'Essa Gente' de Chico Buarque ganha resenha com dois olhares distintos no site. Confira!



 

Chico Buarque pode ser considerado um patrimônio histórico do Brasil e da nossa cultura pop brasileira e mundial. Com uma vasta e rica discografia o artista também se aventura pelo mundo literário com ótimos livros no currículo. Seu último trabalho literário 'Essa Gente' desenha um retrato fidedigno do atual Brasil, tendo Rio de Janeiro como palco artístico para essa obra bela e peculiar. Dois dos nossos redatores, leram o livro e trouxeram suas percepções e discussões que extraíram dessa gigante obra-literária. O primeiro texto é do Alexandre Tiago, logo depois você poderá ler o ponto de vista do nosso editor e redator Marcello Almeida que resolveu resgatar seu texto sobre o livro publicado na época no site Urge! Interessante analisar os dois pontos de vista e enxergar onde os dois olhares sobre a obra se cruzam. Boa Leitura!

 

'Essa Gente' um livro que marca o lado afiado e artístico de Chico Buarque.


Por Alexandre Tiago


 

"Sei que às vezes o mar acorda manchado de preto ou de um marrom espumoso, umas sombras que se alastram do pé da montanha até a praia. Sei dos meninos da favela que mergulham e se esbaldam no esgoto do canal que liga o mar à lagoa. Sei que na lagoa os peixes morrem asfixiados e seus miasmas penetram nos clubes exclusivos, nos palácios suspensos e nas narinas do prefeito. Não preciso ver para saber que pessoas se jogam de viadutos, que urubus estão à espreita, que no morro a polícia atira para matar. Apesar de tudo, assim como venero a mulher incauta que me deu à luz, estarei condenado a amar e cantar a cidade onde nasci." (Trecho do livro)

 

No dia 21 de maio de 2019, Chico Buarque, foi agraciado como vencedor do Prêmio Camões, o mais importante da língua portuguesa pelo seu conjunto de obra na literatura e na música. Na época, ele estava fazendo shows da turnê “Caravanas” que rendeu dois ótimos discos o “Caravanas” de 2017 e o “Caravanas Ao Vivo” de 2018. E de forma surpresa, no final daquele ano, ele lança 'Essa Gente'' seu novo romance literário que une os seus dois lados artísticos: o escritor e o músico.

Escrito em ritmo veloz para agradecer a conquista, ele lançou esse livro coeso, esplendoroso e viciante em sua leitura, com narrativa espetacular e cheia de críticas sociais que dão alimento e respiro a essa história onde conhecemos um escritor fictício chamado Manuel Duarte que está em uma fase decadente, em crise familiar e em crise financeira em um Rio de Janeiro dos tempos atuais com suas mazelas, glórias e feridas.

Cada capítulo é uma história que se entrelaça composto pela afeição das faces de escritor e compositor Chico Buarque, em uma história que se torna uma excelente análise e reflexão do Brasil através das relações humanas com suas hipocrisias, preconceitos e indiferenças com tom áspero e crítico ao apresentar a bela cidade do Rio de Janeiro como local do livro apresentando os contrastes urbanos e o caos da realidade brasileira através de temas atuais como violência urbana, desigualdade social e luxo das elites através da percepção de Manuel Duarte e das pessoas que rodeiam sua vida para fazer desses acontecimentos uma forma de criticarmos, refletirmos, indignarmos e emocionarmos com sua malandragem, seu ardes e sua sensatez como se sentimento sentido como se estivéssemos comendo um delicioso e intenso doce feito de chocolate e de pimenta.


A obra possui assim pequenos capítulos em forma de prosa literária como se tivessem extraídos de um diário o que permite com certa facilidade compreender as diversas idas e vindas na história por ela trazer uma narrativa dinâmica e conter um rico vocabulário de palavras da língua portuguesa que faz "Essa Gente" ser especial e cultural com sua riqueza estrutural onde ele é estupendo e diversificado como os maravilhosos pratos culinários brasileiros, "feijão-tropeiro" e "baião de dois", onde temos uma bela tabela literária com ótimas histórias em formatos de capítulos, uma narrativa muito boa e um grande glossário.


Acompanho o Chico Buarque há muitos anos e posso confirmar que esse é sem dúvidas uma obra que se tornará um clássico da literatura brasileira com o passar do tempo pela riqueza do seu conteúdo, pelas suas críticas sociais, pela sua história envolvente e um personagem que desperta várias emoções o que torna o artista um verdadeiro gênio nas artes, mais precisamente, na literatura e na música.

