top of page

Em 'Renaissance', Beyoncé mistura gêneros musicais em letras com emoções em um alto astral elevado

"Renaissance" foi lançado dia 29 de julho de 2022

Beyoncé durante o prêmio MTV Video Music, em Nova York, no ano de 2016. Foto: Eduardo Munoz/Reuters.



Beyoncé Knowles, ou simplesmente, Beyoncé, é um dos grandes nomes dos gêneros musicais Pop e R&B. Esse posto desde que ela surgiu como integrante do grupo Destiny's Child nos anos 1990 e vem aperfeiçoando desde 2003, quando lançou “Dangerously in Love” seu primeiro álbum solo com músicas e discos interessantes e excelentes que mostram seu talento e sua versatilidade musical sem perder as suas essências.


Em 2022, ela ousa mais uma vez ao lançar em 29 de julho, “Renaissance”, seu primeiro álbum de estúdio após o bem sucedido “Lemonade” de 2016. Ele possui várias referências, misturas musicais e fará parte de uma trilogia musical que a artista estadunidense fará na sua discografia.



A capa desse novo trabalho chama a atenção por conter a famosa, montada em um cavalo, mostrando ser inevitável a comparação com a bela pintura “Lady Godiva”, do pintor britânico John Colier, que foi feita no século XIX. Apesar de ela não confirmar, a lembrança é vista como uma inspiração bem elaborada.


"Renaissance" foi gravado e produzido durante a pandemia da COVID-19, entre 2020 e 2021. Beyoncé lançou um disco com 16 faixas que conectam os ouvintes com a música através de emoções e ritmos, promovendo um renascimento nas vidas das pessoas e também na carreira profissional da cantora ao passar por suas origens musicais.

“Break My Soul” possui um som alegre com misturas de Pop, Dance, House e Rap que faz lembrar das inesquecíveis músicas da Eurodance nos anos 1990 com uma letra hipnotizante e bem alto astral que faz a mente se transportar para esse período como se estivesse dançando em uma festa ao som de maravilhosas canções como “Groove Is in the Heart” do grupo Deee-Lite e “The Rhythm of the Night" do Corona. “Alien Superstar” é um som com elementos de Trap e R&B com temática futurística.


“Move” conta com a incrível participação especial da emblemática cantora jamaicana Grace Jones e da cantora nigeriana Tems. Obtemos uma faixa bem colaborativa em uma sonoridade visceral que convida o ouvinte a dançar ao som das suas batidas que são inspiradas no Afrobeat. “Cuff It” uma Disco Music modernizada com R&B que exala leveza em uma sonoridade única e especial.



“Summer Renaissance” surge como uma verdadeira e boa homenagem a cantoras negras como Donna Summer, Whitney Houston e Diana Ross, que se mostram ser influentes na carreira de Beyoncé. “Energy” tem a presença do rapper jamaicano Beam na canção que apesar de ser um impacto sonoro menor que as outras citadas nesse texto, ainda assim consegue trazer boas vibrações mesmo tendo timbres mais simples.



“Renaissance” é um disco que precisa ser degustado aos poucos e ver nele uma cantora que não se cansa de reinventar. Claro que há faixas que empolgam mais e outras menos, mas ainda assim, é um trabalho muito bom e bem feito que apresenta o talentoso e a versatilidade de Beyoncé em misturar gêneros musicais com letras emocionais, participações excelentes, sonoridade que é empolgante e mostra as suas influências e referências de forma excepcional em mostrar o porquê ela é um dos grandes nomes da música.

 

Renaissance

Beyoncé


Lançamento: 29 de julho de 2022

Gênero: Dance, House, Disco, Pop, R&B

Ouça: "Break My Soul", “Alien Superstar” e "Cuff It"

Humor: Confiante, Radiante, Turbulento



 

NOTA DO CRÍTICO: 8,5

 

Ouça "Break My Soul" no YouTube:


304 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page