top of page

'Hello Neighbor 2' traz ação, furtividade e terror ao explorar uma vizinhança cheia de segredos

Segundo a empresa produtora do jogo, um dos recursos em que ela mais caprichou foi a Inteligência Artificial 

Foto: tinyBuild LLC


Hello Neighbor 2 é produzido pela tinyBuild LLC, uma empresa americana que tem em seu currículo um catálogo abrangente de jogos indies, alguns bem famosos como Graveyard Keeper (2018), Pathologic 2 (2020) e Tinykin (2022).

 

O jogo traz uma mistura de furtividade (ou stealth como os jogadores costumam denominar), aventura, investigação e terror. Na pele de um jornalista, precisamos solucionar um estranho caso numa pequena cidade chamada Raven Brooks. Para isso, devemos nos esgueirar entre casas, padarias, museus, sótãos e telhados atrás de pistas ou chaves que nos deixam avançar na tarefa.

 

Segundo a empresa, um dos recursos em que ela mais caprichou foi a Inteligência Artificial (IA). Em certa parte, isso é verdade. Por exemplo, numa das casas que precisamos investigar, um policial fica fazendo a segurança do local e realmente não nos dá trégua. A todo instante, o jogador será interrompido pelo insistente policial. 


Hello Neighbor 2
Foto: tinyBuild LLC


Por sorte, os checkpoints são bem generosos. Muitas ações, como destrancar uma porta, são salvas mesmo quando somos capturados pela IA. Apesar de retirar a dificuldade do jogo, ao menos não frustra o jogador e impede que a invasão de uma casa não fique monótona demais.

 

O interessante é o equilíbrio que o jogo oferece. Enquanto existem muitos lugares que podemos nos esconder para que não sejamos vistos como dentro de guarda-roupas ou por baixo de mesas, ao mesmo tempo vidros quebrados e brinquedos que apitam ao serem pisados entregam nossa posição no cenário.

 

Então, todo cuidado é pouco ao andar pelos cenários. Observação e encontrar melhores atalhos são essenciais. Também é necessário procurar por pistas como números, pois alguns deles nos permitem acessar cofres e trancas pelos ambientes.


O jogo conta com muitos puzzles, mas não tão complicados e muitos deles dando o direito de receber uma chave que nos vai levar adiante a outro lugar (com mais chaves ou objetos para recolher).




Um destaque para ressaltar é a arquitetura dos cenários. Cômodos que se conectam, vários caminhos para fugir de nosso perseguidor, esconderijos e detalhes que passam uma maior dimensão aos ambientes como animais empalhados do museu ou mesmo o jardim imponente de uma mansão.

 

Os gráficos são bem coloridos, favorecendo uma vizinhança viva que nos convida explorar os arredores. O jogo tem uma boa iluminação e é agradável ver as ruas iluminadas e até mesmo a claridade passando pelas janelas. As sombras e a escuridão em alguns cenários conferem uma atmosfera mais sombria e aumenta o temor que nos toma conta quando alguém nos persegue.

 

Algumas cenas são humoradas, sobretudo quando somos obstruídos pelo nosso perseguidor (a dona da padaria, por exemplo) ou quando existe a opção de jogar uma lata de tinta para atrasá-lo um pouco. O movimento e o jeito de personagens caricaturizados muitas vezes parecem que foram tirados de um desenho animado.

 

A jogabilidade é bem simples. Pegar itens e colocá-los no lugar correto, ativar alavancas, encontrar objetos e chaves, preferencialmente não ser visto, e, se for, fugir e se esconder rapidamente. Um inventário está a nossa disposição e ali temos as ferramentas que precisamos.


 

Entretanto, objetos como pé de cabra e chave inglesa podem sumir. Isso tira um pouco o foco do objetivo, fazendo com que o jogador volte a procurar pelo item necessário. Por sorte, muitas vezes o objeto perdido pode ser encontrado em alguma parte do cenário ou voltando para nossa residência base que serve como uma espécie de esconderijo e depósito.

 

Também é bem inconveniente quando o acessório não funciona de forma rápida e corretamente. Exemplo é o extintor de incêndio que em certa hora usamos para apagar o foto de uma lareira para obter uma chave, entretanto, o objeto teima em não apagar o fogo prontamente (oferecendo tempo para que a IA nos alcance). 


Hello Neighbor 2
Foto: tinyBuild LLC

Alguns jogadores podem ficar confusos porque o jogo, com exceção do tutorial, não explica tanto o que fazer. Muito vai da nossa intuição e depende bastante do senso de observação e de olhar cantos, frestas, estantes, alçapões e até passagens por cima do teto.



Hello Neighbor 2 recebeu algumas melhorias consideráveis em relação ao primeiro jogo. Em parte convence pelo tom humorado e pela curiosidade de chegar até a última porta trancada. Pode até agradar caso você não seja tão exigente, não se importe que ele seja curto (sobretudo se o jogador olhar vídeos/guias pelo Youtube) e que possua alguns bugs e defeitos. A versão testada foi a de PS4.

 

Hello Neighbor 2


Plataformas:PlayStation4,PlayStation5,XboxOne,XboxSeriesXandSeriesS,Microsoft,Windows,EpicGamesStore,Steam

Lançamento: 6 de dezembro de 2022

Desenvolvedor: Eerie Guest, tinyBuild

Gêneros: Stealth, aventura, terror

Estúdios: Eerie Guest


 

 NOTA DO CRÍTICO: 6,5

 

Trailer do jogo:



23 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page