top of page

'Pistol': captura a história do Sex Pistols em ritmo instantâneo, feito a trajetória da banda punk

Danny Boyle entrega uma série enérgica e veloz sobre os ícones do punk

Disney +

Danny Boyle e Craig Pearce mergulham nas entranhas do Sex Pistols na série biográfica Pistol do Disney+.


Quando se trata de mitologia musical os detalhes ganham camadas e nuances um pouco distintas e estranhas de se distorcer. A nova série punk sobre a trajetória dos rebeldes e ícones do rock britânico aborda firmemente o caldeirão efervescente da explosão punk britânica. Os Sex Pistols podem ter lançado apenas um disco clássico e relevante em sua explosiva e ligeira trajetória que durou dois anos e meio juntos como uma banda, porém isso pouco importa agora.

A Trajetória do Sex Pistols larga da seguinte cena crescente de adolescentes niilistas que frequentavam a boutique SEX de Vivienne Westwood na Kings Road em meados dos anos 70, a banda se formou em meio a uma grande e impactante recessão, com altas taxas de desemprego e a pobreza atingindo níveis exorbitantes, sem contar as imensas pilhas de lixo rançoso que não eram mais coletados. Cenário convidativo para se protestar sendo você mesmo. Quatro rapazes que frequentavam a loja Sex, deram vida ao Sex Pistols, rebeldes, provocativos, a banda espalhava pânico moral onde quer que pisasse. Hoje em dia chega a ser contraditório ver as atitudes birrentas de John Lydon espalhando negacionismo e defendendo Donald Trump. Mas isso é assunto para uma outra abordagem.


O retrato da cena punk parece mais uma fuga ao invés de um modo de vida. É mais uma imagem trabalhada do que um espírito.

Tão rápido e volúvel quanto um zine reproduzido às pressas, Pistol — a minissérie de seis capítulos, dirigida por Danny Boyle dramatiza a rápida ascensão e queda de uma das primeiras e mais influentes bandas punk do Reino Unido. Essa narrativa ganha sentindo pela origem do seu material e contexto histórico. Tudo foi traçado e abordado como tiros analógicos de reproduções em câmera lenta, quadros congelados, paisagens de sonhos que soam mirabolantes, flashbacks, imagens de arquivo e edição em tela dividida fazem parte do pacote nessa ligeira produção que soa exatamente como uma canção punk de três minutos, curta e direta.



Com um estilo peculiar e inquietante, leva-se um tempo para se enquadrar e acostumar, o que define Pistol em camadas oscilantes entre uma narrativa de comédia estridente e momentos de verdadeira pungência. Tudo isso, pode ser apenas um ponto de vista, ou uma perspectiva particularmente interessante. A série tem o cuidado de desenterrar assuntos relevantes e profundos — incluindo a marginalização das mulheres na cena punk (como a futura vocalista do Pretenders, Chrissie Hynde) e a tendência muitas vezes perigosa do rock'n'roll para a hagiografia — em todo o processo.


O fundador e guitarrista do Sex Pistols, Steve Jones (interpretado por Toby Wallace, do Babyteeth, em uma performance de destaque) é o responsável por criar e desenvolver a maior profundidade e complexidade da trama; muito disso se deve ao fato do programa ser baseado em seu livro de memórias Lonely Boy: Tales from a Sex Pistol. Anson Boon oferece uma performance convincente como o líder dos Pistols, Johnny Rotten, apesar de ter menos material de origem do que Wallace para se basear, embora os retratos extravagantes do carismático empresário dos Pistols, McLaren (Thomas Brodie-Sangster) e Sid Vicious (Louis Partridge) não são tão convincentes e deixam a desejar em muitos pontos e momentos. Nem tudo foi abordado, e nem tudo parece o que deve ser. Muitas situações ficaram de fora e isso chega a ser compreensível se tratando de uma minissérie de seis episódios.


Pistol poderia ter ido mais longe — por mais que explore as armadilhas da mitologia do rock'n'roll, ocasionalmente cai nas mesmas armadilhas que tenta explorar. Mas, tomado pelo valor nominal, este é um olhar de alta energia e criativamente montado sobre como o punk rock, com o Sex Pistols na vanguarda, e na linha de frente, varreu o Reino Unido e além com sua carga explosiva fenomenal que virou tendência na época.

 

Pistol

Encerrada (2022)



Criado por: Craig Pearce

Produtor executivo: Danny Boyle

Gênero: Drama, Biografia, Música

Duração: 1 temporada

Onde ver: Disney +



 

NOTA DO CRÍTICO: 6,5

 

Trailer:


 





49 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page