Paris, Texas: Uma narrativa sobre solidão, estradas, encontros e desencontros.




Road Movie, é um gênero cinematográfico onde sua narrativa se desenvolve por estradas, influenciando os personagens e a história do filme. Geralmente são obras que possuem importantes nuances e com isso fazendo o espectador refletir e se emocionar como se estivesse diante de um novo "sabor de sorvete", um tanto misterioso e, ao mesmo tempo, impactante, ao ponto de deixar a alma emocionada. E se tem um filme de Road Movie nesse estilo é 'Paris, Texas' de 1984, um verdadeiro clássico da Sétima Arte, sinônimo de pura beleza expansiva com suas estradas fascinantes, seus encontros impactantes e sem falar em sua narrativa que é simplesmente imperdível e reflexiva.


'Paris, Texas' é um filme franco-germânico de 1984 de Drama e Road Movie dirigido pelo cineasta alemão Wim Wenders, que conta a história de Travis (Harry Dean Stanton) um homem de meia-idade de expressão cansada que se encontra andando sem destino pelo sul dos Estados Unidos, com uma súbita perda de memória. Travis é encontrado pelo seu irmão Walt(Dean Stockwell) e após isso ele vai embarcar em uma jornada por redenção em busca de reencontrar os laços familiares junto de seu filho Hunter(Hunter Carson) e sua esposa Jane(Nastassja Kinski).

Uma história gratificante de distâncias, separação e, finalmente, de oportunidades renovadas. Robby Muller demonstra um imenso amor e fascínio pela terra-como se sua educação europeia o tivesse deixado com um pouco de inveja dos espaços abertos.

O filme é uma verdadeira obra de arte e isso se deve à direção de Wim Wenders que fez cada cena parecer uma obra de arte inspirado em artistas como Vicent Van Gogh e Edward Hopper, o cineasta tinha um sonho de ser pintor na infância e mudou de ideia ao ganhar uma câmera. Wenders agregou sua paixão pela fotografia a sua arte cinematográfica, criando verdadeiras joias raras. É necessário elencar aqui, a virtuosa guitarra de Ry Cooder que contribuiu com uma trilha sonora simplesmente inesquecível; o ótimo elenco e suas fabulosas atuações, com destaques para Harry Dean Stanton e Nastassja Kinski que deram um toque bem emocionante na produção, a fotografia do holandês Robby Muller e ao roteiro de Sam Shepard que se inspirou no seu próprio livro o ótimo "Crônicas de Motel" em retratar a importância das pessoas em nossas vidas, em analisar a chegada e a partida em nossos encontros e desencontros pelos caminhos da vida, ao analisar com profundidade as mazelas sentimentais que une e separa nossos sonhos e sentimentos.


Paris, Texas é dotado de uma sinfonia cinematográfica. São movimentos que entregam a vida emocional de seus personagens- de imagens impressionantes e silêncios ansiosos, de gestos, paisagens, justaposições estranhas e epifanias. Ao contribuir com essas diferentes influências culturais, Wenders torna isso menos sobre um determinado lugar e tempo, e mais uma experiência humana abrangente.


Para quem não sabe, existe uma cidade no estado do Texas que se chama Paris. Diferente da bela capital da França que é fascinante e cheia de utensílios que se tornaram referência na Europa e no mundo, já a cidade estadunidense é simples e fica no meio de uma região desértica do país da América do Norte. E isso é fundamental para analisar o contraste entre as ambientações, o modo de vida das pessoas e como as emoções se tornam fundamentais para nos representar afetivamente. Isso foi determinante para o filme traçar seu olhar dramático sobre a vida e apontar também um olhar crítico ao famoso sonho americano. São detalhes bem definidos em sua narrativa, que por hora pode ter um ritmo lento, que acaba sendo positivo para o telespectador de tal maneira, que se torna inevitável não notar ou sentir o contraste em relação à natureza e os prédios que acabam se tornando coadjuvantes perante a solidão de cada um de nós, diante de um mundo que se esqueceu de olhar para a simplicidade e que não soube se controlar diante dos excessos.

Tudo isso fez com que o filme fosse reconhecido internacionalmente e premiado em 1984, com o prestigiado prêmio de Palma de Ouro no cultuado Festival de Cannes, se tornando um dos melhores da década de 1980, um filme bonito, impecável e imperdível para todos os amantes de cinema e da arte. Graças às genialidades de Sam Shepard, Ry Cooder, Robby Müller e Wim Wenders que fizeram dessa produção uma verdadeira obra-prima cinematográfica.

 

Ficha Técnica: Paris, Texas (1984)

Gêneros: Road Movie, Drama.

Ano de lançamento: 1984.

País: França e Alemanha.

Roteiro: Sam Shepard e L.M. Kit Carson.

Direção: Wim Wenders.

Trilha Sonora: Ry Cooder.

Fotografia: Robby Müller.

Elenco: Hunter Carson, Aurore Clément, Dean Stockwell, Harry Dean Stanton e Nastassja Kinski.

Onde ver: Arte1 Play, Looke, MUBI e Petra Belas Artes à La Carte.

Nota: 10.

 

Assista ao trailer do filme abaixo:


 

Sobre Alexandre Tiago

"Um rapaz latino-americano que é um sonhador, que ama futebol, apaixonado pela arte, formado em Direito, é um defensor da democracia e coleciona desde CDs e livros, até as memórias que a vida oferece."

alexandrec_tiago@terra.com.br


 





71 visualizações0 comentário