Neil Young vai retirar sua música do Spotify por promover podcast negacionista antivacina.


Neil Young é um daqueles roqueiros que da gosto em acompanhar e ouvir sua música e trajetória, o músico é extremamente engajado nas causas sociais, ambientais e sanitárias. A luta agora é contra o gigante dos Streaming Spotify. Neil não quer mais que sua música seja vinculada na plataforma devido ao podcast negacionista do cético Joe Rogan que espalha informações falsas e um tanto perigosas em relação à vacina da Covid-19 em seu podcast, The Joe Rogan Experience, que possui um contrato milionário com a empresa de streaming.


O lendário Old Rocker compartilhou uma carta aberta para seus agentes solicitando imediatamente a retirada de suas composições da plataforma de streaming. Para ele é inadmissível em plena pandemia discursos que apontam desinformações generalizadas que desacreditam a ciência.

 
“Por favor, informe imediatamente o Spotify que estou cancelando ativamente toda a minha disponibilidade de música na plataforma o mais rápido possível”, escreveu Young em sua carta. “Estou fazendo isso porque o Spotify está espalhando informações falsas sobre vacinas – potencialmente causando a morte daqueles que acreditam na desinformação espalhada por eles.
“Eles podem ter Rogan ou Young. Não os dois.”
 

Até o momento em que escrevo essa matéria a discografia de Neil Young ainda continua disponível na plataforma, assim como, o podcast de Joe Rogan. O Spotify ainda não comentou as declarações de Young. A carta de Neil Young que havia sido publicada inicialmente em seu site, foi retida do ar.


A decisão de Neil Young de retirar sua discografia da plataforma veio depois que muitos médicos e cientistas repudiaram os comentários feitos por Rogan e solicitaram ao Spotify que retirasse do ar os episódios que apontam as blasfêmias e falsidade em relação à ciência e aos estudos científicos. Uma carta aberta foi assinada por 270 membros da comunidade científica e médica, que descreveram as ações de Rogan como “não apenas censuráveis ​​e ofensivas, mas também médica e culturalmente perigosas”.

 
“Ao permitir a propagação de afirmações falsas e socialmente prejudiciais, o Spotify está permitindo que sua mídia hospedada prejudique a confiança do público na pesquisa científica e semeie dúvidas na credibilidade da orientação baseada em dados oferecidos por profissionais médicos”, afirmou a carta.

 

Outros nomes que também criticaram as ações de Rogan foram John Oliver, apresentador do programa Last Week Tonight, que disse o seguinte: "Idiota do caralho", Steve Albini, descreveu o podcast de Rogan como: "Lixo, lixo".


No mês passado, Neil Young afirmou que não voltaria a fazer shows até que a pandemia fosse "controlada de vez", dizendo a Howard Stern que os fãs não o verão “tocando para um monte de pessoas sem máscaras”. Em agosto, Young pediu aos promotores que cancelassem os shows da era COVID "super disseminadores".


Young também criticou os céticos da vacina COVID-19 por “não serem realista”, dizendo a Stern que essas pessoas estavam ignorando a ciência respeitável por trás dela. “Se seguíssemos as regras da ciência e todos fossem vacinados, teríamos muito mais chances”, disse ele.


Também em dezembro, Young lançou seu 41º álbum de estúdio (e 14º com a banda de longa data Crazy Horse), 'Barn' . O registro foi seguido por um álbum de arquivo intitulado 'Summer Songs' . Inicialmente gravado em 1987, veio como o primeiro capítulo de 'Neil Young Archives Volume III', e apresentava oito faixas que acabariam por chegar a vários dos lançamentos subsequentes de Young.

 

Sobre Marcello Almeida

É editor e criador do Teoria Cultural.

Pai da Gabriela, Técnico em Radiologia, flamenguista, amante de filmes de terror. Adora bandas como: Radiohead, Teenage Fanclub e Jesus And Mary Chain. Nas horas vagas, gosta de divagar histórias sobre: música, cinema e literatura. marce.almeidasilvaa@gmail.com


 



31 visualizações0 comentário