top of page

Joanna Sternberg entrega melodias sentimentais no intimista e bonito 'I've Got Me'

As canções são tristes, mas também são alegremente robustas e repletas de emoções.

Imagem Reprodução


Joanna Sternberg ficou conhecida por suas canções confessionais, que misturam o Folk com o Indie pop de maneira harmoniosa e profunda, resultando em um verdadeiro arsenal sonoro intimista e melancólico que cativou o público e a crítica. A compositora de Nova York começou a compor músicas no violão e piano no final de 2010 e eventualmente ganhou a atenção com sua bonita estreia com o debut ‘Then I Try Some More’, de 2019. Um trabalho que mergulhou de cabeça nos temas sobre desilusões e amarguras da vida cotidiana. O disco chamou a atenção, principalmente pelo single emotivo “This Is Not Who I Want To Be”. Seu segundo disco, intitulado ‘I’ve Got Me’, lançado em 30 de junho deste ano, segue como uma extensão aprimorada do trabalho anterior.


Algo que define e caracteriza o som de Sternberg é o fato de ser uma Multi-instrumentista autodidata. Ela começou aos cinco anos com aulas de pianos e hoje graduada pela Escola de Jazz e Música Contemporânea de Nova Iorque. O novo trabalho segue suas vertentes do Folk, com camadas jazzísticas cativantes. Em muitos momentos do disco é possível lembrar da sonoridade do Big Thief e até mesmo Scott Joplin e Charles Mingus. O disco abre com a cativante e melódica faixa-título, "I've Got Me", uma canção conduzida por belos acordes de violão que entrega o lado mais íntimo da compositora em versos poéticos como: "Eu tenho a mim pela manhã, eu tenho a mim à noite. Eu vou deixar que você seja, porque eu tenho a mim". Joanna canta, convidando o ouvinte para uma viagem imersiva e atmosférica pelos desalentos da alma.



Mesmo com a produção arrojada do experiente produtor Matt Sweeney (Adele, Jake Bug), o minimalismo e atmosfera caseira predominam, tornando o disco ainda mais aconchegante e agradável. Um bom exemplo disso é a bonita e atraente "People Are Toys To You", que emula perfeitamente aquela paisagem de um estúdio caseiro, músicas feitas com simplicidade da arte e a melancolia da alma. Lembra que mencionei o Big Thief? Essa faixa remete muito a eles. "Mountains High" é outro destaque e ponto alto da obra, uma canção embasada por um piano dissonante que ajuda Joanna entregar uma performance brilhante sobre os desafios diários de superar nossa própria escuridão.



Apesar dos temas densos abordados na contextualização do trabalho, o disco nunca soa sombrio e tenso demais. E muito disso vem dos arranjos e arquiteturas muito bem equilibradas e pensadas para entregar uma experiência imersiva e sedutora para o ouvinte. Preste atenção nos versos líricos de "I'II Make You Mine", onde a musicista canta sobre um amor impossível enquanto a melodia acústica embala o clima propício para a canção crescer e evoluir para o seu desfecho satisfatório. “Vou te fazer minha /Embora leve tempo/ Tempo que eu perdi“.


Embora o violão seja a base para a construção rítmica de 'I've Got Me', a maneira como Sternberg introduz outros instrumentos, como a guitarra, batidas de cordas e pianos, amplia seu processo criativo e o alcance da obra. As canções são tristes, mas também são alegremente robustas e repletas de emoções. O álbum deixa evidente o amadurecimento da artista e explora caminhos a seguir em um próximo trabalho, com sua paleta musical deliciosamente fora de sintonia com o tempo.

 

I've Got Me

Joanna Sternberg


Lançamento: 30 de junho de 2023

Gênero: Indie, Folk, Bedroom Pop

Ouça: "People Are Toys To You", "Mountains High", "I've Got Me"

Humor: Introspectivo, Íntimo, Poético

Pra quem curte: Shana Cleveland, Big Thief, Jess Williamson


 

NOTA DO CRÍTICO: 8,0

 

Veja o clipe de 'I've Got Me':


31 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page