top of page

Entenda por que Daryl Hall está processando John Oates

Além disso, o juiz agendou uma audiência relacionada ao caso para a próxima quinta-feira (30) em Nashville.

Daryl Hall e John Oates
Imagem: Reprodução.


A Associated Press revelou os detalhes por trás do processo legal instaurado por Daryl Hall contra seu parceiro musical de longa data, John Oates. O motivo por trás da ação foi exposto pela reportagem.


A agência de notícias obteve acesso aos documentos legais e divulgou que a ordem de restrição, concedida em 16 de novembro, tinha o propósito de bloquear uma venda ilegal de participação da dupla, contrariando as informações inicialmente veiculadas pelo TMZ e replicadas por este site. Embora o texto não esclareça o tipo de participação em questão, Hall já havia manifestado em uma entrevista de 2021 sua decepção e descontentamento com a venda de uma parte significativa do catálogo do duo há mais de 15 anos.



Conforme apontado pela reportagem, Oates estaria em negociações por meio de seu espólio com a Primary Waves IP Investment Management, detentora de uma parcela substancial do catálogo da dupla, visando vender sua participação remanescente. Segundo Hall, essa transação estaria impedida de ocorrer devido a um acordo previamente estabelecido entre eles. Além disso, a simples revelação desse acordo em uma carta de intenção ao potencial comprador violou uma cláusula de confidencialidade.


Na petição para a ordem de restrição apresentada no Tribunal de Chancelaria de Nashville, os advogados de Daryl Hall argumentaram que as partes tinham concordado em resolver a disputa por meio de arbitragem, um método que envolve a nomeação de uma terceira pessoa para resolver o conflito sem recorrer ao sistema judicial. No entanto, a equipe legal de John Oates informou aos profissionais de Hall sobre a iminência do fechamento da venda antes mesmo da seleção de um "árbitro". Essa situação gerou a necessidade de uma intervenção legal mais urgente.


Ao emitir a ordem de restrição, o juiz determinou que nem Oates nem outras partes associadas ao seu espólio estão autorizados a concluir a venda antes de uma decisão do árbitro ou até que a medida judicial expire. No entanto, a autoridade tem a prerrogativa de prorrogar o prazo se não houver um acordo alcançado no período de 15 dias.



Além disso, o juiz agendou uma audiência relacionada ao caso para a próxima quinta-feira (30) em Nashville.


Os pormenores da ordem de restrição, concedida em 16 de novembro, foram inicialmente mantidos em sigilo, atendendo ao pedido da equipe jurídica de Hall. A justificativa apresentada na petição foi que se trata de uma disputa privada relacionada a um acordo confidencial, o qual também está sujeito a um processo de arbitragem conduzido de maneira confidencial.


Com uma carreira que remonta a 1970, Hall & Oates conquistaram o título de duo mais vendido na história da música pop, com mais de 40 milhões de álbuns vendidos globalmente. Contudo, indícios apontam para um distanciamento na parceria há algum tempo. Em uma participação de Hall no podcast Club Random, em 2022, ele descreveu Oates como seu associado nos negócios, mas não no âmbito criativo.



O mais recente álbum de Hall e Oates contendo material inédito foi "Do It for Love", lançado em 2003. Posteriormente, a dupla tomou a decisão de processar sua própria gravadora em 2008. Em 2015, eles se uniram novamente para entrar com um processo contra uma empresa de granola que comercializava um produto chamado "Haulin’ Oats". Apesar das tensões, eles continuaram a se apresentar juntos, mas em 2022 realizaram apenas sete shows, e até o momento de 2023, a agenda da dupla permaneceu vazia.

13 visualizações0 comentário
bottom of page