top of page

Assassinos da Lua das Flores, um longo filme de Martin Scorsese, que apresenta a história dos Osage

O filme proporciona uma narrativa envolvente que mistura amor, violência e ganância de forma impressionante.

Cena do filme Assassinos da Lua das Flores de Martin Scorsese
Imagem: Divulgação.


O renomado cineasta estadunidense Martin Scorsese é amplamente reconhecido como um dos gigantes da indústria cinematográfica. Com uma filmografia recheada de obras-primas, como "Taxi Driver" (1976), "Touro Indomável" (1980), "A Época da Inocência" (1993), "A Invenção de Hugo Cabret" (2011) e "Os Infiltrados" (2006), Scorsese construiu um legado impressionante, caracterizado por sua abordagem intensa à direção.


No ano de 2023, ele brinda o público com seu mais recente filme, "Assassinos da Lua das Flores", uma obra que promete destacar-se por suas narrativas e marcar sua presença como um dos principais lançamentos do cinema no ano.



Baseado no livro "Assassinos da Lua das Flores: Petróleo, morte e a origem do FBI", escrito por David Grann, o filme nos transporta de volta à década de 1920, na região de Oklahoma, nos Estados Unidos. A trama se desenrola na comunidade indígena Osage, que prospera devido à riqueza petrolífera de suas terras. No entanto, essa prosperidade também atrai uma série de assassinatos misteriosos, desencadeando investigações que acabam por envolver o icônico diretor do FBI, J. Edgar Hoover.


Vale destacar que o filme tem uma duração considerável, quase três horas e meia. Esta é, portanto, uma das obras mais longas da carreira de Scorsese. Para este projeto, ele reuniu um elenco de peso, incluindo veteranos como Robert De Niro e Leonardo DiCaprio, que já haviam trabalhado com o diretor em projetos anteriores.


O diferencial deste filme em relação a clássicos de Scorsese, como "Os Bons Companheiros", "Gangues de Nova York" e "Cassino", é que o enfoque maior é a violência; aqui, a ênfase recai no humanismo. Isso se deve à colaboração de Eric Roth no roteiro e à presença de DiCaprio, que priorizou o lado humano de seus protagonistas, colocando em destaque a importância da comunidade Osage.


Cena do filme Assassinos da Lua das Flores
Imagem: Reprodução

O filme mergulha de forma profunda na história dos Osage, um povo indígena que possuía vastas terras no meio-oeste dos Estados Unidos, agora consideravelmente reduzidas devido a mortes e invasões ao longo dos anos. Inicialmente, essas terras eram tidas como inúteis, sem minerais valiosos. No entanto, com a descoberta de petróleo na região, os Osage tornaram-se alvos de ódio daqueles que não faziam parte da comunidade. Esse ódio resultou em uma série de mortes, com causas que vão desde envenenamento até assassinato, muitas vezes permanecendo sem solução.



Nesse contexto, Mollie Burkhart, uma indígena Osage, enfrentou a dor de testemunhar sua família ser dizimada e a frustração de ver as autoridades falharem em solucionar os crimes. Ela era casada com Ernest Burkhart, sobrinho do renomado pecuarista William Hale, apontado como um dos principais responsáveis pelos crimes na região.


Através dessas informações precisas e significativas, o enredo se baseia em uma história de amor inicialmente marcada pela ingenuidade de Ernest e Mollie. Contudo, por trás dessa fachada, há um lado sombrio, pois a trama foi arquitetada por William Hale com o objetivo de apropriar-se da fortuna da comunidade Osage, o que lhe rendeu o apelido de "Rei das Colinas Osage". Portanto, é considerado fundamental trazer essa história para os dias atuais, permitindo que as pessoas conheçam a fundo as histórias dos povos nativos americanos, que são notavelmente ricas e complexas dentro dos Estados Unidos.


Robert De Niro e  Leonardo DiCaprio em Assassinos da Lua das Flores

Com base nisso, Martin Scorsese funde seu estilo característico de direção com uma abordagem humanista, adicionando nuances emocionais e culturais à trama. Ele evoca um ambiente de faroeste, mas com uma abordagem que mistura o moderno com o pós-moderno, explorando temas de tragédia conjugal, cobiça e violência. O filme é notável por suas atuações excepcionais, especialmente as de Robert De Niro e Leonardo DiCaprio, que dão vida a personagens complexos e cativantes. Neste longa, em particular, isso é realizado de uma forma tão envolvente que prende os olhos na tela de maneira extremamente cativante.


Lily Gladstone, uma atriz indígena que cresceu na reserva da comunidade Blackfeet em Montana, nos Estados Unidos, também impressiona com seu desempenho notável, acrescentando autenticidade ao elenco com talento imensurável. É uma novidade que merece destaque, já que a oportunidade de vê-la atuando cada vez mais no cinema é bem-vinda. Enquanto isso, a trilha sonora é inserida de forma cuidadosa no momento certo para criar tensões genuínas.



Em resumo, "Assassinos da Lua das Flores" é uma obra que se destaca por sua longa duração, atuações brilhantes, a habilidade de Scorsese em reinventar elementos clássicos e um mergulho profundo na história dos Osage. O filme proporciona uma narrativa envolvente que mistura amor, violência e ganância de forma impressionante. E, conseguindo ignorar o fator de longo tempo, você irá ver e admirar um filme que certamente merece um lugar de destaque especial no cinema contemporâneo.

 

Assassinos da Lua das Flores

Killers of the Flower Moon


Ano: 2023

País: EUA

Gênero: Western, Drama Policial

Direção: Martin Scorsese

Roteiro: Martin Scorsese e Eric Roth

Elenco: Leonardo Di Caprio, Robert De Niro, Lily Gladstone, Brendan Fraser, Jesse Plemons, John Lithgow

Duração: 206 MIN


 

NOTA DO CRÍTICO: 8,5

 

Trailer:




47 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page