Tears For Fears quebra hiato e volta com o requintado e esperado “The Tipping Point”


O bom 'Everybody Loves a Happy Ending' de 2004 foi, até então, o último trabalho de estúdio do Tears For Fears um fantástico duo britânico que desde 1981 formado pelos músicos Roland Orzabal e Curt Smith trazem uma sonoridade com elementos de Rock, New Wave e Synth Pop, e excelentes discos que agitaram culturalmente os anos 80 e 90. Agora 18 anos depois, eles lançam 'The Tipping Point' seu novo e elegante disco que faz jus à sua ótima discografia.


Todo esse tempo de hiato foi devido diversos acontecimentos pessoais que atingiriam a vida dos músicos e, porque as músicas precisavam ser bem trabalhadas em suas complexidades particulares ao trazerem arranjos exuberantes, letras espetaculares e sonoridade exuberante, detalhe que torna o som do duo cativante. É evidente que o som da banda envelheceu muito bem e eles ainda estão em forma.

O novo disco é nostálgico, com todo aquele brilho referencial que nos remetem ao Pet Shop Boys, Depeche Mode, The Human League, New Order, Annie Lennox e A-ha.

Os britânicos demostram uma evolução satisfatória agradável e convidativa e isso pode muito bem conquistar novos fãs dessa nova geração e emocionar os antigos que estavam ali na espreita e ansiosos por um material inédito da banda. O sentimento que aflora com 'The Tipping Point' é acolhedor, terno e transmite felicidade ao se conectar novamente com a música Eletrônica e o Pop harmonioso e espetacular.


Com duração de aproximadamente 43 minutos e com 10 músicas presentes, o disco é pura emoção do início ao fim. “My Demons” apresenta uma sonoridade que remete aquela mistura hipotética da New Wave com o excelente eletrônico do Daft Punk através do som de muitos sintetizadores. "Break The Man" deslumbra uma sonoridade que lembra de forma respeitosa os excelentes instrumentais de Marconi Union com um som Pop que não perde sua energia boa de alto astral.


A faixa-título "The Tipping Point" tem um tom mais contido por ser uma forte canção com uma letra sensível. "End of Night" soa atmosférica e contagiante. Mas se deixe levar e se contagiar pela felicidade emanada em "Please Be Happy", ou mergulhe em uma nostalgia profunda com "Master Plan" aquela música que se encaixaria perfeitamente em algum filme com foco nos anos 80 e 90. O clima melódico da faixa que encerra o disco "Stay" pode muito bem ser uma canção reflexiva e impactante que diz muito sobre nossos tempos modernos. Mas a dupla também consegue soar suave, relaxante e dançante na empolgante "Long, Long, Long Time". A verdade é que se torna, impossível não voltar para o começo bonito feito de campos de acordes de violões e puro sentimentalismo da faixa "No Small Thing".


Um ótimo e bonito disco de uma dupla que continua a colher seus bons frutos e podem muito bem ser modernos. 'The Tipping Point' deixa aquela sensação de retorno aos clássicos 'Songs From The Big Chair' de 1985 e 'The Seeds Of Love' de 1989, considerados os melhores trabalhos da dupla. Elegante, urgente e original. Esse é o Tears For Fears e é tudo o que você poderia esperar deles.

 

Ficha técnica:

Nome: The Tipping Point

Artista: Tears For Fears

Gêneros Musicais: Rock, Pop Rock, Art Pop

Ouça: The Tipping Point, Break the Man, My Demons e Please Be Happy

Para quem gosta de: Pet Shop Boys, Depeche Mode, The Human League

Nota: 8,5


 

Ouça no Spotify:
















 

Assista ao clipe de "Break The Man" abaixo:


 

89 visualizações0 comentário