top of page

'1984', um livro atemporal e influenciador de George Orwell que critica o uso do totalitarismo

Atualizado: 22 de mar. de 2023

"Poder é infligir dor e humilhação. Poder é estraçalhar a mente humana e depois juntar outra vez os pedaços, dando-lhes a forma que você quiser.” (Trecho do livro)

(BBC/Wikimedia Commons)


Ano de 1949 foi um ano com muitos eventos que chamaram a atenção do mundo. Houve o primeiro teste de uma bomba atômica na União Soviética. A Alemanha se dividiu em Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental. A TV Tupi (que foi a primeira emissora de televisão no Brasil) iniciou suas primeiras transmissões. William Faulkner ganhou o Prêmio Nobel de Literatura e um escritor britânico chamado George Orwell pública “1984”, um de seus mais famosos e divulgados livros, que faz refletir sobre o presente, passado e futuro de forma contundente e impactante. Nelas todas, exalta a qualidade da escrita e dos seus pensamentos.


“1984” retrata uma sociedade distópica que após vivenciar uma guerra global, semelhante ao que aconteceu na Segunda Guerra Mundial, o mundo passou a ser dividido em três continentes: Lestásia, Eurásia e Oceania, onde fica a cidade de Londres. E é nesse último lugar que está o grande líder desse período. Esse comandante possui o nome de Big Brother que usa seu poder para controlar tudo, inclusive o direito de ir e vir das pessoas, onde qualquer sinal de pessoa que pensa severamente contra o comandante é rigidamente punido.



Além disso, ele manipula as notícias a ponto de enviar pessoas para reescreverem os fatos históricos. É nesse momento que conhecemos Winston Smith, um funcionário do governo que altera o presente e o passado a mando do seu líder sem questionar a sua liberdade até conhecer e se apaixonar por Júlia, uma agente do governo que é contrária ao regime.


George Orwell faleceu 1 ano depois, em 1950, aos 46 anos. Infelizmente, ele não teve a oportunidade de, em vida, vivenciar a repercussão atemporal que conseguiu trazer, que foi: influenciar pessoas de todos os grupos ideológicos políticos (Esquerda, Centro e Direita) a terem a obra como referência, a trazer discussões sobre a importância da liberdade e do pensamento, a mostrar como a arte é importante não somente para entreter, mas também para refletir e exaltar de forma relevante a reflexão do mundo e das coisas.

Tudo isso por conta de um enredo muito bem construído, com uma escrita alucinante, fervorosa e interativa, deixando sua linguagem bem acessível a ponto de ele se encaixar perfeitamente quando se analisa de forma influenciadora o uso da tecnologia na vida das pessoas onde ela amiga ou inimiga, dependendo do jeito em que usufrui e consome, seja para se informar, usar como entretenimento, ser um artifício para conhecer e se relacionar com pessoas e muitos outros.



Seus personagens possuem carisma que nos fazem compreender e sentir seus sentimentos, angústias e até pensamentos que chega a ser forte e emocionante diante de mostrar a ruindade de um governo totalitário sem direito a liberdade e como isso interfere nos pensamentos e nas relações, principalmente amorosas, como se os governantes fossem um coletivo de paparazzis prontos para flagrar e registrar as intimidades dos seus cidadãos desde a hora de acordar até o momento de dormir ou mesmo observar os indivíduos através das câmeras como se fosse um Reality Show sem prêmios e permissão para filmar, mas, quando vê algo der errado estariam preparados para agir de forma violenta com eles não importando as suas origens, classes, nomes e até mesmo idade.


“1984” é um livro que todo mundo deve ler, porque George Orwell é um grande escritor, tendo outros livros excelentes como “A Revolução dos Bichos (Ou “A Fazenda dos Animais” dependendo da tradução)” de 1945 e “Na Pior em Paris e Londres” de 1933. A diferença entre essas obras é que “1984” conseguiu trazer uma história que, do início ao fim, deixa o leitor surpreso com sua linguagem que não se encaixa em nenhum campo ideológico existente, suas reflexões que são variadas e uma escrita aconchegante e feroz de um escritor que pensava além do seu tempo e observava as suas vivências e pensamentos como únicos que fazem jus a esse folhoso e fascinante ser com muitos méritos e homenagens na cultura pop como um dos melhores livros do século XX em diversas listas literárias.

 

1984

George Orwell


Gênero: Ficção Cientifica, Ficção Distópica, Ficção Cientifica Social, Ficção Política

Lançamento: 8 de junho de 1949

Número de páginas: 440

País: Reino Unido

Idioma original: inglês


 

NOTA DO LEITOR: 10

 

Descrição do autor:

George Orwell (1903- 1950) foi um dos mais famosos escritores ingleses do século XX. Foi um autor do modernismo, e suas obras apresentam uma linguagem marcada pela simplicidade e objetividade, o que acaba atraindo leitoras e leitores no mundo inteiro. Ainda assim, suas temáticas nunca se aproximam da banalidade.



179 visualizações0 comentário
bottom of page