top of page

Dos voos aos pianos, a complexidade por trás dos shows de Paul McCartney no Brasil

Atualizado: 11 de dez. de 2023

Os espetáculos têm uma duração de aproximadamente 2 horas e meia, abrangendo diversas fases da carreira do músico.

Paul McCartney em apresentação da "Got Back Tour" em Brasília.
Foto: Marcos Hermes


Desde o final de novembro, Paul McCartney tem percorrido o Brasil com sua turnê 'Got Back'. Recentemente, o lendário ex-Beatle se apresentou em Brasília, Belo Horizonte e, atualmente, está em São Paulo, com planos de seguir para o Rio de Janeiro e Curitiba.


Os espetáculos têm uma duração de aproximadamente 2 horas e meia, abrangendo diversas fases da carreira do músico, desde seus dias nos Beatles até os anos dos Wings e seu trabalho solo. Além das canções, a performance é enriquecida com efeitos visuais impressionantes, fogos de artifício (em 'Live and Let Die') e tecnologia inovadora nos telões, que possibilita até mesmo um dueto virtual emocionante com John Lennon (em 'I've Got a Feeling').



A realização de uma apresentação desse porte no país enfrenta desafios logísticos, conforme compartilhado por Luiz Guilherme Niemeyer, filho do empresário musical Luiz Oscar Niemeyer, responsável pela vinda de Paul McCartney desde 1990. Em uma entrevista à Forbes, Niemeyer detalhou o processo burocrático envolvido.


De acordo com o sócio da produtora Bonus Track, encarregada dos eventos, grande parte dos elementos visíveis no palco é importada. Portanto, o transporte dos equipamentos e instrumentos, incluindo o icônico piano de cauda, requer o uso de aeronaves de carga ou navios. Além disso, uma aeronave adicional é dedicada exclusivamente ao deslocamento da equipe internacional.


"A organização de um espetáculo dessa magnitude inicia-se vários meses antes. Necessitamos de um avião fretado para transportar uma equipe internacional composta por mais de 100 profissionais. Além disso, há a logística para o transporte de equipamentos, que pode ser realizado por navio ou avião jumbo de carga. Esses incluem dispositivos de áudio, vídeo, efeitos especiais, e, é claro, todos os instrumentos, como o emblemático piano de cauda de Paul."

Conforme Niemeyer explica, a produção conta com uma equipe permanente que atua durante toda a turnê, além de profissionais locais específicos para cada cidade.


"A equipe de produção local é composta por profissionais altamente qualificados, que colaboram de maneira sinérgica há vários anos. Contamos com uma equipe permanente que acompanha toda a turnê, além de profissionais locais em cada cidade para lidar com a produção e montagem. Um exemplo disso foi durante o show em BH, onde, simultaneamente, o Allianz Parque já estava sendo preparado para o próximo evento."


McCartney no Brasil


  • 30/11 – Brasília, DF – Arena BRB Mané Garrincha

  • 03/12 – Belo Horizonte, MG – Arena MRV

  • 04/12 – Belo Horizonte, MG – Arena MRV

  • 07/12 – São Paulo, SP – Allianz Parque

  • 09/12 – São Paulo, SP – Allianz Parque

  • 10/12 – São Paulo, SP – Allianz Parque

  • 13/12 – Curitiba, PR – Estádio Couto Pereira

  • 16/12 – Rio de Janeiro, RJ – Maracanã

81 visualizações0 comentário
bottom of page