top of page

Em 'Ideias Para Adiar o Fim do Mundo' Ailton Krenak traz uma escrita ótima sobre proteção ambiental

“Nosso tempo é especialista em produzir ausências: do sentido de viver em sociedade, do próprio sentido da experiência da vida. Isso gera uma intolerância muito grande com relação a quem ainda é capaz de experimentar o prazer de estar vivo, de dançar e de cantar.” (Trecho do livro)

AILTON KRENAK - (Mathilde Missioneiro/Folhapress)


No Brasil, em 19 de abril, se celebra o Dia dos Povos Indígenas! A data foi criada em 1943 durante o Estado Novo que tinha Getúlio Vargas como presidente. Até 2022 essa data era conhecida como Dia do Índio e mudou de nome para Dia dos Povos Indígenas por meio de uma lei sancionada por Joenia Wapichana visando mostrar a diversidade da arte e cultura indígena no país.


Toda essa introdução é para introduzir e apresentar uma obra literária rica em conteúdo que é 'Ideias Para Adiar o Fim do Mundo' que tem Ailton Krenak como seu autor, sendo ele um dos mais respeitados indígenas do Brasil com seus vários livros que vão desde 'O Amanhã Não Está à Venda' até 'Futuro Ancestral' conquistando sucesso e admiração por conta de suas palavras e posições ambientalistas fazendo ser um nome de destaque tanto nacional como internacional. A obra literária é uma ótima porta de entrada para conhecer a escrita e os pensamentos desse importante nome cultural.



Em menos de 100 páginas, Ailton Krenak mostra suas críticas em relação ao comportamento humano diante do meio ambiente, na qual explica porque não gosta da ideia da humanidade separada da natureza e que essa separação é a principalmente causa dos desastres ambientais dos tempos atuais.


“Nosso tempo é especialista em produzir ausências: do sentido de viver em sociedade, do próprio sentido da experiência da vida. Isso gera uma intolerância muito grande com relação a quem ainda é capaz de experimentar o prazer de estar vivo, de dançar e de cantar.”

A obra possui uma escrita extremante reflexiva e uma narrativa envolvente que faz sentir tristeza por ser um livro extremante curto. Mesmo assim, ele consegue fazer a gente se comover e repensar sobre os cuidados que temos diante da natureza para deixar o planeta mais sustentável e protegido para todos vivermos de formas mais harmoniosas com seus recursos ambientais e menos doente com suas poluições ao propor para melhorar as ações que efetuamos no dia-dia.


Além disso, mostra como os indígenas cuidam muito bem da natureza e exalta bem a cultura deles ao mostrar que eles, assim como o meio ambiente, são extremamente importantes para o mundo com suas riquezas naturais em faunas e floras que embelezam seus habitats e demonstrar de forma enfática de que a vida não é uma mercadoria para preservar não apenas no tempo presente, mas também, para o futuro com enfoque de formalizar um cuidado mais atencioso para o que amamos.



'Ideias Para Adiar o Fim do Mundo' é um livro sensacional e básico que deveria estar em todas as estantes de livros existentes e repassar suas citações para as mais diversas gerações de pessoas visando exaltar positivamente a cultura indígena, reverenciar um escritor que mostra impactantemente os seus pensamentos, de preservar com medidas ambientais o planeta terra e compartilhar o conteúdo dessa obra literária rico em trazer consciências e experiências para expandir a mente para promover uma união entre as vidas humanas e as ambientais para garantir a sobrevivência e a compaixão de todos independente de tempo e espaço e melhorar cada vez mais os cuidados para proteger o meio ambiente com medidas e atitudes conscientes.

 

Ideias Para Adiar o Fim do Mundo

Ailton Krenak


País de origem: Brasil

Idioma: Português

Gênero literário: Escrita da natureza

Lançamento: 2019

 

NOTA DO LEITOR: 9,0

 

Descrição do autor:

Ailton Alves Lacerda Krenak, mais conhecido como Ailton Krenak, é um pensador, ambientalista, filósofo, poeta e escritor brasileiro da etnia indígena crenaque nascido no ano de 1953. É também professor Honoris Causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e pela Universidade de Brasília (UnB).

81 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page