top of page

"Camila, Camila" do Nenhum de Nós: um manifesto contemporâneo contra o abuso e a violência sexual

Presente no álbum lançado em 1987, a criação da música foi motivada pela história verídica de uma colega de escola dos membros da banda.

Imagem Reprodução


Quando o tema do abuso sexual de crianças e adolescentes era praticamente inexplorado no Brasil, a banda Nenhum de Nós ousou tratar desse assunto nos anos 80 por meio da emblemática canção "Camila, Camila". Hoje, essa faixa é considerada um clássico do cenário do rock nacional. Em entrevistas na época, o líder vocal e autor da letra, Thedy Corrêa, disse que sentiu a necessidade de abordar um tema ainda um tanto delicado e tabu para época. A ideia por trás da letra imprime a paisagem de conscientizar contra a violência sexual.


Presente no álbum lançado em 1987, a criação da música foi motivada pela história verídica de uma colega de escola dos membros da banda. Embora o nome dela não fosse Camila, aos 17 anos ela passou por um relacionamento abusivo. Apesar dos integrantes serem todos do sexo masculino, eles descrevem a composição como uma maneira de cultivar empatia e buscar compreender os sentimentos da vítima.



O enigma por trás dessa situação serviu como o ponto de partida para a composição da música, que procurava dar voz à violência contra a mulher. Daí emergem os versos que fazem referência aos "olhos insanos" e à "vergonha do espelho naquelas marcas", enquanto a melodia evoca a tristeza e a indignação.


"Camila, Camila" marcou o primeiro grande sucesso da banda. A faixa desempenhou o papel crucial de introduzir o grupo no cenário profissional do rock durante a segunda metade dos anos 80, mesmo com apenas seis meses desde a sua formação.



Uma canção intemporal, que continua tão atual e presente em nosso cotidiano. Abordando a situação sob a perspectiva da vítima, ela desvela esses sentimentos por meio de versos imortais.


“A lembrança do silêncio daquelas tardes A vergonha no espelho naquelas marcas Havia algo de insano naqueles olhos Olhos insanos Os olhos que passavam o dia a me vigiar, a me vigiar…

Eu que tenho medo até de suas mãos Mas o ódio cega e você não percebe Mas o ódio cega” (Camila, Camila)



Sobre o processo de criação da música Thedy explica: "Quando escrevemos Camila, jamais esperávamos que fosse fazer tamanho sucesso – até mesmo pela temática complicada. Quando ela estourou, a questão se tornou uma constante em nossas entrevistas, e isso foi fantástico para que se abordasse o tema entre o público jovem."


A música serve como um lembrete de que Camila era uma jovem de 17 anos, confrontada com uma situação da qual não compreendia a melhor forma de reagir. Paralisada pelo medo e incapacitada de solicitar auxílio, ela se viu cedendo, resignando-se, e nesse ciclo contínuo, o tempo seguia adiante, perpetuando a mesma triste narrativa.




Onde denunciar casos de abuso e violência infantil ?

  • Polícia Miliar - 190: quando a criança está correndo risco imediato

  • Samu - 192: para pedidos de socorro urgentes

  • Delegacias especializadas no atendimento de crianças ou de mulheres

  • Qualquer delegacia de polícia

  • Disque 100: recebe denúncias de violações de direitos humanos. A denúncia é anônima e pode ser feita por qualquer pessoa

  • Conselho tutelar: todas as cidades possuem conselhos tutelares. São os conselheiros que vão até a casa denunciada e verificam o caso. Dependendo da situação, já podem chegar com apoio policial e pedir abertura de inquérito (Via g1)

240 visualizações0 comentário
bottom of page