 

Sobre Alexandre Tiago

"Um rapaz latino-americano que é um sonhador, que ama futebol, apaixonado pela arte, formado em Direito, é um defensor da democracia e coleciona desde CDs e livros, até as memórias que a vida oferece."

alexandrec_tiago@terra.com.br



 

Chico Buarque narra uma história inerente, nua e crua, sobre um Brasil na era da modernidade, no romance 'Essa Gente'.



Por Marcello Almeida


 

'Essa Gente' é o mais novo romance do cantor, compositor, escritor e ficcionista Chico Buarque, e pode-se dizer que esse é o romance que mais se aproxima do íntimo do artista. Detalhes que vão desde a busca pela inspiração nas ruas do Leblon, ou seja, pelo tom vocálico em ambos nomes, Manoel Duarte, o personagem do livro, também tem essa força vocálica em seu sobrenome.


Duarte é um escritor em decadência, separado da esposa, e vive seus árduos dias em busca da tão sonhada inspiração para terminar seu livro. A rotina no Rio de Janeiro, a brisa das praias, os vizinhos de condomínio que vivem a afortuná-lo e o acumulo de dívidas preenchem as lacunas dos dias dele. A pindaíba financeira e afetiva faz ele ricochetear entre ex-mulheres, putas e o filho adolescente com quem não consegue manter um diálogo afetivo.


O livro está entre os romances mais amarulentos e instigantes de Chico. A narrativa é contada por pequenos capítulos como se fosse um caderno de diário, o que permite idas e vindas na história. Mais um enigmático roteiro criativo, que se apresenta mais como um quebra-cabeça de um conto policial, mesclando sua escrita e o eu lírico para contar os dramas e a rotina de um escritor à beira de um colapso mental, jogado a farrapos no caos e violência generalizada que faz o Rio de Janeiro sangrar e se consumir em flagelos de conflitos sociais.

Chico Buarque adota uma escrita urgente, glamorosa para fazer críticas sofisticadas ao fascismo e elitismo colonialista que domina e governa nossos tempos modernos. Passagens literárias que remetem ao Chico combatente da ditadura militar em composições melodiosas.

Existe um ponto em comum entre suas canções e sua narrativa em Essa Gente, sendo um romance simples e multifacetado, sua história principal pode ser o reflexo de um Rio de Janeiro ou do próprio país, que vive de contradições, superficialidades e hipocrisias de uma elite soberba, ignorante e sem cultura.


Duarte é o espelho que reflete o que muita gente se tornou, seres apáticos emocionalmente e boçais intelectualmente, panorama de um país que vem caindo com suas próprias mazelas. Existem semelhanças entre Duarte e Chico. Um tem um pouco do outro, mas Duarte é tudo aquilo que Chico não foi.


'Essa Gente' também pode ser a deformidade que corrói os desfavorecidos ao buscarem ser aquilo que acreditar que a elite é. Essa Gente pode ser a representação de todos nós. Já o Leblon é tudo aquilo que o Brasil queria ter sido. Serve como cartão postal para a narrativa corrosiva de Chico, em denunciar as maldades e atrocidades de um desgoverno que consome e rasga direitos de cada um de nós e se esquece de seus deveres. Essa denúncia não poderia vir em melhor momento e de ninguém menos que Chico Buarque de Hollanda.


É um romance forjado no hoje e no agora, possui uma narrativa divertida e um tanto crua, onde o lado poeta ganha vida para entregar tortuosas vielas literárias. E partindo desse novo olhar, cria-se uma nova perspectiva onde o leitor é apresentado a vida e rotina diária dos principais personagens, que parecem estar submersos em um cotidiano de pura violência, com humilhação de porteiros, espancamento gratuito de mendigos por “filhinhos de papai”, 'bullying' sofrido pelo filho de esquerdistas na escola, ruas alagadas em dias de chuvas e a falência material e moral de uma cidade que já foi cartão postal de uma nação.


Um grande livro de Chico Buarque, talvez o melhor até agora. Uma obra que veio para desempenhar um papel literário muito importante e apresentar afetos, princípios e valores para que “Essa Gente” não volte a fazer o que fizeram e estão fazendo com o Brasil.

 

Ficha Técnica

Título: Essa Gente

Capa: Raul Loureiro

Temática: Drama, Romance

Editora: Companhia das Letras

Autor: Chico Buarque

Ano: 09/11/2019

Páginas: 200

Idioma: Português

Dimensões: 15.50 X 22.50 cm

 

Sobre Marcello Almeida

É editor e criador do Teoria Cultural.

Pai da Gabriela, Técnico em Radiologia, flamenguista, amante de filmes de terror. Adora bandas como: Radiohead, Teenage Fanclub e Jesus And Mary Chain. Nas horas vagas, gosta de divagar histórias sobre: música, cinema e literatura. marce.almeidasilvaa@gmail.com

 








62 visualizações0 comentário