top of page

Christopher Nolan revela que não irá trabalhar em filmes até o fim da greve em Hollywood

O elenco de seu novo filme 'Oppenheimer' saiu da estreia no Reino Unido esta semana, quando uma greve de atores começou.

Foto de Gabe Ginsberg/WireImage)


O renomado cineasta Christopher Nolan revelou recentemente que não vai trabalhar em filmes até o fim da greve em Hollywood.


O conselho nacional da SAG-AFTRA (Screen Actors Guild – Federação Americana de Artistas de Televisão e Rádio) – o maior sindicato de Hollywood, que representa 160.000 atores e performers – votou unanimemente pela greve, segundo o The Los Angeles Times.



A SAG-AFTRA busca melhores salários e condições de trabalho na era do streaming, enquanto outras negociações estavam relacionadas a salvaguardas contra o uso não regulamentado de inteligência artificial na indústria.


Esta semana (13 de julho), o elenco do novo filme de Nolan, Oppenheimer, saiu da estreia no Reino Unido no momento em que a greve dos atores começou.



Milhares de produções de Hollywood estão, portanto, atualmente pausadas, e Nolan discutiu o significado da greve em entrevista à BBC News, dizendo: "Não é sobre mim."


Questionado se trabalharia em novos filmes durante a greve, ele respondeu: “Não, absolutamente. É muito importante que todos entendam que é um momento muito importante na relação entre os trabalhadores e Hollywood. Isto não é sobre mim, não é sobre as estrelas do meu filme.”

Emily Blunt e Cillian Murphy assistem à estreia de “Oppenheimer” no Reino Unido. (CRÉDITO: Eamonn M. McCormack/Getty Images para Universal Pictures)


A AMPTP disse em comunicado que “uma greve certamente não é o resultado que esperávamos, pois os estúdios não podem operar sem os artistas que dão vida aos nossos programas de TV e filmes”.


“Lamentavelmente, o Sindicato escolheu um caminho que levará a dificuldades financeiras para incontáveis ​​milhares de pessoas que dependem da indústria”, acrescentou.

23 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page