top of page

Canto Cego equilibra peso e poesia em seu álbum homônimo

A característica maior do quarteto é casar peso com poesia. E isso eles fazem bem.

Foto: Fred Fogel / Divulgação


Canto Cego é um grupo originário da Favela da Maré (RJ) que foi formado em 2010. E neste tempo de atividade já colecionaram algumas conquistas interessantes. Ganharam prémios no Festival da Nova Música Brasileira (2012) e do Planeta Rock (2014), também participaram de shows ao lado de grandes nomes da música como Ira!, Biquini Cavadão e Detonautas.


E não para aí. Em 2015, foram convidados para tocar no Montreux Jazz Festival (Suíça). Neste tempo, a banda aproveitou para fazer uma turnê, acrescentando muitos pontos para sua experiência musical.



O début “Valente” foi lançado em 2017. Dois anos depois, o sucessor “Karma” veio para confirmar a vontade do grupo em fazer música. O quarteto é integrado por Roberta Dittz (vocal), Ruth Rosa (bateria), Rodrigo Solidade (guitarra) e Magrão (baixo).


A característica maior do quarteto é casar peso com poesia. E isso eles fazem bem. Preocupação com um instrumental que frequentemente surge explosivo nas canções e um abrangente lirismo não tão fácil de assimilar por conta de muitas mensagens, metáforas e significados.

As letras podem ir pelo caminho existencialista, filosófico. Em ‘Luto’, por exemplo, sob forma de monólogo, a vocalista Roberta canta: ‘Absorvemos os lutos / Enaltecemos as lutas / Somos um espelho do tempo / Um emaranhado de corpos e potências’. Mas, através de uma banda sintonizada com a modernidade e emparelhada com os anseios de viver nestes tempos, parte de nosso cotidiano fica bem expresso em ‘Urgentes’: ‘Nas janelas avisto nossas telas / Todo caos e euforia presos numa cela / Entre os prédios gotas chovem tédio / No asfalto, grito alto, o choro é meu remédio’.



‘Inventados’ é um canção que se encaminha por uma espécie de poesia declamada com o instrumental ganhando cada vez mais intensidade. ‘Quem é Você’ cativa com a alternância entre vocal masculino e feminino (outra técnica que caiu bem para o grupo). ‘O Invisível’, uma das faixas mais pesadas do disco, realça a explosão da guitarra e uma cozinha bem marcante.


Mesmo quando as faixas suavizam no instrumental trazendo uma sonoridade menos crua, o ímpeto dos vocais e as letras incisivas não tiram por completo o peso que a banda propõe fazer, caso de ‘Rio’ e ‘Fica Comigo’.



O terceiro e homônimo álbum indica uma direção oportuna para os cariocas. Experiência musical aumentando, um trabalho bem produzido, influenciado corretamente pelo legado incontestável da história do Rock e possuindo letras que falam de uma sociedade brasileira que respira música (e continuará respirando).

 

Canto Cego


Lançamento: 06 de julho de 2023

Gênero: Indie Rock, Pop Rock

Ouça: "Fogo", "Rio", "Fica Comigo"

Pra quem curte: Biquini Cavadão, Ira!

Humor: Lírico, Enérgico


 

NOTA DO CRÍTICO: 8,0

 

Veja o vídeo oficial de ‘Fogo’:


Nota: 8,0

103 visualizações0 comentário
bottom of page