top of page

O Resgate 2 apela para o exagero e ousadia e entrega um filme acelerado com muita ação e pancadaria

A sensação de que fica é que você está diante de um live-action de Call of Duty.


O Resgate 2, sequência do filme de ação que foi um enorme sucesso na Netflix, volta com um potencial exagerado e ousado, o que acaba passando aquela impressão de algo maior. Uma coisa é garantida: o filme é frenético do começo ao fim e entrega boas cenas de ação. Chris Hemsworth retorna como Tyler Rake após sobreviver aos acontecimentos do primeiro filme e, aqui, ele parece resolver tudo sozinho.


A missão dessa vez é resgatar a família de um gângster georgiano implacável da prisão onde estão sendo mantidos. A partir desse ponto, Tyler irá enfrentar vários bandidos em uma fuga frenética e explosiva, com tiros e mísseis para todo o lado. A sensação de que fica é que você está diante de um live-action de Call of Duty.



Não é um dos melhores filmes de ação, mas a trama entrega aquilo que ela promete. Mesmo com seus déficits, as cenas de ação e fotografia ajudam a embalar o filme. Esse é aquele tipo de longa que se enquadra no conceito de entretenimento e diversão, e nesse quesito o filme se sai muito bem durante suas 2h e 30 minutos. Em alguns aspectos, chega até a ser melhor que o primeiro, mas erra no sentido de deixar tudo nas mãos do anti-herói Tyler para resolver. A presença de Idris Elba também poderia ter sido um pouco mais explorada, assim como a equipe de Tyler, que fica quase o tempo todo em segundo plano.


Porém, isso não chega a estragar os momentos de ação frenética; Chris Hemsworth domina muito bem esse tipo de gênero. O cara realmente tem a química para a coisa. Em 'Resgate 2', ao lado de Golshifteh Farahani interpretando Nik, temos um protagonista igualmente habilidoso em eliminar criminosos. O filme se desenrola em ritmo acelerado, apresentando sequências de ação deslumbrantes que são cuidadosamente editadas. Esses momentos impactantes podem cativar o público com sua intensidade, desviando sua atenção das deficiências de um enredo coeso, coisa que falta no texto de Joe Russo.



Imagem Netflix

Embora esse gênero único de filmes de ação não falhe em entregar o que é considerado importante, é evidente que seu protagonista não consegue se conectar emocionalmente, limitando-se a expressar banalidades sem profundidade. Qualquer pessoa que esteja envolvida nessa abordagem excessivamente de ação sabe o que esperar. Enquanto Tyler Rake supera todos os obstáculos em seu caminho rumo à grandeza como herói de ação, fazendo uma breve pausa para contar uma piada improvisada, o público já espera uma possível terceira parte da saga.



Os grandes pontos altos do filme ficam pela missão de infiltração em uma prisão totalmente reforçada por guardas, que remete a outros filmes do gênero. Sim, clichês é o que não falta em Resgate 2. Essa sequência habilmente combina intensas lutas corpo a corpo com um elevado número de mortes, enquanto avança gradualmente rumo ao seu fim. Além disso, o filme compreende sua proposta de oferecer uma experiência cinematográfica de ação, afirmando Chris Hemsworth como uma força imposta na tela, independentemente de estar empunhando seu icônico martelo ou não.

 

Resgate 2

Extraction 2


Ano: 2023

País: EUA

Direção: Sam Hargrave

Roteiro: Joe Russo

Elenco: Golshifteh Farahani, Chris Hemsworth, Olga Kurylenko, Idris Elba

Duração: 122 min

Onde ver: Netflix


 

NOTA DO CRÍTICO: 7,0

 

Trailer:



51 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page