Obrigado pela sua arte e por tudo aquilo que você representa, Elza Soares!


O dia hoje termina com a triste notícia do falecimento de Elza Soares, uma verdadeira ícone e sinônimo de resistência na música brasileira e suas vertentes da MPB, do Samba e do Rock com sua voz rouca e potente que ganhou o ilustre título de "voz do milênio".


De acordo com sua família e sua assessoria, ela morreu de causas naturais em sua casa no Rio de Janeiro. "É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos em sua casa, no Rio de Janeiro, por causas naturais", diz o comunicado enviado pela assessoria da cantora.

"Uma figura estelar da música brasileira, considerada uma das maiores artistas do mundo, a cantora eleita como a Voz do Milênio teve uma vida apoteótica, intensa, que emocionou o mundo com sua voz, sua força e sua determinação."
"A amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares fãs por todo mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim."

Ela faleceu 39 anos depois do inesquecível e marcante futebolista brasileiro Garrincha com quem foi casada de 1966 até 1982 que em sua visão foi o grande amor da sua vida.

Nascida no dia 23 de junho de 1930, na cidade do Rio de Janeiro, iniciou a sua carreira artística muito cedo. Aos 21 anos havia acabado de ficar viúva, e estava com quatro filhos para criar, tendo já perdido dois filhos recém- nascidos para a desnutrição alguns anos antes, e uma filha havia sido sequestrada um ano atrás. Essa filha ela só reencontrou muitos anos depois. E diante da situação de extrema pobreza que estava vivendo, ela se inscreveu no concurso musical do programa radiofônico "Calouros em Desfile", em meados de 1953, que era apresentado pelo compositor Ary Barroso, por incentivo de amigos e familiares.


Quando ela subiu ao palco, foi recebida pelo auditório e por Ary Barroso, com gargalhadas. Ary fez a seguinte pergunta "De que planeta você veio, minha filha?" E ela rebateu dizendo "Do mesmo planeta que o senhor, Seu Ary. Do planeta fome." Depois, Elza cantou "Lama", de Paulo Marques e Aylce Chaves, e ganhou a nota máxima do programa e logo depois se consagrou como um enorme e ilustre nome da música brasileira, desde os anos 1950 ganhando admirados no Brasil e no mundo.


Elza Soares sempre mostrou uma fervura muito grande seja em composições, suas atitudes antirracistas, seu posicionamento feminista e sua música que fez uma mistura de samba, MPB, jazz, Eletrônica, Hip Hop e Funk. Com 34 discos onde ela cantou artistas que são tão ótimos como ela, como as cantoras Pitty e Joyce Cândido, os músicos Caetano Veloso e Emicida, a banda Titãs, o sambista Jorge Aragão e o artista Chico Buarque, que mostra muito bem como foi o seu lado eclético.


Seu último disco lançado em vida o ótimo "Planeta Fome" de 2019, foi considerado um dos melhores álbuns daquele ano e segue tão atual e vai ressoar por muito tempo ainda. Um trabalho adorado pelo público e pela crítica onde ela desponta seu lado eclético musical e o seu lado político com muita energia e explosão ao trazer temas como combate à fome e a violência, luta contra o preconceito e o racismo e analise critica sobre a desigualdade social.


Ela também foi homenageada em vida através do filme "My Name Is Now - Elza Soares" (que vai ao ar hoje de graça pelo Canal Curta, que liberou o sinal para que todos possam conferir essa obra catártica), pela escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel no carnaval de 2020 com o enredo "Elza Deusa Soares" e com a peça de teatro musical "Elza - O Musical".

Obrigado, Elza Soares por sua arte, sua dedicação a cultura brasileira e seus gritos de protesto! Se é possível hoje lutar por um mundo melhor sem preconceitos, racismos e violências... isso se deve a sua arte, luta antirracista, igualitária e pacifista. Descanse em paz, deusa! Seu legado será eterno e nós seremos os órfãos de um som sinônimo de resistência, garra e amor por sua terra. Um alento para futuras gerações. Adeus, Elza.


Leia também: https://www.teoriacultural.com.br/post/em-planeta-fome-elza-soares-confirma-seu-talento-e-experi%C3%AAncia

 

Sobre Alexandre Tiago

"Um rapaz latino-americano que é um sonhador, que ama futebol, apaixonado pela arte, formado em Direito, é um defensor da democracia e coleciona desde CDs e livros, até as memórias que a vida oferece."

alexandrec_tiago@terra.com.br




 


18 visualizações0 comentário