top of page

Garbage, Billy Corgan e Michael Stipe prestam homenagens à saudosa Sinéad O'Connor

No início deste ano, O'Connor recebeu o prêmio inaugural de Classic Irish Album no RTÉ Choice Music Awards.

Sinéad O'Connor no El Rey Theatre em Los Angeles em 9 de fevereiro de 2020. Crédito: Lindsey Best para o Washington Post/GETTY


Ontem (26), perdermos uma das vozes mais angelicais da cultura pop, Sinéad O'Connor morreu aos 56 anos. A notícia foi confirmada por sua família em um comunicado no portal The Guardian.


“É com muita tristeza que anunciamos o falecimento de nossa amada Sinéad. A família e os amigos dela estão arrasados ​​e pediram privacidade neste momento tão difícil”, dizia um comunicado da família da cantora.



A morte de Connor aconteceu praticamente um ano depois que seu filho de 17 anos, Shane, tirou a própria vida em janeiro de 2022. Sua última postagem nas redes sociais foi um tweet de uma foto de seu falecido filho com a legenda: “Vivo como uma criatura noturna morta-viva desde então. Ele era o amor da minha vida, a lâmpada da minha alma.”


Nenhuma causa da morte foi revelada.



Logo após a notícia da morte da cantora, várias homenagens começaram a ganhar a internet. A banda Garbage foi ao Twitter para compartilhar uma foto da cantora com uma legenda que dizia: “Estamos de coração partido”.


O vocalista do Smashing Pumpkins, Billy Corgan, também foi ao seu Instagram para compartilhar uma foto do cantora irlandesa com uma legenda que dizia: “Eu conhecia Sinead um pouco, tendo a conhecido em um show dela e depois quando ela estava morando no Walker's. casa fora de Chicago.


Ele continuou: “Extremamente honesta, doce e engraçada, ela era talentosa de maneiras que não tenho certeza se ela entendeu completamente. Mas Sinead permanece sozinha como uma figura de nossa geração que sempre foi fiel à voz penetrante por dentro e por fora. E por isso sempre a admirarei e respeitarei. E nunca esqueça que ela já foi cancelada por um ato de simples resistência. O crime dela? Rasgando uma foto.



O vocalista do R.E.M., Michael Stipe, simplesmente colocou “Não há palavras”, enquanto o lendário fotógrafo Anton Corbijn escreveu: “Notícia muito triste, não consigo acreditar que essa pessoa linda com essa voz angelical se foi. Descanse em paz, querida Sinead.


Além de ganhar manchetes por sua música, O'Connor também chamou muita atenção por seu ativismo e atitudes provocativas.


Um momento especialmente notável foi sua polêmica performance no programa SNL, onde cantou a música "War" de Bob Marley. Durante a apresentação, ela rasgou uma foto do papa e substituiu partes da letra referentes a "racismo" por "abuso infantil". Ao final, ela proclamou: "Lutem contra o verdadeiro inimigo". Mais tarde, explicou que esse gesto foi um protesto contra o abuso sexual de crianças na Igreja Católica.


No início deste ano, O'Connor recebeu o prêmio inaugural de Classic Irish Album no RTÉ Choice Music Awards.


Ela dedicou o prêmio pelo álbum, 'I Do Not Want What I Haven't Got', a “todo e qualquer membro da comunidade de refugiados da Irlanda”, acrescentando: “Você é muito bem-vindo na Irlanda. Eu te amo muito e desejo-lhe felicidades.”


O'Connor deixa três filhos, Jake Reynolds, Roisin Waters e Yeshua Bonadio.

13 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page