top of page

Família, existência e conflitos marcam Lana Del Rey no sedutor 'Did You Know… Under Ocean Blvd'

Del Rey parece ter encontrado novamente o caminho do processo criativo apresentado em 'NFR!'

Lana Del Rey CRÉDITO: Chuck Grant/Imprensa


Com 37 anos, Lana Del Rey apresenta uma maturidade embasada pela experiência de vida e fatos do mundo que a cercam como artista mulher. A maioria das letras de ‘Did You Know That There’s A Tunnel Under Ocean Blvd’, seu nono álbum de estúdio, dissertam sobre família, sua vida, lar, presente e futuro. Tudo isso com uma abordagem pessoal e sonoramente falando, exemplar e impactante. Lana sempre teve uma afeição pela morte, chegou a dizer isso em entrevistas em 2014. Álbuns como ‘Norman Fucking Rockwell!’ de 2019, ou em ‘Born To Die’ de 2012, o assunto morte está presente, porém, agora, ele deixa de ser aquela ponta emergente em sua obra e assume o protagonismo para que a artista trace reflexões sobre sua vida e o conturbado relacionamento com a família.


As canções de Lana sempre apontaram um certo fascínio por gênios suicidas como Amy Winehouse e Kurt Cobain, a própria Courtney Love chegou a dizer que Del Rey e seu falecido marido eram os grandes astros da música pop. 'Did You Know...' se volta para os conflitos internos e confusões que cercam a existência humana, como se você estivesse procurando o caminho e a direção que pretende levar a sua vida e as pressões e expectativas que o mundo e as pessoas depositam em nós, nem sempre isso vai ser uma caminhada linear.



Isso fica bem explícito na faixa-título, onde ela canta versos melancólicos a procura de respostas: “Quando será a minha vez? ” A canção é um dos pontos altos do disco, embora não fique claro sobre o que ela realmente está cantando, e isso passa a imagem de uma longa cena cinematográfica que deixa inúmeras questões para que você reflita e busque sua própria compreensão. Pode ser uma busca por um amor verdadeiro, casos de família, ou assuntos que rodeiam o nosso dia a dia. Nem sempre é fácil perceber que existe "um túnel sob a Avenida Ocean".


O novo disco da cantora e compositora pode ser pesado, complexo e repleto de linhas verdadeiras, mas a doçura de sua voz e melodias sedutoras se tornam cada vez mais envolventes a cada nova canção que chega.

'Did You Know That There's a Tunnel Under Ocean Blvd' pode ser o trabalho mais revelador e expansivo de Lana, o erro na abertura de "The Grants", que foi mantido no álbum, lembra o emblemático 'In Utero' do Nirvana, que também contém um erro de acorde na faixa "Frances Farmer Will Have Her Revenge On Seatlle" e foi mantido. Pode ser mais uma conexão de Del Rey com Kurt Cobain, mas conforme o disco vai se desenrolando você percebe que o erro do início, ela simplesmente quer mostrar a maneira como ela enxerga o mundo e a própria música em sua vida — às vezes imperfeita e confusa. Essa é a grande diferença em Lana Del Rey, ela consegue contar histórias de ângulos que não são apenas magistrais e bonitos.



Aqui ela abraça o silêncio, envolve quase sempre os nomes de seus irmãos, detalhes de sua vida e pessoas que a cercam diariamente, exemplo a faixa "Margaret", que leva o nome da atriz e namorada de seu produtor Jack Antonoff, do Bleachers, Margaret Qualley. Uma das músicas mais bonitas e comoventes do álbum e Jack entrega vocais que emulam o simpático Bruce Springsteen. Outro momento marcante fica por conta da agridoce "Let The Light In" que traz a participação de Father John Misty, a faixa deságua em um dueto formidável e emocionante. São canções assim que asseguram Lana no posto que ela se encontra hoje na cultura pop.


Cinco das músicas do disco foram escritas com Mike Hermosa, um ex-namorado. O universo sonoro de Lana pode ser definido como um loop entre paisagens dramáticas e dinâmicas, contraste e sintonia se encontram na arrebatadora "A&W" e suas camadas psicodélicas que se nutrem de uma distorção atrativa e sedutora. São sete minutos tensos e surpreendentes, Del Rey atinge seu ápice criativo e deixa o ouvinte de queixo caído. A Cada introdução de Ocean Blvd vai ficando cada vez mais difícil não amar essa mulher que esbanja uma beleza fora do comum e um talento para a música pop invejável por muitas artistas que se dizem ser estrelas pop.


"Fishtail", emula uma canção folclórica que lembra logo de início o álbum 'Chemtrails Over The Country Club' de 2021, mas logo ganha timbres metálicos que combinam muito bem com seus vocais enquanto ela canta versos do tipo: "Eu não sou inteligente/ Mas tenho algo a dizer." Frase que pode definir todos os questionamentos e confusões de Ocean Blvd, tudo nesse disco está conectado, seja desde a graciosa capa de tons cinzas com letras amarelas e brancas ao último verso cantado por ela. Tudo faz parte de um contexto atemporal que reflete a vida em tempos modernos.

'Did You Know...' é longo e totalmente emocionante. Em certos momentos cru. Repleto de passagens e camadas vibrantes e oníricas que se transformam em canções profundas como se fossem a estrutura de um universo labiríntico rodeado por passado, presente e futuro. Existem questões existenciais, mas também contém notas de diversão. Não é atoa que Lana Del Rey é tida como uma das compositoras mais intrigantes da música pop moderna.

 

Did You Know That There's A Tunnel Under Ocean Blvd

Lana Del Rey


Lançamento: 24 de março de 2023

Gênero: Pop, Indie Pop

Ouça: "Once Blvd", "A&W", "Margaret"

Humor: Sensual, Agridoce, Íntimo, Pesado


 

NOTA DO CRÍTICO: 8,5

 

Ouça a faixa-título abaixo:


268 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page