top of page

Terror Slasher nacional Já Estou Te Vendo convence e deixa mensagens mesmo copiando suas influências

Com um visual moderno, diálogos ágeis e um elenco praticamente jovem, o diretor cria fortes cenas de tensão.

Foto: Divulgação


Dia 16 de Agosto estreou nas plataformas digitais o filme Já Estou Te Vendo. A produção tem o roteiro/direção de Rafael Zanesco e ela pode ser incluída no Gênero Terror Slasher. Zanesco é formado em Cinema pela Universidade Anhembi Morumbi. Está no mercado audiovisual há mais de 10 anos, começando a realizar curtas-metragens quando ainda tinha 13 anos. Desde jovem, um apaixonado pela arte. O diretor também é fundador da Produtora Hipnóticos.


O Cinema nacional tem merecido atenção tanto dentro como fora do Brasil, e, com o passar dos anos, buscou inovações tecnológicas e um nivelamento com produções estrangeiras. Diretores consagrados e mesmo novatos tem mostrado ideias interessantes e, quando falamos do Terror, esse gênero ainda não é tão discutido por cinéfilos brasileiros e geralmente passam até despercebidos.



Um casal com um bebê recém-nascido chega feliz em casa. Entretanto, o sossego termina quando a esposa recebe um telefonema estranho e um suspeito ronda a vizinhança. Depois de um evento trágico e pesado, o espectador é levado para 20 anos adiante onde irá conhecer Letícia (Karina Brunel), uma jovem que vive com sua mãe e uma prima numa residência de luxo. A rotina tranquila de Letícia se desmorona quando a prima é sequestrada.


Ponto negativo é que a película tem um início lotado de tensão e suspense, uma metade arrastada e volta a ficar bem interessante nos minutos finais com alguns mistérios sendo solucionados, com passado e presente se interligando na narrativa. O choque chega de diversas formas, seja pela mudança de comportamento de alguns personagens, do encontro inesperado entre vilão e vítima, das verdades que nos são reveladas.


Mas o filme funciona dentro da proposta de Terror experimental e de baixo orçamento (lembre-se, não exija efeitos espetaculares). Claro que as mensagens que ele oferece não são perdidas. O mau uso da internet e a cruel rede de sequestro/tráfico de crianças que ainda existe em nossa sociedade. Também não falta uma crítica à ilusão de que estamos mais seguros trancados em casa do que expostos nas ruas.


As homenagens ao Terror Slasher 80/90 encontram um bom lugar aqui. Zanesco sofreu forte inspiração de clássicos do gênero como Pânico (1996) e Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado (1997). O suspeito mascarado cuja identidade estamos curiosos para desvendar, requintes de brutalidade, um rastro de vítimas, a tensão aumentando gradativamente.



Com um visual moderno, diálogos ágeis e um elenco praticamente jovem, o diretor cria fortes cenas de tensão, embora use de velhos clichês do gênero: a porta que encontramos aberta, barulhos, pegadas pela casa, a rua deserta. Outra coisa perturbadora é que, em algumas cenas, presenciamos a visão em primeira pessoa do suspeito, ofegante, pronto a atacar. A ansiedade de qual será seu próximo passo causa mais clímax.


A trilha sonora também contribui para acrescentar tensão, sobretudo quando o personagem sabe que alguém está lhe observando. Uma sonoplastia bem cuidada que engloba desde pios de coruja até uso de sintetizadores (por vezes com sons estranhos para dar mais pavor e angústia ao que ocorre na tela).


O espectador que presta atenção em objetos e detalhes pelos cenários conseguirá ligar alguns fatos, conseguindo juntar as peças nos minutos finais. As cenas que Letícia precisa desafiar sua angústia e sua repentina agorafobia causam temor, ao mesmo tempo nos tornam cúmplices da persistência da personagem em encarar seus medos e culpas.

Com um final em aberto embora entregue algumas respostas (veja a ótima cena pós-crédito), Já Estou Te Vendo é um filme que nos deixará grudados até o desfecho. Pode não ser tão criativo, copiar filmes do passado e basicamente possuir uma trama adolescente, em contrapartida, nos dá medo pela questão de que a criatura mais temida ainda é o homem.



Pode ser alguém que te vigia do outro lado da rua, pode ser a pessoa que já entrou em sua casa sem você saber e até mesmo alguém que lhe passa confiança pela internet. Zanesco sabe usar de sua ficção para nos alertar sobre uma realidade que é sempre bom ter certas precauções.

 

Já Estou Te Vendo

Já Estou Te Vendo


Ano: 2023

País: Brasil

Gênero: Terror, Slasher

Direção: Rafael Zanesco

Roteiro: Rafael Zanesco

Elenco: Bruno secco, Dai Bugatti, Fabiana Daud, Jarla Zimmer, Raul Dimas

Duração: 102 min.


 

NOTA DO CRÍTICO: 7,0

 

Onde ver:

Aluguel



 

Trailer:




416 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page