top of page

Com 'Perpétuo', Black Pantera amplia seus horizontes musicais para trazer ao mundo a ideologia antirracista

Perpétuo foi lançado oficialmente em 24 de maio de 2024



A banda de rock Black Pantera, formada em 2014 em Uberaba, Minas Gerais, tem se destacado por suas letras poderosas e sua postura antirracista. Composta por Charles Gama (guitarra e vocal), Chaene da Gama (baixo) e Rodrigo "Pancho" Augusto (bateria), a banda homenageia o movimento Panteras Negras dos Estados Unidos e aborda temas como racismo e discriminação em suas músicas. Suas influências musicais incluem em: Tupac, Sepultura, Rage Against The Machine, Raimundos, Bad Brains e Living Colour.


Em 2022, Black Pantera lançou seu terceiro álbum, 'Ascensão', que foi amplamente elogiado e rendeu à banda várias indicações a prêmios, além de colaborações com artistas como a banda Tuyo e Rodrigo Lima, vocalista da Dead Fish. Em 2024, a banda lançou seu quarto álbum de estúdio, 'Perpétuo', consolidando ainda mais sua postura antirracista e inovando no cenário musical brasileiro.


Com 12 faixas e uma duração total de menos de 40 minutos, 'Perpétuo' é um álbum impactante tanto em conteúdo quanto em visual. A capa, criada por Stephan Doitschinoff, faz referência explícita aos Panteras Negras dos Estados Unidos, combinando elementos de postura, vestimenta e bandeira que capturam a atenção do ouvinte.


É preciso salientar que as letras da banda são antirracistas. Os integrantes levam a linguagem contra o preconceito racial inspiradas em falas e livros de pessoas como Djamila Ribeiro, Chimamanda Ngozi Adichie, Angela Davis e Frantz Fanon de forma direta, impactante e necessária para mostrar a importância de fazer essa fala um conteúdo de cunho social importante para ler, ouvir e refletir nas ações que exercemos como cidadãos nesse mundo.

 

Tradução” tem um tom profundo e sentimental no seu conteúdo lírico isso porque Chaene da Gama faz uma bonita homenagem para sua mãe e ao seu irmão Charles. A faixa mostra a importância do amor e da família como bases emocionais e estruturais importantes para formação de caráter, mas também, como apoio para momentos bons e ruins da vida. Seu som tem arranjos menos intensos porque não chega a ser um rock pesado, mas ainda assim é uma música arrebatadora que merece o apreciamento a ponto de se tornar futuramente um possível hit clássico da banda.

 


Fudeu” fala sobre o povo negro ser reprimido e alvos de preconceito na sociedade. A letra aborda que esse julgamento não deve ser aceito. E mostra que a música pode ser destinada também para outros grupos sociais pertencentes a minorias sociais como povos originários (que anteriormente eram chamados de indígenas), imigrantes e pessoas pertencentes à LGBTQIAPN+ não devem aceitar preconceitos. Tudo isso é feito em melodias viscerais.

 

Promissória” fala sobre a política neoliberal no cotidiano da população negra de uma forma esmagadora e bem inspirada em líricos de artistas como Planet Hemp, Racionais MC’s, O Rappa e até mesmo de Bezerra da Silva que fazem músicas excelentes com forte teor politico no contexto pop/rap/rock brasileiro. Seu som é potente e é um destaque atmosférico dentro do disco com riffs pesados e bem posicionados. Esses riffs também são muito bem feitos também em “Sem Anistia” em que apresenta juntamente com essa sonoridade com uma letra que apresenta um forte e direto discurso político.

 

Outras faixas de destaque incluem "Candeia", que exalta a brasilidade, a faixa-título "Perpétuo", que explora a ancestralidade negra, e "Mahoraga", que faz referência ao anime "Jujutsu Kaisen" do mangaká japonês Gege Akutami. Cada música oferece uma experiência introspectiva e empática, destacando a versatilidade sonora da banda.

 

'Perpétuo' é o álbum mais completo e conciso do Black Pantera até o momento. Com uma combinação de sons leves, percussivos e pesados, a banda amplia suas referências musicais e aborda uma variedade de temas de forma consciente. O disco reafirma o compromisso da banda com o antirracismo e oferece uma rica experiência musical para os ouvintes, sendo, portanto, um verdadeiro destaque positivo do rock no Brasil em 2024.



Angela Davis disse: “Numa sociedade racista, não basta não ser racista; é necessário ser antirracista.” O Black Pantera pode facilmente expandir essa ideia com sua música, afirmando a seguinte citação: "Numa sociedade racista, é necessário, além de ser antirracista, ouvir o disco 'Perpétuo' para compreender e refletir sobre as complexidades desiguais e raciais do mundo contemporâneo."

 

Perpétuo

Black Pantera


Ano: 2024

Gênero: Rock

Para quem gosta de: Planet Hemp, Living Colour, Rage Against The Machine

Ouça: "Fudeu", "Promissória" e "Tradução"


 

NOTA DO CRÍTICO: 9,0

 

Veja o clipe de "Tradução"


68 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page