top of page

Em 'Oppenheimer', Christopher Nolan ousa e enaltece sua cinebiografia, um filme explosivo para 2023

Atualizado: 20 de jul. de 2023

Christopher Nolan usa vários artifícios que tornam essa película algo especial. Com seu jeito único de filmar, ele deixa as cenas extremamente imersivas e interativas...

(Universal Studios/Divulgação)


Desde o lançamento do filme 'Era Uma Vez em... Hollywood', do elogiado cineasta Quentin Tarantino, em 2019, criou-se uma moda em Hollywood onde resolveram fazer e lançar filmes retratando épocas e momentos marcantes da história da humanidade, como 'Mank', de 2020, que retrata a Hollywood dos anos 1930 e 1940. Ao mesmo tempo, têm feito muitos revivals, como o de 'Amor Sublime Amor', de 2021, continuações de filmes, como 'Matrix Resurrections', de 2021, e também cinebiografias, havendo entre elas as que são bem elogiadas, como 'Rocketman', de 2019, e outras péssimas, como "Blonde", de 2022.


Observando esse cenário, Christopher Nolan, renomado cineasta estadunidense, que é responsável por filmes bem-sucedidos como a trilogia do Batman, com Christian Bale interpretando o famoso herói, e 'Interestelar', que trouxe uma ficção científica estrelada por Matthew McConaughey com uma grande carga dramática. Diante disso, ele misturou as tendências de fazer filmes de cinebiografia com um que retrata um período temporal, para lançar em 2023 'Oppenheimer', uma produção que merece ser considerada uma das melhores e mais ousadas de Christopher Nolan. A trama traz aspectos explosivos, dramatização pontual, elenco incrível sem deixar de ser polêmico e perplexo.



Oppenheimer é um filme histórico de drama baseado no livro "Oppenheimer: O Triunfo e a Tragédia do Prometeu Americano", de Kai Bird e Martin J. Sherwin. A produção nos apresenta a história do físico estadunidense J. Robert Oppenheimer e seu grupo de cientistas que, durante a Segunda Guerra Mundial, fizeram o Projeto Manhattan, responsável por projetar e dar origem às primeiras bombas atômicas da história da humanidade. Entre essas criações, a arma nuclear foi responsável pelas tragédias nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, no Japão, em 1945.



Para compreender o filme de forma ampla, é necessário entender que ele se passa em um período da história do mundo onde é preciso entender o motivo da criação das bombas atômicas, independentemente de concordar ou não com a criação desse tipo de arma. Isso serve para mostrar que a Segunda Guerra Mundial foi um tempo extremamente árduo, tenso e triste para a humanidade como um todo. Sem essa compreensão, fica extremamente difícil a experiência de ver a película com mais clareza.


Christopher Nolan usa vários artifícios que tornam essa película bem especial. Com seu jeito único de filmar, ele deixa as cenas extremamente imersivas e interativas, fazendo o espectador adentrar na história com bastante profundidade. Ao trazer cores escuras em suas tensões e cores coloridas em momentos mais expansivos, mostra que ele é artístico e sabe transitar bem entre o cult e o contemporâneo com uma sutileza fantástica.



Outro detalhe está na escolha do elenco. Geralmente, para produções grandiosas como essa, o cineasta costuma convocar alguns atores e atrizes com os quais ele já trabalhou no passado. Aqui ele convocou, entre esses nomes, Matt Damon, com quem trabalhou em 'Interestelar' em 2014, Gary Oldman, com quem trabalhou nos seus três filmes do Batman, e Cillian Murphy, que é um antigo colaborador da cinebiografia de Christopher Nolan com filmes como 'Batman Begins' de 2005 e 'A Origem' em 2010. Ao mesmo tempo, abre espaço para novos colaboradores como Robert Downey Jr., Emily Blunt e Florence Pugh.


O elenco da película é gigantesco. Além dos nomes citados, tem também Rami Malek, Josh Hartnett, Emma Dumont, Dane DeHaan, Kenneth Branagh, Tom Conti e Josh Peck, sendo esse último reconhecido por ter feito parte do elenco da icônica série 'Drake & Josh', da Nickelodeon, nos anos 2000.


Cillian Murphy ganhou projeção quando fez parte do elenco dos filmes 'Extermínio', de 2002, e 'Batman Begins', de 2005, mas ganhou ainda mais destaque quando interpretou Thomas 'Tommy' Shelby, o protagonista das 6 temporadas da série 'Peaky Blinders'. Em todos os personagens que interpreta, o ator e cantor irlandês entrega-se de forma total e surreal, incorporando o personagem de maneira impressionante. Aqui, não é diferente. Mostra a frieza de sua criatura, que beira a admiração, o sentimentalismo que faz o espectador compreender seus sentimentos e o existencialismo de forma profunda ao trazer os dilemas e pensamentos de um homem considerado o 'pai da bomba atômica'. O filme mostra o que o levou a criar essa arma com sua equipe de cientistas, deixando perplexa sua conduta e analisando de forma extravagante suas polêmicas.


Outros destaques do elenco principal que podem ser analisados são as atrizes Emily Blunt e Florence Pugh, que fazem os interesses amorosos do personagem de Cillian Murphy. Enquanto uma (Emily Blunt) é uma renomada bióloga alemã chamada Katherine "Kitty" Oppenheimer, que chegou a formar uma família com o físico, a outra (Florence Pugh) interpreta Jean Tatlock, uma importante ativista e psiquiatra estadunidense que era membro importante do Partido Comunista dos Estados Unidos. As duas atrizes trazem tramas complexas e um desenvolvimento engrandecedor para suas respectivas personagens, o que torna admirável e amável a forma como conseguem desenvolvê-las, sem ser apelativo ou monótono, mas de forma intensa e ótima, merecendo reconhecimento como grandes estrelas em Hollywood e aplausos por seus papéis marcantes.



Robert Downey Jr., que interpreta "Lewis Strauss", mostra-se como um ponto importante para a história ao demonstrar o poder de seu personagem, que é presidente da Comissão de Energia Atômica dos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que desenvolve uma forte relação de amizade e confiança com o protagonista da película. Tom Conti chama a atenção com sua enorme semelhança com o ilustre físico alemão Albert Einstein, e Matt Damon faz uma atuação impressionante como Tenente-General Leslie Groves, mostrando seu poder de influência na vida de Oppenheimer para a construção do Pentágono nos Estados Unidos e o desenvolvimento do Projeto Manhattan.


"Oppenheimer" é um filme que merece ser assistido e divulgado à exaustão, não apenas por ser do diretor Christopher Nolan ou por ter o talentoso Cillian Murphy como protagonista. Mas para admirar uma produção que merece todos os elogios, por deixar boquiabertos com suas atuações, sons, filmagens, cores e imensidades que a tornam especial, ousada e admirada por trazer de forma muito bem-feita a mistura de gêneros ao apresentar e contar a história de um homem que ajudou na criação de algo assombroso para a humanidade.


Definitivamente, em uma única palavra, "Oppenheimer" é explosivo, no melhor sentido do uso dessa palavra.

 

Oppenheimer

Oppenheimer


Lançamento: 21 de julho de 2023 (Estados Unidos), 20 de julho de 2023( Brasil e Portugal)

Elenco: Cillian Murphy, Emily Blunt, Matt Damon, Robert Downey Jr., Florence Pugh

Gênero: Cinebiografia, Ficção Científica, Drama

Direção: Cristopher Nolan

Roteiro: Cristopher Nolan

Duração: 180 minutos (3 horas)


 

NOTA DO CRÍTICO: 9,0

 

Veja o trailer de "Oppenheimer":




558 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page