top of page

Johnny Marr sobre a separação do The Smiths: "Tudo foi motivado por decisões pessoais"

Em sua conversa com o MusicRadar, o renomado músico refletiu sobre os eventos que levaram à separação da banda.

Johnny Marr se apresenta ao vivo.
CRÉDITO: Venla Shalin/Redferns


Em uma recente entrevista, Johnny Marr compartilhou que a dissolução dos Smiths, em 1987, foi "essencialmente uma questão pessoal".


Em sua conversa com o MusicRadar, o renomado músico refletiu sobre os eventos que levaram à separação da banda, que ocorreu após o lançamento de seu quarto e último álbum de estúdio, 'Strangeways, Here We Come'.



“Foi principalmente uma coisa pessoal”, disse Marr ao canal. “Estávamos trabalhando em um ritmo tão alucinante – cerca de 50 faixas em quatro anos – que pensei que acabaria me repetindo.”

Ele continuou: “Além disso, fiquei frustrado com o que as pessoas esperavam que eu fizesse. Ao criar suas próprias regras, as influências e os métodos de composição que você se permite usar, você acaba se encaixotando em um canto da política musical.”

Marr também abordou seu desejo contínuo de expressão criativa, mesmo diante da pressão de alguns fãs para se ater a um estilo musical específico. Ele comentou: "Se você rompe com essa situação, muitas vezes é rotulado como 'esgotamento'."


Ele acrescentou que alguns de seus seguidores, para simplificar, queriam que ele continuasse a tocar músicas no estilo característico de sua guitarra Rickenbacker indefinidamente. No entanto, Marr afirmou que, se fosse necessário renunciar à fama, riqueza e popularidade em troca da liberdade de tocar o que deseja, faria isso novamente sem hesitação.




Além disso, o músico discutiu algumas das polêmicas que cercaram a trajetória dos Smiths durante o período em que estiveram juntos. Ele observou que a banda "experimentou praticamente todas as tragédias associadas ao mundo do rock and roll: problemas com drogas, confrontos com a polícia e questões controversas".


Marr complementou suas observações afirmando: "Nós passamos por todas essas situações, exceto por uma, e, graças a Deus, evitamos isso através da nossa separação. Tivemos a sensatez que alguns não tiveram. Há grupos que começam a acreditar que são os Rolling Stones e, consequentemente, adotam um comportamento desse tipo."



Johnny Marr deixou a banda The Smiths em julho de 1987 e, por um curto período, foi substituído por Ivor Perry, ex-membro do Easterhouse. Entretanto, a colaboração de Perry com Morrissey não se concretizou, e quando o álbum 'Strangeways...' foi lançado em setembro, a banda estava efetivamente encerrada.

85 visualizações0 comentário

留言


bottom of page