Linn da Quebrada canta 'Trava Línguas' um disco ousado e corajoso



A multiartista Linn da Quebrada lançou esse ano o seu segundo disco 'Trava Línguas' (2021), trabalho chega quatro anos depois do disco Pajubá (2017), álbum que marcou a estreia da cantora e compositora. 'Trava Línguas' se comporta como um berço de ondas sonoras movidas pelo frescor da MPB, pelo ritmo da música eletrônica e experimental, com uma boa pegada no Rap. Um disco ousado e marcado pelo processo artístico, inventivo e criativo. Algo que enaltece o charme da obra e a torna convidativa para audição. Totalmente diferente de tudo que a cantora já fez, um trabalho inovador, belo e conciso, feito de processos performáticos, como se Linn estivesse imersa totalmente em outro mundo

A expressividade de Linn é urgente e pulsante. Sua música narra as vozes de milhares de mulheres que vivem nesses quatro cantos do Brasil.

Trava Línguas da voz e poder para os sons das palavras, e realmente trava a língua, uma experiência musical difícil de colocar em palavras. “Amor, Amor” faixa que abre o disco cria uma conexão com toda a obra. Uma letra escrita pela amiga Castiel Vitorino Brasileiro: psicóloga e artista visual. A canção fala sobre o amor e suas reviravoltas, suas ações e contradições. Uma música com uma levada latina, moderna e brasileira.


Cobra Rasteira” traz uma sonoridade moderna, com ótimas guitarras, algo meio voltado para MPB, me lembrou “Menina Veneno”. Uma música que fala sobre você ser você mesmo. “Quem Soul Eu” faixa que encerra o disco, fecha essa conexão de forma magistral. Uma canção que fala sobre você saber quem você é, e de onde você veio. Algo primordial para se renovar como pessoa. Tudo tem um início, meio e fim. Tipo algumas coisas precisam acabar e morrer, para um novo eu renascer. A faixa "Onde" disserta sobre os tempos da escravização da população negra. Uma canção para sempre lembrar de nossa origem, batalhas e lutas, pode até funcionar como uma bússola que sempre irá apontar para nosso corpo e alma. A sonoridade passeia pelo Footwoork e de acordo com a cantora, era algo que ela sempre teve vontade de trazer para sua música.


Em "Pense & Dance" o sentimento de saudade toma conta e te faz um convite para colocar os pés firmes no chão e seguir seu caminho emanado de potência e criatividade. Essa é daquelas faixas feitas para serem cantadas ao vivo. Vai soar muito bem em um show. "Tudo" é sobre fragilidade e coragem. É sobre não ter medo de arriscar ou experimentar. Nessa vida não temos nada a perder, se nós erramos hoje, podemos acertar amanhã. Linn faz das palavras algo extremamente importante e complexo. Mais um disco potente, urgente e necessário nesses tempos sombrios. Feito e cantado por uma mulher de fibra.

 

Ficha Técnica:

Trava Línguas

Artista: Linn da Quebrada

Lançamento: 16 de julho de 2021

Gênero: MPB, Pop e Funk

Ouça: "Amor, Amor", "Cobra Rasteira" e "Quem Soul Eu"

Para quem curte: Juçara Marçal



 

Ouça no Spotify:


 

Veja o vídeo de "Eu Matei o Junior" abaixo:



 

Sobre Marcello Almeida

É editor e criador do Teoria Cultural.

Pai da Gabriela, Técnico em Radiologia, flamenguista, amante de filmes de terror. Adora bandas como: Radiohead, Teenage Fanclub e Jesus And Mary Chain. Nas horas vagas, gosta de divagar histórias sobre: música, cinema e literatura. marce.almeidasilvaa@gmail.com

 

47 visualizações0 comentário