Beto Guedes 'A Página do Relâmpago Elétrico' um Disco Conciso e Elegante



A música veio de berço para Beto Guedes, seu pai Godofredo Guedes era multi-instrumentista e fabricava seus próprios instrumentos. Mas foi na adolescência que Guedes se envolveu com seus primeiros projetos musicais e fez parte de algumas bandas. Mas foi com o lendário Clube da Esquina que ele realmente ficou conhecido, ao lado de Milton Nascimento, Lô borges, Flávio Venturini e outros.


Em 1977, Beto fez sua estreia em carreira solo com o emblemático e sensacional 'A Página do Relâmpago Elétrico. O disco trafega lindamente pelas influências da música mineira, Tropicalismo, Bossa Nova, Rock Progressivo e a psicodelia dos Beatles. Um disco que capta muito bem os sentimentos de Guedes. A Página do Relâmpago Elétrico é um trabalho que capta muito bem a atmosfera e ambientação regionalista, produzido por Ronaldo Bastos e com a participação de diversos músicos do Clube da Esquina (Toninho Horta, Flávio Venturini, Vermelho), como se Beto recriasse o seu próprio clube acrescentando eletricidade a suas composições.


A sonoridade, a voz de Beto e o instrumental trazem muito aquele vento de Minas Gerais, principalmente da cidade de Montes Claros, onde o cantor nasceu, são elementos cativantes e melancólicos que fazem lembrar de Bob Dylan ou até mesmo Neil Young. Aquele doce frescor de serras e paisagens diante do marasmo da cidade.


O disco abre com a estonteante faixa título "A Página do Relâmpago Elétrico" uma canção produzida em parceria com Ronaldo Bastos. O instrumental dessa música é de arrepiar, seja pelo belo início calcado por bandolim e os harmoniosos acordes de violão, que embasam e impulsionam a voz poética de Beto Guedes, com isso a canção cresce e ganha interpretações oníricas. Então, já no começo do álbum é possível notar as influências do Rock Progressivo de bandas como Eyes. Além de fazer menções a literatura de Euclides da Cunha com o livro Os Sertões.

"Maria Solidária" segunda faixa do disco começa com um Baião e logo da lugar para o Tropicalismo flertar de maneira graciosa com a Bossa Nova. A canção foi composta por Milton Nascimento e Fernando Brant. A referência ao Clube da Esquina fica bem evidente. Camadas psicodélicas se revelam na bela "Chapéu de Sol", uma música instrumental que beira a psicodelia.

O eu lírico também se faz presente em "Lumiar", uma linda canção construída através de belos arranjos, onde o instrumental se torna um dos pontos altos fazendo aquela combinação perfeita entre vocais deslumbrantes de Beto Guedes onde ele canta sobre: "Estender o sol na varanda até queimar/Só pra não ter mais nada a perder".


Entre esses detalhes e características, A Página do Relâmpago Elétrico se coloca como um dos discos mais importantes dentro da cultura pop brasileira. Beto Guedes é de Minas Gerais, mas pode muito bem ser do Brasil inteiro e o mundo todo.


Artista: Beto Guedes

Álbum: Á Página do Relâmpago Elétrico

Gênero: MPB, Bossa Nova, Tropicalismo e Rock Progressivo

Lançamento: 3 de outubro de 1977

Ouça: "A Página do Relâmpago Elétrico, "Chapéu de Sol" e "Lumiar"













42 visualizações0 comentário