top of page

Encontros e Desencontros, de Sofia Coppola, permanece fascinante; um filme íntimo e primoroso

Sofia criou uma atmosfera agridoce sobre a solidão que habita em cada um de nós, com total primor e suavidade.

Scarlett Johansson e Bill Murray Fotografia: Yoshio Sato/AP


'Encontros e Desencontros' (Lost in Translation), é aquele filme dosado por uma narrativa equilibrada entre humor, drama e ótimos diálogos. Sofia Coppola criou uma atmosfera comovente e melancólica que acaba atuando como uma vitrine para Bill Murray e Scarlett Johansson brilharem o tempo todo na tela. Bob Harris (Bill Murray) é um ator solitário; Charlotte (Scarlett Johansson) uma moça recém-casada em conflito. Ambos se encontram em Tóquio. Bob está lá para filmar um comercial de uísque japonês; Charlotte está acompanhando o marido, um fotografo de celebridades.


Dois estranhos, em uma terra estrangeira, com fuso horário diferente, os dois acabam encontrando um no outro uma distração, uma fuga e compreensão diante das luzes brilhantes de Tóquio, e acabam criando um vínculo improvável, quanto sincero e significativo. A partir desse ponto, somos totalmente tragados para dentro de uma obra maravilhosa e primorosa: um filme maduro e honesto sobre encontrar uma conexão diante da solidão. E isso tudo se passa diante das belas imagens e fotografia de Tóquio, cenários que, ao lado de uma improvável amizade, se fundem em algo comovente e prazeroso.



Imagine um diário de viagem sem a estrada; um romance sem consumação. ‘Encontros e Desencontros’ é cheio de ótimas contradições, uma comédia sobre a solidão e melancolia que acena como uma peça de humor em total sintonia e equilíbrio. Existem nuances pungentes em cada dialogo entre Charlotte e Bob que, após todos esses anos, mesmo depois de assistir, reassistir e revê-lo trocentas vezes, permanecem fascinantes; e não resta duvidas de que Sofia Coppola é uma cineasta com uma visão própria. O longa foi seu segundo filme; ela soube peneirar muito bem e explorar cada fragmento de relacionamentos um tanto delicados e as frustrações que eles trazem consigo, daquelas que habitam no silêncio da alma.



Com isso, ela consegue criar uma atmosfera agridoce sobre a solidão que habita em cada um de nós, com total primor e suavidade.

Sofia Coppola criou um marco da cultura pop, um filme engraçado, incrivelmente comovente e romântico de forma inesperada, tornando-o aparentemente simples - além de extremamente contemporâneo e incrivelmente sedutor.



Um longa que trata de maneira honesta e verdadeira os laços de amizades, companheirismo e o lado saudável e prazeroso de uma relação, ao mesmo tempo que consegue ser divertido, é um filme que extrai inúmeros sorrisos do telespectador. Assuntos sérios e tão recorrentes em nossos dias atuais são tratados com empatia e humor. Murray e Scarlett estão fenomenais, uma química apaixonante, onde não poderia faltar uma trilha sonora à altura.

Os encontros e desencontros de Bob e Charlotte na grande Tóquio são embalados por canções de Kevin Shields (My Blood Valentine), o músico contribuiu com quatro canções originais e próprias para o filme: sendo “City Girl”, “Goodbye”, “Ikebana” e “Are You Awake”. Além disso, a trama ainda conta com “Too Young” do Phoenix; não poderia faltar uma canção da banda em um filme de Sofia, né? “More Than This” do Roxy Music também embala a trilha sonora do casal. A linda "Just Like Honey" do Jesus and Mary Chain despedaça o coração no final emblemático e realista. A junção perfeita de duas obras que se conectam feito mel, "Sometimes" do My Bloddy Valentine, também ajuda a impactar momentos adoráveis. Onde podemos acompanhar a evolução desses personagens carismáticos que, no fundo lutam por suas vidas deprimentes, enquanto seus problemas são exacerbados pelas noites luminosas de Tóquio.




'Encontros e Desencontros', traduz perfeitamente a aquela sensação de estar em um lugar no momento certo, mas no tempo errado, se é que me entendem? Como todos os filmes de Sofia Coppola, essa história é linda, íntima e hipnotizante. Visualmente deslumbrante, com uso certeiro e brilhante da música que ajuda a intensificar cada cena, momento, troca de olhares, até mesmo quando os dois estão submersos em profundo silêncio. Um filme para guardar no coração. Daqueles encontros e desencontros que a vida nos proporciona e só vamos entender tempos depois. Às veze pode durar o tempo de uma canção pop, mas ficará gravado na memória eternamente.

 

Encontros e Desencontros

Lost in Translation


Ano: 2003

Gênero: Drama, Comédia Romântica

País: EUA

Direção: Sofia Coppola

Roteiro: Sofia Coppola

Elenco: Bill Murray, Scarlett Johansson e outros


 

NOTA DO CRÍTICO: 9,0

 

Trailer:


 

Trilha sonora:


bottom of page