top of page

Sleep, And I Will Sing é o Motorama concretizando seu Pós-Punk Revival que vai além da Rússia

Motorama chega a mais uma década mostrando que a Rússia pode figurar dentro do cenário musical mundial.

Foto: Divulgação


Foi durante a década de 2000 que o Motorama surgiu. Ainda bem tímido, não tão cercado de estardalhaço. Entretanto, o começo de uma nova era para o grupo só iria começar em 2010, com o lançamento do début “Alps”. Um olhar mais atento para a banda veio a se intensificar principalmente com a chegada do segundo trabalho, “Calendar” (2012).


Seguindo por um Pós-Punk Revival e New-Wave 80’s, as influências do Motorama são variadas e muito do grupo nos remete a grandes nomes musicais como The Chameleons UK, Wire, The Church, entre outros. Claro que não podemos deixar de citar outros soviéticos que foram responsáveis por colocar o país na rota do Pós-Punk, exemplo dos enérgicos grupos Kino e Zvuki Mu.



Até então, esse Pós-Punk Revival virou modismo, sobretudo se pensarmos que de uns 20 anos pra cá muitas foram as bandas que optaram por esse caminho. Entretanto, no meio de tantos grupos fiéis ao gênero surgidos de forma predominante na Inglaterra e Estados Unidos, não é algo tão comum ver algum grupo saído da Rússia que alcançasse logo sucesso pelo mundo e não apenas em território russo.


Acostumado a compor trabalhos curtos e melodias ágeis, Motorama não precisa de muito para transmitir seu recado. Trazendo sempre aberturas convidativas e grudentas, com o novo disco “Sleep, And I Will Sing” não é diferente. Caso de ‘Two Sunny Days’ com sua guitarra dedilhada bem inspirada pelas músicas do The Smiths.

A suave flauta que abre ‘Next To Me’ entrega um Pop-Rock mais suave e melancólico, menos denso nos instrumentos. ‘Twilight Song’ demonstra como o grupo sofreu forte influência do Joy Division, até mesmo na forma que o baixo e a bateria são tocados. Sim, os dois instrumentos citados anteriormente também recebem um destaque apropriado nesse álbum e são importantes para a construção melódica de ‘And, Yes’.





O sintetizador que, gradualmente, veio fazendo parte da discografia da banda aqui fica muito bem inserido na faixa ‘Unknown’. E tudo sem perder o gosto de Pós-Punk Revival que a banda sempre cumpriu fazer. O fechamento do disco com ‘Dreams’ traz uma batida mais rítmica e menos crua, também ganha um clima que flerta com a Eletrônica, embora isso fique bem sutil.


Motorama chega a mais uma década mostrando que a Rússia pode figurar dentro do cenário musical mundial. Embora a sonoridade dos russos seja pasteurizada e reciclada, isso não é de todo ruim num gênero que tenta resgatar os 80’s/90’s e nem precisa fugir muito dessa ideia. Quando o disco convence e representa uma paixão de criar música, faz bem a alma e aos ouvidos, caso de “Sleep, And I Will Sing”.

 

Sleep, And I Will Sing

Motorama


Lançamento: 17 de maio de 2023

Gênero: Pós-Punk Revival, New Wave

Ouça: "Two Sunny Days", "Next To Me", Dreams

Humor: Agridoce, Nostálgico, envolvente


 

NOTA DO CRÍTICO: 7,0

 

Escute ‘Two Sunny Days’:



61 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page