top of page

Keke Palmer acredita que deveria existir um movimento semelhante o #MeToo na indústria da música

O novo álbum da atriz e cantora já está disponível nas plataformas de streaming.

Imagem Reprodução.


Keke Palmer, artista e cantora, expressou sua opinião sobre a relevância do movimento Me Too na indústria musical. Ela destacou a importância de se adotar uma postura semelhante àquela observada em Hollywood em 2017, em que mulheres levantaram suas vozes contra o assédio nos bastidores.


O movimento #MeToo trouxe à tona uma série de denúncias de comportamentos abusivos, o que levou a uma reflexão sobre as condições de trabalho e a cultura tóxica em muitos setores da indústria do entretenimento. Ao defender a aplicação desses mesmos princípios no mundo da música, Keke Palmer destaca a necessidade de se criar um ambiente de trabalho seguro e respeitoso para todas as pessoas envolvidas na indústria musical.



“Está acontecendo no mundo dos atores, mas, eventualmente, vai parar”, disse a cantora à revista People. “Alguém vai ser chamado. Algo vai acontecer. Em algum momento, chegaremos a algum tipo de entendimento. Com a música, é como se todos estivessem sendo subornados e todos fossem policiais desonestos. Então, parece que nada nunca vai realmente acontecer.”

Ela acrescenta: “Sabemos que coisas ruins acontecem em todas as áreas, mas é quase como se o mundo da atuação representasse uma união e a indústria da música representasse a desunião.”


Palmer acabou de lançar o seu novo disco intitulado 'Big Boss'. Ouça abaixo:


9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page