A Magistralidade de Gabriel García Márquez no livro "Cem Anos de Solidão"





Vou começar parafraseando um trecho do livro: "Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo."


Através dessas palavras eu descrevo a vocês que ao ler esse trecho, senti que esse livro ia me marcar profundamente como leitor. E eu não estava errado. Ao nos trazer a história da família Buendía, Gabriel García Márquez (mais conhecido como Gabo pelos seus fãs, Nascido no ano de 1927 e falecido no ano de 2014) nos leva para um lugar cheio de realismo mágico, onde somos transportados para o povoado fictício de Macondo. Uma terra cercada por mitos e riquezas, Macondo pode ser à Colômbia ou outro lugar da América Latina. As histórias que García Márquez nos conta abre um paralelo onde é possível imaginar um cenário cinematográfico ao retratar o crescimento solitário da família Buendía como meros contadores de suas próprias histórias como o icônico personagem de Tom Hanks em Forrest Gump, onde ambos em que ambos possuem histórias solitárias com suas respectivas aventuras e emoções.

"Cem Anos de Solidão" não é um livro fácil de ler por conter palavras bem centradas, uma narrativa complexa e rica, mas também mostra a simplicidade através da poesia ao retratar a solidão com um realismo usando o tempo de forma única.

Jose Arcándio Buendia e Úrsula forma um casal de primos que se casaram diante de vários maus presságios devido seu parentesco. Macondo foi fundada por varias famílias sob o comando de Jose Arcándio e Úrsula, o casal teve três filhos: Jose Arcadio, Aureliano e Amaranta. As novidades chegam a Macondo através dos ciganos que sempre trazem algo inovador para o local.


Macondo na realidade é um vilarejo imaginário criado das memórias de infância de Gabriel García Márquez. Onde o mesmo faz uso de metáforas para fazer uma crítica aos regimes autoritários, a ditadura e as guerras que de certa forma detonaram a América Latina, sem falar na miséria e fome provocada por um governo totalmente negligente e apartado, arruinado por grandes potências.


Considerado o maior romance da língua espanhola depois de "Dom Quixote" do escritor espanhol Miguel de Cervantes, e temos que concordar, pois a literatura da língua espanhola é fascinante, principalmente, a que se corresponde na erudição latino-americana que merece ser lida e divulgada sempre e, isso pode ser notado quando Gabo fala da América Latina após receber o Prêmio Nobel de Literatura em 1982 e, hoje é considerada uma das obras mais importantes da literatura latino-americana e também por ser um dos livros responsáveis pela celebração do movimento literário "Boom latino-americano" onde Gabriel García Márquez faz parte e é um dos escritores mais celebrados por esse feito.


Gabriel García Márquez fez a colômbia, ser conhecida não apenas por seu belo turismo e seu maravilhoso café que são exportados pelo mundo afora, ele fez de uma certa forma que as pessoas conhecessem a arte e a cultura da América Latina quando ela era totalmente desconhecida para o mundo, principalmente, a sua escrita. Obras como 'Cem Anos de Solidão' se consolidam de vez ao se tornar um dos livros que mais ganharam traduções em todo o mundo e, isso alavancou escritores conceituados como o argentino Julio Cortázar, o chileno Pablo Neruda e o mexicano Carlos Fuentes.


Esse marco cultural pode ser refletido com a revolução cubana, que aconteceu anos antes do lançamento do livro em 1959, onde esse acontecimento histórico fez a América Latina passar a ser visada mundialmente em termos políticos, enquanto que "Cem Anos de Solidão" fez a rica arte e cultura latino americana ser conhecida ao redor do planeta Terra.


Gabriel García Márquez é um dos mais respeitáveis nomes da literatura latino-americana e ter lido este livro foi uma verdadeira dádiva literária.


Livro: Cem Anos de Solidão.

Autor: Gabriel García Márquez.

Nacionalidade: Colômbia.

Ano de lançamento: 1967.

Gênero literário: Romance, Realismo Fantástico.

Idioma: Português.









 

Notas Sobre o Autor:

Nascido na Colômbia, é considerado um dos autores mais importantes do século XX, reconhecimento materializado no recebimento, em 1972, do Prêmio Internacional Neustadt de Literatura e, em 1982, do Prêmio Nobel da Literatura. Autor de uma vasta obra, publicou desde contos, romances e textos não ficcionais.


 

Alexandre Tiago

"Um rapaz latino-americano que é um sonhador, que ama futebol, apaixonado pela arte, formado em Direito, é um defensor da democracia e coleciona desde CDs e livros, até as memórias que a vida oferece."

alexandrec_tiago@terra.com.br

55 visualizações0 comentário