top of page

Por meio de A Lonely Sinner, samlrc entrega um disco arrebatador, complexo e de narrativa cativante

Atualizado: 28 de abr.

A Lonely Sinner, seu mais recente álbum, é uma obra encantadora que navega por uma diversidade de paisagens musicais com habilidade excepcional.

samlrc
Foto: Bandcamp


Realizei uma busca por informações sobre uma artista que descobri recentemente e que eu admito que chegou a ser exaustiva, mas para minha surpresa, também descobri que muito pouco sobre ela está disponível online. No entanto, a escassez de informações não diminuiu o impacto que sua música causou em mim; pelo contrário, fiquei instantaneamente encantado. As melodias e harmonias que ela cria possuem uma qualidade única, envolvendo-me de maneira profunda e emocional, quase como se cada nota fosse uma espécie de abraço sônico confortante.


Basicamente, a única informação que consegui encontrar sobre ela estava em seu perfil no Bandcamp. Lá, Samantha, que adota o pseudônimo samlrc, se apresenta de maneira breve. Ela se identifica como uma artista experimental, um termo que carrega consigo uma amplitude de possibilidades e em muitos casos um convite à inovação. Este é aquele tipo de rótulo que embora não forneça detalhes específicos, sugere uma inclinação para romper com as convenções musicais e experimentar texturas, estruturas e sonoridades que podem ir além das expectativas.



A Lonely Sinner, seu mais recente álbum, é uma obra encantadora que navega por uma diversidade de paisagens musicais. O disco apresenta uma mistura rica de estilos e texturas, indo desde linhas melódicas delicadas e quase etéreas até seções mais densas e intensas, caracterizadas por influências, por exemplo, do post-metal e shoegaze. O álbum também reserva espaços para momentos de serenidade, com segmentos ambientais enriquecidos por melodias acústicas suaves. Esses trechos mais complacentes contrastam de forma marcante com as explosões mais vigorosas.


Algo que ajuda o disco a se tornar um material impressionante, é sua coesão. Apesar da diversidade de sons e estilos, ele entrega com clareza que cada um dos seus elementos foi cuidadosamente escolhido e orquestrado para coexistir harmoniosamente. Uma demonstração incrível de uma habilidade em balancear a fragilidade com a força, permitindo que elementos aparentemente conflitantes convivam em harmonia, complementando-se em vez de competir entre si, soando como uma verdadeira celebração da capacidade experimental de uma artista que sabe como manejar uma grande variedade de influências e inspirações.

 

A Lonely Sinner é um álbum arrebatador e complexo que por meio de uma narrativa requintada e cativante, submerge nas páginas de uma espécie de diário emocional, onde cada faixa conta a história de uma ovelha solitária em busca de sua redenção e realização pessoal. As melodias delicadas e os arranjos melancólicos estabelecem uma atmosfera de vulnerabilidade e autoconhecimento. À medida que o álbum progride, somos levados por uma montanha-russa de sentimentos amplos.

 


Cada música desempenha um papel vital na construção da paisagem sonora vasta e rica que define a essência do álbum como um todo, porém, claro que há os seus destaques. Philautia evoca uma atmosfera melancólica e introspectiva, suas texturas sonoras proporcionam uma sensação convidativa de exploração aos cantos profundos de uma experiência emocional. Tudo é carregado de nuances e sentimentos complexos, oferecendo do começo ao fim uma verdadeira viagem sônica envolvente e introspectiva.

 

Flower Fields é uma belíssima peça de piano ambiente que transmite uma atmosfera etérea e contemplativa. A melodia delicada e envolvente do piano cria uma sensação de tranquilidade, serenidade e paz. Porém, suas letras adicionam uma profundidade emocional intrigante, usando de metáforas e símbolos para explorar temas complexos como mortalidade, transformação e desejo. É aquele tipo de música de melodia onde a sonoridade suave do piano e as letras introspectivas criam uma experiência extremamente agradável.

 

Storge é outra exploração fascinante através do âmago de uma dramaticidade musical brilhante. Uma peça de paisagens intensas e camadas sonoras densas, onde o seu humor sombrio é fascinante. Quando a energia da música é amplificada de forma impetuosa, tenho que admitir que não vou me lembrar da última vez que me arrepiei tanto ouvindo algo. Uma bela harmonia para expressar temas como a coragem, ambição e enfrentamento dos medos que podem nos impedir de alcançar nosso potencial de forma plena.


Tudo bem que o seu conceito acontece com base na perspectiva de uma ovelha, mas eu peguei essa ideia e a trouxe para a minha própria existência, o que acredito que também seja um dos objetivos do álbum, permitir justamente que o ouvinte se identifique e interprete as narrativas de forma pessoal, aplicando essas ideias ao contexto da sua própria vida, afinal, o disco não apenas conta uma história, mas parece incentivar uma reflexão individual.



Como mencionei, todas as faixas tem seus próprios méritos e contribuem para a criação de um disco extremamente coerente, onde cada uma de suas melodias abraçam de forma condizente suas narrativas. É evidente como cada composição foi cuidadosamente trabalhada para garantir uma harmonia musical que ecoa perfeitamente a intenção e visão por trás de todas as ideias pensadas em relação ao álbum. A Lonely Sinner é simplesmente sublime.

 

A Lonely Sinner

samlrc


Ano: 2024

Gênero: Post-Rock, Post-Metal, Música Ambiente, Shoegaze

Ouça: "Philautia", "Flowerfields", "Stoge", "Form M"

Pra quem curte: Have a Nice Life, Sonhos Tomam Conta, Lift to Experience


 

NOTA DO CRÍTICO: 10

 

Ouça "Storge"


290 visualizações0 comentário

Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page