top of page

'Pequeno Manual Antirracista' um livro necessário de Djamila Ribeiro para excluir preconceito racial

“Pequeno Manual Antirracista” pode ser pequeno em termos de tamanho, mas, é grandioso em conteúdo, escrita e reflexões que fazem desse livro uma leitura necessária para a vida toda

Imagem: Lucas Lima/UOL Estilo

Quantas pessoas negras famosas você gosta e admira? Na sua vida, você conhece ou convive com pessoas negras? O que você faz diante de um ato racista? Essas são algumas das perguntas que a escritora brasileira Djamila Ribeiro propõe no seu fabuloso livro 'Pequeno Manual Antirracista' que permite um olhar profundamente crítico sobre o racismo, mostrar as lutas da cultura negra e a apresentar a importância de ter uma sociedade que condena qualquer prática preconceituosa independente do lugar.

 


 

Em 'Pequeno Manual Antirracista' a Djamila Ribeiro apresenta em 136 páginas precisas o levantamento de temas como atualidade do racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos como forma de apresentar caminhos de reflexão para aqueles que queiram aprofundar sua percepção sobre discriminações racistas estruturais e mostrando através de profundas palavras a importância de sermos pessoas antirracistas.


É preciso salientar que o Brasil tem a maior população negra fora da África, a ponto de mostrar o quanto o continente africano possui seu legado influenciado nas áreas sociais e culturais do país, a ponto de ter o dia 20 de outubro para celebrar o dia da consciência negra. Entretanto, essa parte da população sofre de violência, e ela precisa ser combatida, principalmente, a estrutural, que a torna marginalizada e sem amparos.

 


 
Desde que foi lançado em 2019, a obra literária tem feito muito sucesso ao abrir olhos e mentes como forma de levar questionamentos de práticas racistas para abominar isso de vez.

Portanto, merece uma observação positiva, pois ele ficou simplesmente 100 semanas na lista de mais vendidos da Veja e em 2020 foi o vencedor do Jabuti na categoria Ciências Humanas.


A escrita da Djamila Ribeiro torna esse livro espetacular e especial, uma leitura agradável que tira o leitor da zona de conforto com uma não ficção que se apresenta de forma detalhada e sútil para conhecermos a identidade negra, isso tudo com intuito de elencar soluções antirracistas em prol de lutar um sonho alcançável de viver em um mundo onde o racismo seja intolerável e inaceitável por todos.


Além disso, a autora trata com grandeza e elegância os principais aspectos da cultura negra ao mostrar sua origem e sua importância para as mais diversas gerações que abrilhantam o manual e o combate ao racismo com um acerto pontual, histórico, avassalador e impactante. Onde mostra que ela e muitos outros nomes da literatura negra merecem seu destaque reconhecido no hall de importantes e ótimos nomes literários.


'Pequeno Manual Antirracista' pode ser pequeno em termos de tamanho, mas, é grandioso em conteúdo, escrita e reflexões que fazem dele uma leitura necessária para a vida toda, a ponto de merecer estar destacado nas estantes de livros por conter uma linguagem atemporal e mostrar feridas sociais provocadas pelo preconceito de forma precisa.


Algo que todas as pessoas do mundo devem sempre questionar e condenar todas as formas de discriminação. Um livro que aborda uma linguagem que ressalta a importância de uma fala da ativista e escritora estadunidense Angela Davis que diz “Numa sociedade racista, não basta não ser racista. É necessário ser antirracista”.

 


 

Esse espetacular livro atua como uma cura cultural para exaltar a importância de viver em um mundo que seja mais justo e menos julgador com as pessoas negras que não devem ser ignoradas, mas sim, valorizadas e respeitadas por toda a sociedade em todas as suas esferas, classes e cantos.

 

Pequeno Manual Antirracista

Djamila Ribeiro


Capa: Comum

Editora: Companhia das Letras.

Onde encontrar: Amazon

Ano de lançamento: 2019



 

NOTA DO LEITOR: 10

 

Sobre a Autora:

Djamila Taís Ribeiro dos Santos é uma importante voz contemporânea em defesa dos negros e das mulheres. Nascida no dia 1 de agosto de 1980 em Santos, cidade litorânea do estado de São Paulo, ela é filósofa, ativista social, professora e escritora. Djamila corajosamente denuncia a violência e a desigualdade social - principalmente contra negros e mulheres - tão características da sociedade brasileira.

 

112 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page