top of page

Especial safra brasileira/ 1973, parte 3: A mistura musical de Luiz Melodia em "Pérola Negra"

Um especial que explora o Brasil e a música brasileira em 1973. O terceiro texto é sobre o primeiro disco de Luiz Melodia, o famoso "Pérola Negra". Boa leitura a todos!

Daryan Dornelles/VEJA


Entra e sai ano sempre fica a análise de anos anteriores na arte e na cultura para servir de inspiração e até mesmo de nostalgia, seja para quem nasceu naquele período e para quem não nasceu usa o recurso da pesquisa para conhecer e usufruir coisas marcantes daquele tempo com sentimentos que passam pela curiosidade de conhecer até a satisfação de apreciar algo que considera maravilhoso.


O ano em foco aqui e em futuras postagens dessa série especial é 1973. Ele é considerado por diversas pessoas um ano extremamente movimentado, fértil, impactante, emocionante e criativo, que pode ser estudado em várias camadas culturais e sociais. Analisaremos o Brasil e sua música, que em anos anteriores, como em 1972, vivia uma grande safra prolífica, eclética e de muita qualidade. O terceiro álbum a ser falado nesse especial é “Pérola Negra” a estreia musical do Luiz Melodia. Boa leitura!



A década de 1970 foi sem dúvidas uma das mais criativas na música, com discos espetaculares e artistas demonstrando qualidades absurdamente ótimas, seja em letras ou em sons em uma mistura grande de referências e elementos. E com Luiz Melodia isso também se aplica de forma grandiosa.


Nascido no morro do Estácio, na cidade do Rio de Janeiro, em 7 de janeiro de 1951, Luiz despertou muito cedo seu amor muito cedo. Ele é filho de Oswaldo Melodia, um renomado músico da cena musical carioca que ao ver ele tocar resolveu ser músico também e deixou assim para trás um sonho de infância que era ser ponta direita do Vasco, seu time de futebol do coração. Com o objetivo de ser músico, ele foi tocando e criando um estilo único que misturava a MPB com Samba, Soul e Rock que deu uma sonoridade elétrica, letras poéticas e voz impactante.


Isso chamou a atenção de Wally Salomão e Torquato Neto, dois importantes poetas e compositores da música brasileira, que fizeram com que duas músicas suas fossem gravadas antes do seu primeiro disco. A primeira foi “Pérola Negra” que teve uma bela gravação feita por Gal Costa no seu fabuloso disco ao vivo “Fa-Tal - Gal a todo vapor” de 1971 e a segunda foi "Estácio, Holly Estácio” em uma bela interpretação de Maria Bethânia em 1972 no álbum “Drama – Anjo Exterminado”.


Após ver que as versões das cantoras estavam fazendo sucesso, Luiz resolve assinar com a gravadora Phillips (atual Universal Music) para lançar seu primeiro disco, o famoso “Pérola Negra” em 1973.


O disco apresenta bem a mescla de misturas musicais do artista em 10 faixas bem poéticas. “Magrelinha” possui um riff de guitarra bem presente em uma letra cheia de romantismo em uma sintonia espetacular que faz a ser a faixa mais roqueira. “Farrapo Humano” é outra canção com elementos de Rock e ela traz um lírico bem impactante.

“Estácio, Holly Estácio” apresenta elementos de Blues que são bem acompanhados por uma gaita, voz polida e letra sensacional que qualquer um querer saber como é morrer de amor no Estácio em uma sonoridade que transparece leveza. “Estácio, Eu e Você” é mais uma ode que se refere novamente à Estácio ao exalta o lugar com passeio na praça em um clima de romance com um som que é uma mistura de Samba Canção e Samba de Raiz cheia de ritmo.



“Vale Quanto Pesa” apresenta um lírico de desilusão amorosa em uma sonoridade bem elétrica, dançante e empolgante que demonstra descontamento na forma mais viril. Enquanto a faixa-título representa declaração amorosa com elementos jazzísticos, calmos e profundos que se sobressai natural com sua pureza sentimental.

“Pérola Negra” apesar de ter recebido um enorme elogio da crítica, não foi bem vendido na época, mas, foi felizmente redescoberto poucos anos, quando Luiz Melodia lançou o álbum "Maravilhas Contemporâneas" pela Som Livre onde teve a música “Juventude Transviada” tocada em exaustão na bem sucedida telenovela “Pecado Capital” da TV Globo em 1975 que fez ele ter reconhecimento e glorificou e cultuou sua estreia para mostrar a qualidade artística do ano de 1973 e eternizar o músico como uma das grandes e importantes vozes negras da música brasileira ao transmitir fortes emoções no seu jeito emocionante de cantar e compor.

 

Pérola Negra

Luiz Melodia


Gênero: MPB

Lançamento: 1973.

Ouça: "Pérola Negra", "Magrelinha", "Estácio, Eu e Você" .


 

NOTA DO CRÍTICO: 10

 

Ouça Luiz Melodia cantando a música "Pérola Negra":


198 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page