top of page

Kendrick Lamar mostra pensamentos e emoções em 'Mr. Morale & The Big Steppers' de forma impactante

Atualizado: 29 de ago. de 2022


Crédito: Renell Medrano

Kendrick Lamar é um dos grandes nomes da história do Rap e Hip Hop. Desde seu primeiro trabalho lançado ele trouxe personificação aos gêneros musicais ao agregar elementos poéticos e jazzísticos inspirados no genial trompetista Miles Davis. Com letras altamente embasadas com a realidade, sempre abordando críticas sociais e fatos do nosso cotidiano. Não teria momento mais oportuno para Lamar quebrar seu silêncio e sair das sombras com sua música poderosa e contextualizada com os sentimentos da nossa atualidade.


'Mr. Morale & The Big Steppers' abre um novo conceito na obra de Lamar e amplia seu repertório após o elogiado 'DAMN' 2017, que o consagrou com o prêmio Pulitzer em 2018. O novo disco deixa nuances de familiaridade com rappers como Tupac Shakur, The Notorious Big e Jay Z e outros. Segundo o rapper Eminem, o novo disco de Kendrick o deixou de boca aberta e sem palavras.


Reverenciado por sua narrativa maturada, Lamar se tornou um ícone do Rap. Um homem místico que chega em 2022 com um registro duplo aguçando a imaginação do seu público em dois discos de nove faixas cada sobre filosofia e sobre o que é a vida no século XXI. Todo esse contexto faz de 'Mr. Morale & The Big Steppers' um álbum autobiográfico de um homem que sempre lutou e enfrentou de frente o racismo no mundo através de sua obra.


A capa do disco já traz toda essa abordagem impactante e catártica em um registro fotográfico apresentando Lamar com uma coroa de espinhos na cabeça ao lado de sua esposa e seus dois filhos. Como um Messias ostentando seus versos proféticos sobre as mudanças do mundo, a cultura do cancelamento, o capitalismo desgovernando, a pandemia do Covid -19 e a ausência do seu pai. Um dos registros mais densos e íntimos do músico.

O disco ainda traz parcerias inusitadas como Taylour Paige, Sampha, Kodak Black e Beth Gibbons. Acrescentando a atmosfera do álbum personalidades distintas, explorando perfeitamente cada tema em evidência.

Em "Father time" Lamar mergulha no sentimentalismo da ausência do seu pai. Uma canção que consegue expressar toda essa emoção de maneira muito bonita. “Worldwide Steppers" pode muito bem ser aqueles versos poéticos proferidos para seus filhos, uma canção muio bonita que ressalta as emoções e sentimentos do músico. "N95" é aquela faixa que chega com um balanço contagiante e uma letra altamente reflexiva.

"Mother I Sober" traz a colaboração de Beth Gibbons do Portishead e pode muito bem ser a faixa mais densa e profunda do disco ao tratar do assunto delicado da agressão sexual de sua própria mãe. Uma canção sobre os traumas e fragilidades da vida. Um porto seguro para raça negra. Uma experiência emocional e contagiante entre Lamar e suas origens.


"Silent Hill" consegue te mergulhar em uma profunda análise de vida do músico, um desabafo, um grito perante a multidão, a faixa possui uma ambientação eletrizante. Lamar é esse músico presente e contextualizado com os fatos do mundo, assim como faz na importante e necessária "Saviour" que fala sobre importância das vacinas para combater pandemias.


“Mr. Morale & The Big Steppers” pode ser definido como um depoimento de um artista que esbanja genialidade, criatividade e sentimentalismo em relação ao mundo. Sem medo de demonstrar seus sentimentos, fragilidades e emoções com uma autenticidade e personalidade admirável e respeitável.

 

Kendrick Lamar

'Mr. Morale & The Big Steppers'



Gênero: Hip Hop, Rap, Hip Hop Alternativo, Jazz Rap


Ouça: "Father time", "Worldwide Steppers", "N95" e "Saviour"


 

NOTA DO CRÍTICO: 8,5

 

Ouça no Spotify:






















 

Assista ao videoclipe de "N95"


 


134 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page