top of page

'Nevermind', do Nirvana, completa 32 anos e segue sendo um marco nostálgico na cultura pop

Atualizado: 24 de set. de 2023

Embalado por faixas enérgicas e explosivas, que uniam perfeitamente momentos mais pesados com momentos mais calmos.

Imagem Reprodução.


No dia 24 de setembro de 1991, chegava às lojas um álbum que mudaria o curso da música para sempre. O Nirvana lançou seu segundo álbum de estúdio, intitulado "Nevermind". A produção do disco ficou a cargo de Butch Vig, que foi convidado pela banda para criar uma sonoridade mais agressiva para o trabalho. Hoje, celebramos o 32º aniversário desse icônico álbum que continua deixando sua marca na história da música e nos corações da geração dos anos 90.


Embalado por faixas enérgicas e explosivas, que uniam perfeitamente momentos mais pesados com momentos mais calmos, e canções que remetiam a uma sonoridade reminiscente do rock pesado e do punk rock, mas de forma coesa e contagiante, o disco redefiniu a história do rock a partir dos anos 90.


Após alguns dias de gravação no Smart Studios em Madison, Wisconsin, Kurt Cobain, Krist Novoselic e Dave Grohl mudaram-se para o lendário Sound City Studios na Califórnia, onde efetivamente gravaram o álbum do começo ao fim.



Kurt Cobain se tornou ídolo de toda uma geração pelo simples fato de escrever sobre anseios e sentimentos que toda uma galera sentia. As pessoas se encontraram e se identificaram com as canções do Nirvana. "Nevermind" é um grito de liberdade, um desabafo que cresce em tons eufóricos e de fúria, com camadas de calmaria, o sujo e o limpo. Caracterizou toda uma geração perdida em sua própria escuridão, sem um líder, sem um representante, até o Nirvana surgir.


O álbum elevou o Nirvana ao status de ícone de uma nova cena musical, abrindo portas para outras bandas do movimento grunge que estavam começando a ser contratadas por grandes gravadoras.


Esse disco mudou todo um conceito e redefiniu regras. O mundo não seria mais o mesmo a partir daquele momento. "Nevermind" superou artistas como Michael Jackson, R.E.M. e U2. A profecia de Cobain se cumpria naquele momento. Ele chegou a dizer que ainda faria um disco maior que o U2 e o R.E.M. Sua mãe, que vivia dizendo que ele não seria ninguém com uma guitarra na mão, também literalmente queimou a língua, chegando até a expulsá-lo de casa, o que resultou em uma das faixas mais sombrias do disco, "Something In The Way".





Além disso, o disco trouxe canções emblemáticas como "Smells Like Teen Spirit", aquela pancada logo no início do álbum, "Come As You Are", talvez a letra mais contraditória de Kurt Cobain, e "Lithium".


Outro destaque notável deste álbum é a icônica capa, reconhecida por sua representação de um bebê olhando para um dólar preso em um anzol, uma ideia concebida por Kurt Cobain.


Desde o seu lançamento, "Nevermind" já acumulou vendas superiores a 30 milhões de cópias em todo o mundo, e ainda mantém sua relevância, abordando temas contemporâneos relacionados à angústia e às normas sociais.


O Nirvana desempenhou um papel fundamental na renovação e revitalização da cena underground, e o álbum contribuiu para a efervescência de gerações no movimento alternativo. É verdadeiramente uma ode à impulsividade e à liberdade. São 32 anos de um disco que cresceu comigo e que faz parte da minha vida desde que tenho memória, para dizer o mínimo. É um álbum repleto de recordações e memórias de um tempo que está solidificado nas raízes da cultura pop.


Ouça o disco abaixo:




O Teoria Cultural agora tem um canal no Whatsapp, siga a gente por lá para não perder nenhuma informação e novidade sobre o mundo pop. Acesse o canal aqui.46


187 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page