top of page

The Kinks tem material suficiente para “cerca de 20” músicas novas, diz Ray Davies

Em uma entrevista recente à NME, o veterano do rock compartilhou suas expectativas em relação a potenciais lançamentos futuros do The Kinks.

The Kinks em 1970.
CRÉDITO: Arquivos Michael Ochs/Getty Images


Ray Davies abordou a possibilidade de uma reunião completa dos The Kinks, indicando que a banda possui material para criar aproximadamente 20 novas músicas.


Em uma entrevista recente à NME, o veterano do rock compartilhou suas expectativas em relação a potenciais lançamentos futuros do The Kinks. Durante a conversa, ele também refletiu sobre momentos significativos de sua vida e discutiu a chance de uma reunião completa com a formação clássica da banda.



Durante a conversa, Davies ponderou sobre a complexa dinâmica entre ele e seus colegas de banda, destacando especialmente a rivalidade anterior com o baterista Mick Avory. Ao ser indagado sobre a descrição de Avory como "um terceiro irmão" por Dave Davies em ocasiões anteriores, Ray recordou os constantes desentendimentos entre eles, mas observou que as tensões se acalmaram ao longo do tempo.


Ele também refletiu sobre comentários anteriores que fez em 2018, que o fizeram despertar o interesse dos fãs ao afirmar que estava no processo de reformar o The Kinks e trabalhar em um novo material.


“Bem, foi arquivado por causa de… outros problemas”, revelou ele quando solicitado por uma atualização. “Mas ainda há material lá. Quando eu tiver tempo.


Davies acrescentou mais tarde que essas ideias para novas músicas derivam de “demos caseiras” que ele vem gravando há cerca de três décadas – com algumas contribuições de Avory e seu irmão Dave.


“Temos um monte de músicas em pedaços”, acrescentou, confirmando que eles têm material suficiente para “cerca de 20” faixas completas.


“Há cerca de duas ou três músicas que quero terminar e, quando terminarem, colocarei tudo junto.”



Ray Davies, Mick Avory e Dave Davies do The Kinks em 2018.
CRÉDITO: Dave J Hogan/Dave J Hogan/Getty Images

Sobre a possibilidade de uma reunião completa, Davies compartilhou com a NME que essa ideia está sujeita ao destino e só se concretizaria se conseguissem "um espetáculo que nos conceda o reconhecimento que merecemos".


Ele também revelou a necessidade de "persuadir [Dave] a seguir em frente", acrescentando: "Você precisa ter cautela, pois ele vai em uma direção, e eu vou [correr] na minha... Ele é assim. Ele mantém o controle."


"Somos simplesmente criaturas diferentes", complementou. "Nos conhecemos desde muito jovens, sempre cara a cara. Tivemos que lidar com isso de alguma forma."


11 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page