top of page

I Held The Shape While I Could é um registro lapidado do Bodywash mesclando Dream-Pop e Shoegaze

O segundo disco aponta uma banda disposta a flertar com o Synthpop.

Foto: Divulgação


Como acontece com muitos grupos musicais, o Bodywash começou a tomar forma quando dois estudantes de uma universidade se juntaram e começaram a fazer canções improvisadas. Chris Stewart e Rosie Long Decter tinham a música como uma paixão em comum.


Após alguns ensaios, resolveram adicionar outros integrantes e partiram para a criação de um EP epônimo em 2014. Em 2016, surgiria o début “Comforter” em que uma das características do grupo ficaria bem marcante: a mistura de Dream-Pop, Shoegaze e até mesmo do Trip-Hop.



O grupo de Montreal pretendia realizar uma divulgação maior do début. Entretanto, a pandemia de Covid-19 abafou esse planejamento, mas não desanimou a banda em começar a idealizar um disco sucessor. Trabalhando num som mais amplo, lapidado e disposto a novas texturas, “I Held The Shape While I Could” chega mostrando que o Bodywash está motivado a ocupar essa década e ganhar um pouco da atenção do ouvinte.


O Shoegaze bruto e sem mistérios chega em canções diretas e grudentas na primeira audição como ‘Perfect Blue’ e ‘Sterilizer’. Entretanto, o grupo quer outros experimentos, almeja não ficar preso apenas a esse gênero. Dessa forma, ‘One Day Clear’ chega com uma sonoridade mais acústica onde a vocalista Rosie opta por um monólogo adocicado.


‘Massif Central’ apresenta o cuidado com o instrumental, inclusive no dedilhado da guitarra que é um dos fortes da melodia da canção. Em contrapartida, mesmo quando as faixas se preocupam em desligar as guitarras, camadas vocais, texturas etéreas e ecos garantem um equilíbrio ao trabalho. Caso de ‘Dessents’ e ‘Bas Relief’. ‘Ascents’ confere um cenário eletrônico com uma batida dançante revelando uma banda disposta a flertar com o Synthpop.



Embora o Bodywash ainda carregue pesado em suas heranças sonoras e deixe transparecer bastante suas influências (‘Picture Of’ é puro Cocteau Twins), importante é ver como o segundo disco indica maturidade, estímulo para experimentar outros gêneros e necessidade de aprimorar sua música. Certamente, pode ser um bom caminho para os canadenses.

 

I Held The Shape While I Could

Bodywash


Lançamento: 14 de abril de 2023

Gênero: Dream-Pop, Shoegaze

Ouça: "Picture Of", "Massif Central", "Dessents"

Humor: Nostálgico, Atmosférico, Dissonante


 

NOTA DO CRÍTICO: 8,0

 

Veja o vídeo oficial de ‘Massif Central’:




17 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page