top of page

Fabiano do Nascimento embarca em uma viagem jazzística cheia de nuances no relaxante Das Nuvens

O uso da música em sua forma e capacidade inefável de relaxar e inspirar.

Imagem Reprodução.


Paisagens oníricas, atmosferas sedutoras e viajantes são algumas das atrações que logo chamam a devida atenção no som detalhado e muito bem tocado pelo músico, violonista e produtor carioca Fabiano do Nascimento. Atualmente, Fabiano mora em Los Angeles e com isso conseguiu adaptar uma sonoridade única e rica em detalhes, passeando por ritmos brasileiros como Samba e MPB, acrescentando elementos da música eletrônica, Jazz moderno e muitas camadas experimentais. Um som expansível, meio retrofuturista. Todas essas características estão presentes no seu novo disco 'Das Nuvens', lançado dia 23 de julho de 2023. Gravado no estúdio caseiro de Nascimento com seu amigo e colaborador de longa data, Daniel Santiago.


O novo trabalho soa como um estudo minucioso da trajetória de Nascimento, o músico tem todo um cuidado para equilibrar as notas de seu violão com as camadas experimentais que trazem um certo frescor e charme para o disco. Uma ampla e diversificada compilação de músicas, todas as quais aparentam dar destaque e prosperar nos momentos suaves e propositais entre as notas. Isso fica bem evidente em "Babel", faixa que abre o registro e logo surge na mente do ouvinte obras como a de Baden Powell e até mesmo o encontro revolucionário entre Sam Shepherd (conhecido como Floating Points), produtor de música eletrônica, e o saudoso semideus do Jazz Pharoah Sanders.



É possível adentrar em um universo climático repleto de paisagens cinematográficas, arranjos bem cuidados, percebidos pelo dedilhar dos dedos nas cordas do violão, nas camadas e batidas orientadas para o groove em "Thdwrld". Alguns elementos dessa música remetem a um Radiohead na fase Kid A e Amnesiac. Aliás, esse sentimento se manifesta várias vazes no disco, seja pelo uso da música eletrônica e arranjos experimentalistas muito bem provocados por Fabiano.


Parece que cada música age como uma ponte para a próxima faixa, revelando o panorama completo no percurso em "Train to Imagination", e isso acaba criando aquela roupagem cristalina e convidativa. É preciso frisar mais uma vez, a atenção e cuidado dado para as melodias do violão com elementos jazzísticos e eletrônicos, amparados por fragmentos da música brasileira que vão muito além do Samba, MBP. A faixa-título ("Das Nuvens") é um bom exemplo dessa fusão de sonoridades, com um toque sedutor do Tropicalismo embutidos em suas linhas. Fabiano é um músico atento aos mínimos detalhes.



Por mais que essa ambientação criada no decorrer das 11 faixas do trabalho possa criar aquela sensação de repetição e de um disco arrastado, a obra consegue se segurar pelo processo criativo e os sons que o músico consegue extrair, e isso não deixa que a audição se torne sem emoção ou sem graça. Deixe-se levar pelas ondas oníricas de "Aurora" e, com certeza, o resultado dessa viagem será satisfatório. Um disco para você chegar em casa depois de um dia agitado e estressante no serviço, tomar um banho, relaxar em uma poltrona ou sofá e viajar por lugares sem sair do lugar.



'Das Nuvens' representa a exploração criativa e desinibida de um músico que, após dominar uma linguagem musical única, procura aplicar sua destreza em formas de expressão mais abertas e experimentais. O uso da música em sua forma e capacidade inefável de relaxar e inspirar.

 

Das Nuvens

Fabiano Nascimento


Lançamento: 21 de julho de 2023

Gênero: Jazz, Instrumental, Eletrônica

Ouça: "Babel", "Das Nuvens", "Aurora"

Humor: Climático, Relaxante, Atmosférico

Pra quem curte: Baden Powel, Amaro Freitas


 

NOTA DO CRÍTICO: 7,0

 

Ouça "Babel




79 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page