top of page

Celeste - Echi di un Futuro Passato: Uma experiência musical envolvente e significativa

Desde o seu retorno em 2016, considero "Echi di un Futuro Passato" o maior feito da banda. Neste álbum, a flauta e o mellotron desempenham papéis proeminentes, oferecendo camadas ricas que capturam vividamente a imaginação do ouvinte.

Celeste
Foto: Montagem/Divulgção


Celeste foi formada em 1972 na cidade de Lecce, no sul da Itália. Seus membros originais, Ciro Perrino, Leonardo Lagorio, Massimo Mazzeo e Giorgio Battaglia, compartilhavam uma visão ambiciosa de criar música progressiva que incorporasse uma ampla gama de influências. A banda rapidamente chamou a atenção por suas composições complexas e sua abordagem eclética. Sua sonoridade, é distinta por pelo seu enfoque virtuosístico e sua capacidade de criar atmosferas emocionais vívidas.


Na sua primeira fase, a banda esteve ativa entre 1972 e 1977, período durante o qual lançaram apenas um álbum. No entanto, esse álbum único se tornou um dos grandes clássicos do rock progressivo italiano, reverenciado até hoje pela sua inovação musical e influência duradoura. Após um hiato de quase quatro décadas, a banda foi reativada em 2016 por Ciro Perrino, o único membro original ainda presente no grupo. Esta retomada trouxe uma nova energia e criatividade à banda, que desde então tem lançado regularmente novos discos.



Desde o seu retorno, considero Echi di un Futuro Passato o maior feito da banda. Um álbum que a flauta e o mellotron desempenham papéis proeminentes, oferecendo camadas ricas que capturam vividamente a imaginação do ouvinte. Essa presença tão forte da flauta e do mellotron adiciona uma dimensão atmosférica e evocativa às composições, transportando os ouvintes para paisagens sonoras únicas e emocionantes.


Além disso, o uso do saxofone no álbum aumenta a intensidade e profundidade das composições, seus solos adicionam uma camada de emoção às melodias, enriquecendo ainda mais a narrativa do disco. Já a base rítmica, com a sua solidez permite que as melodias e texturas se desenvolvam de maneira orgânica e coesa. O ritmo firme e preciso sustenta as composições, proporcionando uma estrutura sólida sobre a qual os elementos melódicos podem florescer e evoluir.


Pigmenti inicia o disco por meio de uma jornada musical completa, onde cada elemento se entrelaça de forma harmoniosa para criar uma experiência auditiva emocionante e memorável. Cada um dos instrumentos desliza brilhantemente por notas fluidas e expressivas. Sottili Armonie, com quase 11 minutos, é a peça mais longa do disco, uma composição expansiva e envolvente que entrega uma experiência auditiva excepcional, capturando a imaginação e tocando os corações dos ouvintes com suas harmonias sutis e texturas musicais riquíssimas.



Aspetti Astratti, por meio de uma combinação de elementos sonoros diversificados, incluindo baixo fretless, metais vibrantes, mellotron e flauta, a banda criou um verdadeiro testemunho da sua criatividade e talento, destacando-se como mais um ponto alto do álbum. Attese Sottese é mais uma bela faixa que se desenvolve de forma envolvente, evocando paisagens sonoras exuberantes e atmosféricas oníricas. O destaque fica por conta de um solo brilhante de saxofone que rasga a peça de forma intensa.


Misteri Evoluti evolui gradualmente, tecendo uma tapeçaria sonora detalhada que transporta o ouvinte para um ambiente sereno e imaginativo, sendo uma verdadeira celebração à interação brilhantemente criativa, dinâmica e expressiva entre os músicos e os diferentes timbres dos instrumentos. Madrigale, extremamente comovente, possui uma paixão persistente e ao mesmo tempo frágil, além de se expressar de maneira sublime. Uma verdadeira aula gratuita de como criar uma música que tem a capacidade de ressoar diretamente no coração e na alma do ouvinte.


Circonvoluzioni é a peça de encerramento do álbum. O mellotron cria uma atmosfera rica e expansiva, enchendo o espaço sonoro com suas texturas abastadas. Uma peça magistral que encapsula a habilidade da banda em criar músicas progressivas apaixonantes e emotivas. A combinação de instrumentação sofisticada, melodias cativantes e interpretações vocais expressivas resulta em uma jornada musical verdadeiramente inesquecível. Esta composição finaliza o disco de forma incrível.


Dentro da esfera da música progressiva, Echi di un Futuro Passato vai poder figurar com propriedade em qualquer lista de melhores de 2024. Cada faixa se encaixa perfeitamente no contexto geral do disco, contribuindo para uma experiência auditiva fluida e envolvente. É explícita a habilidade da banda em criar uma sequência de músicas que se complementam e se conectam de forma orgânica. A transição suave entre as faixas mantém de forma constante o ímpeto e o interesse do ouvinte, garantindo que o álbum seja uma jornada contínua e agradável do início ao fim.


Além disso, a diversidade e a riqueza musical presentes em cada faixa garantem que não haja monotonia. Cada música oferece algo único e especial, seja através das texturas sonoras, melodias inspiradoras ou performances emocionais. No geral, Echi di un Futuro Passato é maravilhoso em termos de fluidez e coesão. É uma demonstração da excelência artística da banda em criar uma experiência musical envolvente e significativa, capturando a atenção e o coração dos ouvintes do começo ao fim.

 

 Echi di un Futuro Passato

Celeste


Ano: 2024

Gênero: Rock Progressivo

Ouça: "Sottili Armonie", " Attese Sottese", "Madrigale"

Pra quem curte: Genesis, Premiata Forneria Marconi, Il Bacio Della Medusa






 

NOTA DO CRÍTICO: 9,5

 

Ouça "Sottili Armonie"


57 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page