Confira o primeiro trailer instigante da cinebiografia de 'Elvis' de Baz Luhrmann


O primeiro trailer oficial da cinebiografia de Elvis Presley de Baz Luhrmann foi lançado – você pode assistir abaixo.


O filme vai mergulhar no relacionamento do Rei do Rock and Roll com seu empresário, o Coronel Tom Parker (interpretado por Tom Hanks), que se estende por mais de 20 anos, desde a ascensão do ícone do rock and roll à fama até seu estrelato sem precedentes, tendo como pano de fundo a evolução cultural e a perda da inocência na América.

Além de Hanks, Austin Butler (Era Uma Vez… Em Hollywood) vai estrelar como Elvis, Olivia DeJonge vai viver a esposa do falecido músico Priscilla Presley, enquanto Kelvin Harrison Jr. assumirá o papel de BB King.


Como esperado de Luhrmann – responsável por filmes como Moulin Rouge! , O Grande Gatsby e Romeu + Julieta – o primeiro trailer mostra um espetáculo em tecnicolor, repleto de cenários atraentes, figurinos vibrantes e edições extravagantes.


Parcialmente narrado por Hanks' Parker, retrata mais do que apenas o lado musical de Elvis: o filme vai dissertar sobre o destino do Rei, alusões à trágica morte de Presley aos 47 anos, e há um elemento de teor social e político – as mortes de JFK e Martin Luther King Jr... também são abordadas no longa.


O filme chega aos cinemas em 24 de junho, você pode dar uma olhada em Elvis abaixo:

Escrito por Luhrmann e Craig Pearce, os responsáveis ​​pela produção de Elvis incluem Luhrmann, Catherine Martin, Gail Berman, Patrick McCormick e Schuyler Weiss. Andrew Mittman é o produtor executivo do filme.


Enquanto isso, no ano passado, foi revelado que Freddie Mercury escreveu sua música de homenagem a Elvis Presley no banho em 10 minutos, de acordo com seus companheiros de banda do Queen, Roger Taylor e Brian May.


"Crazy Little Thing Called Love" foi lançada em 1979, dois anos após a morte da estrela norte-americana aos 42 anos.

Durante um episódio de Queen The Greatest, que relembra a carreira da banda, Taylor e May relembraram as origens de "Crazy Little Thing Called Love" e seu impacto no grupo.


Em outro lugar, um biógrafo de Elvis Presley afirmou que a lenda do rock and roll morreu não porque ele era um viciado em drogas, mas, porque ele tinha genes ruins.

 



44 visualizações0 comentário