top of page

'Now And Then': um saudoso "Olá" e um emotivo "Adeus" de uma banda que revolucionou a cultura pop

Portanto, esta criação merece ser celebrada e considerada uma verdadeira joia.

Os Beatles durante uma sessão de fotos nos jardins da St Pancras Old Church, Londres, 28 de julho de 1968.
Crédito: Jeremy Neech para Apple Corps


"Eu sei que é verdade”, ecoa a voz nítida e clara do retorno de John Lennon em 'Now And Then', “é tudo por sua causa”. Uma introdução impactante e surpreendente marca o início da derradeira canção dos Beatles, algo que o mundo não esperava em pleno 2023. A comunidade virtual se encontra polarizada desde que Paul McCartney e Ringo Starr, os membros remanescentes da banda, anunciaram, com o auxílio da inteligência artificial, o lançamento da sua última composição musical.


A canção 'Now And Then' estava arquivada, possivelmente para sempre, até que o diretor de Senhor dos Anéis, Peter Jackson, empreendeu a criação da série documental Get Back, dedicada à produção de 'Let It Be'. Utilizando a tecnologia de "aprendizado de máquina", nas palavras de Jackson, uma espécie de mágica permitiu que a equipe isolasse instrumentos e vocais, além de aprimorar diálogos individuais, revelando assim um retrato nítido e íntimo da icônica banda de todos os tempos em pleno processo criativo.



Quanto à possibilidade de resgatar a voz e o piano de John Lennon para uma última canção, Sean Ono Lennon não hesita em expressar sua aprovação em uma entrevista concedida ao portal NME: "Meu pai teria apreciado essa ideia, pois ele sempre foi aberto a explorar as maravilhas da tecnologia contemporânea."


E assim se concretizou o projeto, com McCartney e Starr incorporando elementos de sua tentativa de 1994, gravando novas partes e acrescentando alguns adornos novos e alguns antigos, gentilmente contribuídos pelo saudoso George Harrison. Além disso, um arranjo de cordas elaborado por Giles Martin, filho do lendário produtor e "quinto Beatle" George Martin, foi adicionado, seguindo a tradição de seu pai.


A cereja do bolo consistiu na inclusão de backing vocals retirados das gravações originais de canções como 'Here, There And Everywhere', 'Eleanor Rigby' e 'Because'. O resultado é o que eles descrevem como uma "autêntica gravação dos Beatles". A música é uma doce homenagem à união e ao recomeço, e soa muito mais completa, genuinamente Beatles, em comparação a 'Real Love' ou 'Free As A Bird'. Portanto, esta criação merece ser celebrada e considerada uma verdadeira joia. É preciso compreender a importância e relevância disso para a cultura pop.



Os vestígios do passado que ressurgem no presente ganham vida no videoclipe inaugural de Peter Jackson, onde vemos Lennon e Harrison, de forma sobreposta, ao lado dos membros sobreviventes, recriando momentos de descontração há muito esquecidos. É uma interpretação extremamente fiel ao título, e 'Now And Then' certamente emocionaria até mesmo os críticos mais obstinados.


Os Beatles durante uma sessão de gravação do álbum “Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band”, Abbey Road Studios, 1967.
Crédito: Jeremy Neech/Apple Corps Limited

'Now And Then' foi lançada como um duplo lado A, ao lado de 'Love Me Do', que foi o primeiro single da banda. Neste lançamento, temos, de fato, o início e o fim de uma era, um saudoso "Olá" e um emotivo "Adeus". Esta não é uma estratégia artificial ou desprovida de autenticidade, mas sim um encontro espiritual que nos convida a encerrar o capítulo da banda que revolucionou o cenário da música pop para sempre, e venhamos e convenhamos, a canção está linda. Os rabugentos de plantões que se entendam com suas teorias incertas.




57 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page