tem modo cooperativo, infelizmente apenas offline. De qualquer forma, jogar em dois garante diversão e pode ser uma boa ideia para quem tem um pouco de dificuldade nesse gênero. Para os jogadores mais experientes, o interessante é refazer a campanha para tentar mais pontos que podem entrar nos placares online.


Space Elite Force 2 In 1 acaba convencendo em dois fatos. Que as empresas brasileiras de jogos estão fazendo bonito nestes tempos e que o gênero de ‘navinha’ nunca cai em desuso. Quem ganha com isso é o jogador por meio de com um jogo que prende a atenção dele e que vem com um preço mais do que justo. Está pronto para comandar sua nave.

 

O trailer do jogo:


 

A página do jogo na Qubyte Interactive:


Space Elite Force 2 in 1

 

NOTA DO JOGADOR: 8,0

 

18 visualizações0 comentário