top of page

Com 'Rita Lee' de 1980, Rita mostra suas garras rumo a um caminho de sucessos inesquecíveis

Com 8 faixas e menos 40 de minutos de duração, temos um som esplêndido e contagiante do início ao fim com direito à sucessos inesquecíveis da vida cantora paulista.

(crédito: PATRICIA CECATTI / Divulgação)


Quando Rita Lee saiu da banda Os Mutantes e se divorciou de Arnaldo Baptista, muitos se perguntaram, seja o público ou a crítica na época, se ela conseguiria inovar. Felizmente, ela conseguiu. Sua carreira solo é extremamente rica e grandiosa, recheada de clássicos, seja em parceria com Roberto de Carvalho, seu eterno amor e talentoso compositor e multi-instrumentista, ou com a banda Tutti Frutti, que a acompanhou durante os anos 1970. Por isso, não é fácil escolher um trabalho para resenhar. No entanto, há um que foi um verdadeiro divisor de águas: "Rita Lee" de 1980, onde ela mostrou suas garras e forças para trilhar o caminho da música brasileira com um rock excelente e forte influência pop. Neste texto, descreverei esse álbum com paixão.


Lançado em setembro de 1980, ele é o segundo trabalho de Rita Lee em parceria com Roberto de Carvalho. Nesse ano eles estavam casados há 3 anos, com turnê e vendagens boas do disco “Rita Lee” de 1979 e com inspiração extremamente alta, deixando caladas as pessoas que acharam que seu som fosse ser algo passageiro e não ficaria como algo marcante na música brasileira a ponto de preferirem olharem torto para sua carreira que estava se restabelecendo de uma forma ótima após ter sido presa em 1976 e ter dado para sua amiga Elis Regina gravar o hit "Alô, Alô Marciano" que faz parte do disco “Saudade do Brasil” de 1980.



Com 8 faixas e menos de 40 minutos de duração temos um som esplêndido e contagiante do início ao fim com direito a sucessos inesquecíveis da vida da cantora paulista. “Lança Perfume” é a música de abertura que fez o disco ser cheio de lirismo e sonoridade com um acolhimento muito forte, um aspecto dançante e ser coberto de um romantismo bonito, cativante e solar.


“Baila Comigo” é uma faixa que foi produzida, segundo o livro “Rita Lee: Uma Autobiografia”, em cinco minutos através de um sonho. Quando se ouve ela você sente como se ela fosse de um sonho por ter um esplendido som orquestrado que deixa um aspecto bem contagiante, uma suavidade vocal bem presente e um lírico romântico e simplista que pode soar perfeitamente como uma música de baile ou mesmo para desfrutar em outros momentos da vida que deixam o coração aquecido e a alma leve.


“Caso Sério” pode ser definido como um bolero com toques sensuais, seja pela maneira de cantar, seu lírico ou seu instrumental envolvente que deixa qualquer um suspirando por um amor de teor quente ao imaginar o que seria um sanduíche de gente e deixar os ouvidos empapuçados de amor com seu envolvimento espetacular que fazem essa letra e música combinarem perfeitamente.


“Bem-Me Quer” e “Shangila” possuem tons românticos e tem seus aspectos dançantes que trazem mais vibração, sentimentalismo e cor para esse grandioso trabalho.


“Ôrra meu!” é um Rock bem elétrico e explosivo que traz um gás sonoro sensacional. Detalhe importante é que essa música fez parte do vídeo de encerramento da MTV Brasil em 30 de setembro de 2013. E através desse fato vemos o quanto que a musicista foi atemporal ao usar de uma gíria e também se inspirar em outros acontecimentos para trazer um dos primeiros hinos do então BRock dos anos 1980, com um som de característica de festa sem perder a essência roqueira de poder se indignar quando é preciso, se emocionar quando é o momento e se divertir quando lhe convém.


“Nem Luxo, Nem Lixo” possui um som envolvente e uma letra filosófica, existencial e sentimental, algo avassalador ao trazer mortalidade e imortalidade em versos clássicos com um som sensacional que faz o ouvinte querer dançar com sua calmaria. “João Ninguém” chega com um som raivoso e uma crítica ácida ao João Figueiredo que na época era presidente do Brasil e posteriormente o último militar a estar no comando do país que ficou nos 6 últimos anos da Ditadura Militar que teve seu fim decretado com a eleição de Tancredo Neves em 1985.


“Rita Lee” de 1980 ou simplesmente conhecido como “Lança Perfume”, é um dos melhores discos da carreira solo da Rita ao mostrar o quanto ele é um trabalho importante e amado no pop brasileiro e na música brasileira ao destacar que não há nenhuma pasteurização, ter reconhecimento internacional ao servir como influência de sons com referências da New Wave até menções roqueiras que ajudariam a consolidar no Rock no Brasil durante a década de 1980, trazendo para a MPB um som rico de letras espetaculares e sucessos atemporais onde o disco todo é um deleite cultural de alta qualidade ao dar um verdadeiro “tapa na cara” dos maus olhos, abraçando olhares que viram e ouviram uma artista que soube inovar e se aperfeiçoar olhando sempre com carinho para presente e o futuro com personalidade.

 

Rita Lee (Lança Perfume)

Rita Lee


Lançamento: 1980

Gênero: Rock, MPB, Pop Rock

Ouça: "Lança Perfume", "Caso Sério", "Baila Comigo", "Ôrra Meu!"


 

NOTA DO CRÍTICO: 10

 

Veja o videoclipe de "Lança Perfume":


131 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page