top of page

Giovanni Caruso abraça novas experimentações com o disco 'Pangeu'



Giovanni Caruso (Escambau) estreia sua jornada solo com uma feição intimista e sensacional. 'Pangeu' viaja por inúmeras atmosferas e ritmos sonoros. São canções emocionantes e espontâneas que exalam o poder da voz e do violão. Um disco simples, direto e sincero. Caruso conseguiu transmitir aquele sentimento despojado, como se estivesse brincando com os acordes no violão e diferentes formas líricas no sofá de sua casa.


Pegando carona nessas nuances agridoces, o trabalho vai ganhando formas através de músicas que resvalam fortemente nas influências de Beatles e Belchior, com bons elementos do rock dos anos 60 e 70. Tudo isso é misturado e simplificado com a criatividade artística do músico que usa um vocabulário rico e cativante ao despejar suas emoções e sentimentos em palavras que vão do português (tanto do Brasil, quanto de Portugal) e até mesmo um "portunhol", isso traz uma dinâmica e ambientação para o álbum que permite o ouvinte navegar por todas as histórias que estão sendo narradas em 11 faixas experimentais que conseguem extrair o melhor dos sons do violão.


"Estranhamente Íntimos" faixa que abre o disco é ambientada por uma sonoridade regionalista e raiz, lembra aquelas modas de violas antigas, com uma letra poética sobre o tempo e seus efeitos, um sentimento que bate na porta com frequência e independente do tempo passar, manter o espirito juvenil e a chama da paixão acesa pode ser uma válvula de escape para melancolia de dias incertos. A música mais parece um diálogo com eu novo e o eu velho, colocando as cartas sobre a mesa.


Para se ter ideia da versatilidade desta obra, em "Poesias Sinceras" Giovanni usa o eu lírico e locuções culturais para entregar uma história romântica muito bonita. A melodia lembra uma mistura entre Beatles e Bob Dylan e explora elementos experimentalistas trazendo uma atmosfera retrô e convidativa. Mas, 'Pangeu' também bebe das fontes psicodélicas e do rock progressivo, gêneros bem expressivos na faixa "Orgão Efetivo do Livre Espaço do Pensar" uma música que foge literalmente da proposta do álbum. Uma reviravolta impressionante.

É incrível a façanha de Caruso, e como ele consegue brincar com elementos sonoros e trafegar magistralmente entre o Rock, Pop, modas de violas e extrair disso tudo um som original e psicodélico que em muitos momentos se esbarram nas maluquices do saudoso "Maluco Beleza".

Giovanni também contextualiza sua obra com o cenário político e social da nossa atualidade, com críticas pontuais escondidas nas entrelinhas ou até mesmo através de sátiras que denunciam o desmanche dos direitos básicos da vida. Essa mensagem é entregue nas faixas "Live do Nosso Senhor" e "Mitologia de um Imbecil".


Giovanni Caruso entrega um disco conciso e equilibrado, instigante e curioso. 'Pangeu' pode até fugir das vertentes do Rock, mas não deixa de ser punk, com sua atitude, ousadia, autenticidade e a coragem de dizer coisas que precisam ser ditas. Um disco de 2020, que abraça calorosamente com a alma e coração a vida de lá para cá. Simplesmente ouça!

 

Giovanni Caruso

'Pangeu'


Lançamento: 14 de agosto de 2020

Gênero: Rock, Rock Progressivo e Rock Psicodélico

Ouça: "Estranhamente íntimos", "Poesias Sinceras" e "Mitologia de um Imbecil"


 

NOTA DO CRÍTICO: 8,0

 

Ouça "Estranhamente íntimos" abaixo:


 

Spotify:
















 

63 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page