top of page

'Asphalt Meadows' marca o retorno triunfal do Death Cab For Cutie ao melhor estilo da banda indie

10 discos em 25 anos de trajetória, os indie de Washington estão de volta com melodias agridoces e agradáveis

CRÉDITO: Jimmy Fontaine

‘Asphalt Meadows’, novo álbum de estúdio do Death Cab For Cutie se enquadra perfeitamente em uma cena emblemática do aclamado seriado norte-americano The OC, quando Seth Cohen gritou a todo pulmão “Não insulte o Death Cab!”. Isso define o novo trabalho, um disco agridoce, feito para manhãs ensolaradas e para os dias mais cinzentos e nublados, sem problema algum.



Guitarras profundas e nostálgicas carregam uma certa energia contagiante de espirito adolescente cristalizado na marca que fez o grupo. Talvez não seja muito fácil carregar o rotulo de ser uma dessas bandas atreladas ao fervor, desejos e vontades que afloram com a descoberta da adolescência. Mas, o Deth Cab... deve muito a essa fórmula de rock universitário, pois foi ela que plantou os roqueiros de Washington nos corações de uma geração que vai levá-los para o resto da vida. Mas uma pergunta fica no ar, o que acontece quando os integrantes dessa banda amadurecem e envelhecem?


A resposta para essa pergunta não é difícil de ser encontrada nos primeiros instantes de audição do décimo disco. Um grupo bem mais maduro, com uma sonoridade aprimorada sem perder o encanto juvenil. ‘Asphalt Meadows’ é um retorno primoroso ao som clássico da banda com uma certa similaridade com The 1975 e Phoebe Bridgers. Temas como divórcios, traumas e medo da vida adulta continuam presentes em suas canções sonhadoras e emocionais; na verdade, eles nunca tiveram fora desse cenário, canções como a linda e melancólica “Pepper” remete a dois bons discos da banda ‘We Have The Facts and We’re Voting Yes’ de 2000 e ‘Codes and Keys, de 2011.


O romantismo também está ali impregnado nas entrelinhas do disco, o que muda então nesse novo trabalho? Existe uma pigmentação sombria ainda não explorada pelo Death Cab, algo talvez recorrente do atual cenário: pandemia e incertezas que assolam o mundo. Isso explica certas nuances, camadas adotadas na sonoridade do disco que são carregadas com um espírito desiludido, mal-humorado, letras que revelam exaustão e cansaço, não muito diferente do sentimento plantado durante esse período de pandemia e isolamento social, onde o contato físico se deteriorou e passou para formas automáticas do modernismo virtual amplamente ostentado pelas redes sociais.


Muito disso, está ali na bucólica e profunda “I Miss Strangers”, ou até mesmo na climática e densa “Fragments From The Decade” que carrega muito da ansiedade da existência humana, bem típico desses tempos modernos de intolerância e ódio gratuito. Além de ser uma das faixas mais experimentais do disco.

Enquanto o disco anterior ‘Thank You For Today’ foi menosprezado por muitos como um trabalho menos criativo, o retorno com ‘Asphat Meadows’ reacendeu a chama e o sabor delicioso das melodias radiantes, líricas e emocionais do Death Cab For Cutie. Um Indie pop agridoce, carregado de ganchos grudentos... e eles fazem questão de deixar isso evidente logo na faixa de abertura, a melódica e contagiante 'I Don't Know How I Survive' oferece uma melodia alegre enquanto o vocalista Ben Gibbard revive um ataque de pânico tarde da noite.


Esse espirito de existencialismo abre as portas para a próxima faixa “Roman Candles” uma verdadeira ode ardente do indie rock. Já a faixa-título deságua nas profundezas das canções (pop) tristes e nostálgicas, daquelas bonitas e inquietantes que encantam logo de imediato.



'Asphalt Meadows' é tão seguro, grandioso e bonito quanto você esperaria e espera de bandas veteranas do indie. Um disco dotado de uma beleza consistente e satisfatória quanto o ápice da carreira no início dos anos 2000. Aqui está uma banda ainda muito apaixonada pela música que faz. O Death Cab For Cutie continua sua jornada de evolução traçando caminhos exuberantes e recompensadores.

 

Asphalt Meadows

Death Cab For Cutie


Lançamento: 16 de setembro de 2022

Gênero: Indie Rock, Rock Alternativo

Ouça: "Asphalt Meadows", "Pepper" e "I Miss Strangers"

Humor: Introspectivo, Intenso, Cintilante



 

NOTA DO CRÍTICO: 8,0

 

Veja o vídeo de "Asphalt Meadows" :


 


27 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page