top of page

Sixto Diaz Rodriguez, lendário compositor de 'Sugar Man', morre aos 81 anos

Um comunicado compartilhado no blog e site oficial do músico informou sobre seu falecimento.

CRÉDITO: Mark Horton/WireImage


O renomado cantor e compositor Sixto Diaz Rodriguez, conhecido pelo seu sobrenome, faleceu aos 81 anos, conforme foi confirmado. O artista, que supostamente havia sofrido um derrame alguns meses antes de sua morte, enfrentou bravamente a doença após o incidente.


Um comunicado compartilhado no blog e site oficial do músico informou sobre seu falecimento. "Com grande tristeza, anunciamos o falecimento de Sixto Diaz Rodriguez nesta manhã", declarou. "Nossas mais profundas condolências se estendem a suas filhas - Sandra, Eva e Regan - e a toda a sua família."



A morte de Rodriguez também foi confirmada ao News24 por Stephen “Sugar” Segerman, responsável pelo SugarMan.org. "Confirmamos, por meio de sua filha, Sandra, que ele faleceu ontem, 8 de agosto, às 17h30, horário de Detroit", informou Segerman.

Sixto Diaz Rodriguez em 2014 CRÉDITO: Suzi Pratt/FilmMagic

Após o lançamento de dois álbuns com vendas modestas - 'Cold Fact' em 1970 e 'Coming From Reality' em 1971 - pela gravadora Sussex Records, ele foi dispensado e deixou a carreira musical para trás, dedicando-se a trabalhar nas áreas de demolição e linhas de produção.


Embora os discos de Rodriguez não tenham tido um impacto significativo nos Estados Unidos na época de seu lançamento, eles conquistaram uma grande base de fãs internacionalmente, com sua popularidade crescendo em países como Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Botswana e Zimbábue. O álbum de compilação 'At His Best', lançado pela gravadora australiana Blue Goose, alcançou o status de disco de platina na África do Sul, enquanto ele realizava turnês pela Austrália nos anos de 1979 e 1981.



Passadas várias décadas, quando descobriu que sua popularidade na África do Sul havia crescido significativamente desde os anos 70, Rodriguez decidiu realizar uma série de turnês na região. Durante esse período, um documentário intitulado "Dead Men Don't Tour: Rodriguez in South Africa" foi produzido, capturando sua jornada. O título do documentário fazia referência a um boato que circulava no país, sugerindo que o músico havia falecido durante uma apresentação décadas antes. Em resposta a esse mito, Rodriguez retornou à África do Sul para mais turnês em 2001 e 2005, consolidando seu status como um ícone musical apreciado na região.

13 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page